sábado, 31 de maio de 2008

Que nunca se ponha a lua de mel



Gosto muito destes dois espanhóis geniais. Serrat e Joaquin Sabina.
Vou partir do princípio que Sabina é o menos conhecido pelo respeitável público deste blogue. É natural de Úbeda (Jaen) e anda nisto há muitos anos. Escreve espantosamente, compõe a condizer e tem uma voz destroçada que me encanta. Portanto vamos deixar o Serrat para outro dia e concentremo-nos no tal de Joaquin Sabina
Hesitei muito entre esta cantiga e uma em que faz parceria com Pablo Milanes, que compôs a música. Fica também para outra altura. Esta, a "Noche de bodas", para além do maravilhoso embalo latino-americano, tem pormenores nos versos, que me deixam rendido, como "Que o dicionário detenha as balas", ou "Que ser valente não saia tão caro/Que ser cobarde não valha a pena"...
Como a letra é toda deste calibre, o melhor é lerem-na integralmente e a seguir verem o vídeo, ou o contrário, ou tudo ao mesmo tempo...
Sobretudo, tenham um grande Sábado!

"Noches de boda"
Que el maquillaje no apague tu risa,

que el equipaje no lastre tus alas,

que el calendario no venga con prisas,

que el diccionario detenga las balas,

Que las persianas corrijan la aurora,

que gane el quiero la guerra del puedo,

que los que esperan no cuenten las horas,

que los que matan se mueran de miedo.

Que el fin del mundo te pille bailando,

que el escenario me tiña las canas,

que nunca sepas ni cómo, ni cuándo,

ni ciento volando, ni ayer ni mañana

Que el corazón no se pase de moda,

que los otoños te doren la piel,

que cada noche sea noche de bodas,

que no se ponga la luna de miel.

Que todas las noches sean noches de boda,

que todas las lunas sean lunas de miel.

Que las verdades no tengan complejos,

que las mentiras parezcan mentira,

que no te den la razón los espejos,

que te aproveche mirar lo que miras.

Que no se ocupe de tí el desamparo,

que cada cena sea tu última cena,

que ser valiente no salga tan caro,

que ser cobarde no valga la pena.

Que no te compren por menos de nada,

que no te vendan amor sin espinas,

que no te duerman con cuentos de hadas,

que no te cierren el bar de la esquina.

Que el corazón no se pase de moda,

que los otoños te doren la piel,

que cada noche sea noche de bodas,

que no se ponga la luna de miel.

Que todas las noches sean noches de boda,

que todas las lunas sean lunas de miel. 
   
"Noche de bodas" - Joaquin Sabina
(Joaquin Sabina)


22 comentários:

Pata Negra disse...

Encaixou no corazón desta meia hora que estamos a viver, ouvimos e lemos aquilo que sentíamos sem precisarmos de falar. A minha companheira acaba de me dar um beijo.
Até amanhã Samuel e obrigado a ti e ao Saniba, Saniba não, Sabina!...

poesianopopular disse...

Palavras...só para agradecer a tua oferta, tú sabes do que os teus amigos gostam!
Abraço

Maria disse...

Muito obrigada por esta partilha, Samuel. Já conhecia Joaquín Sabina.
Do Serrat conheço tudo, ou quase tudo. Ele é apenas um dos músicos/cantores mais consistentes do país vizinho...

Bom sábaado para todos aí.
Abreijos

Fernando Samuel disse...

Primeiro segui a sugestão de «tudo ao mesmo tempo», depois vi/ouvi só o vídeo, depois li o poema. Resultado: um alumbramento!

(e vou ouvir outra vez)

Abraço grande.

Orlando Gonçalves disse...

Já conhecia o Joaquin Sabina e é dos cantores do país vizinho dos que mais gosto, "acompanhou-me" em muitas borgas na Galiza terra que amo muito à alguns anos atrás e continua a acompanhar-me até hoje. Muito boa escolha Samuel, Obrigado. Há particularmente uma canção que me agrada de nais, num dos albuns mais antigos dele de 1986 " Joaquin Sabina Y Viceversa" En Directo, a canção chama-se "Hay Mujeres". Todo o album é magnifico.
Para quando uma visita à festa do Avante??? Acho que todos o iriam amar.
Um bom fim de semana para todo o pessoal.

Anónimo disse...

Sem dúvida,a Festa do Avante é o cenário ideal para este grande poeta cantor, como lhe chamou Dolores Ibarrurri.

CAMPANIÇA

amigona avó e a neta princesa disse...

Depois de ler o Rangel e o Manuel Alegre volto mais tarde para saborear!
Abreijos

ana v. disse...

Também adoro estes dois, mais talento que isto é difícil. Pelo Sabina tenho um fraquinho especial: é uma espécie de enfant terrible dos universos nocturnos, cáustico e lúcido mas cheio de ternura também. Tenho quase todos os discos dele. As músicas são óptimas e as letras não lhes ficam atrás.
Um beijo

scaramouche disse...

:)

gostei.

scaramouche.

anamarta disse...

Não conhecia o Joaquin Sabina, Li o poema, vi o video, voltei a ler o poema e Adorei!
Obrigada pela partilha!
beijos

Justine disse...

Que el corazon no se pase de moda!
Que beleza, tudo.
E uma descoberta, pois não conhecia Sabina.
Muito obrigada, e um bom fim de semana

jrd disse...

Referes-te certamente a canção "La Magdalena" com o Pablo.
Sabina um cantautor brilhante e satírico como poucos. Uma referência.

jrd disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Rosa dos Ventos disse...

Não conhecia o Joaquin Sabina...
Gostei muito.
Obrigada pela partilha

jasmimdomeuquintal disse...

Gostei muito...

zambujal disse...

Só tenho um verbo: obrigado!
E um adjectivo: gostei!
E, já agora, que a ASAE não nos feche a tasca da esquina y sus petiscos!

Rui Caetano disse...

Bom fim de semana!

Anónimo disse...

Vim aqui hoje de novo e venho pk tenho gostado do que leio. Surprendentemente e da 1ª.x que comento (ñ tenho blog e escrevo de Leiria) o senhor eliminou o meu comentário, ñ entendo pk, mas ok... seja.
Era um comentário simples de agrado pelo seu espaço e pela música supra.

Mariana...
Bgd na mesma, ñ me vou aborrecer...
Juro!!

samuel disse...

Mariana

Ora então deixe-me cá também jurar (e a pés juntos) que não apaguei aquele comentário que realmente está ali em cima "removido pelo autor". Ao que sei, se tivesse sido eu, diria "removido pelo administrador do blog", ou algo do género...
Foi certamente outra a causa, certamente acidental.
De qualquer modo, quando me estrear a apagar comentários, acho que não serão aqueles em que os leitores elogiem o blog ou o post em questão :)))

Apareça sempre, Mariana. A casa é sua. Comente à vontade!

Abreijos

GR disse...

Coloquei este comentário no "Alegre". Fico tão transtornada quando o vejo,nem sei o que faço.
As minhas desculpas.
""""""""
Serrat acompanhou a minha juventude, cantava (desafinada) as suas belas canções.
J. Sabina, não conheço.
Gostei muito desta voz rouca, adorei o poema.
Vou procurar mais canções dele.

Com o Fernando Samuel (Cravo de Abril) descubro novos poetas.
Com o Samuel, encontro novos cantores!
Que mais posso pedir?
Obrigada,

GR

Lúcia disse...

Não conhecia. Adorei. Vou descobrir mais deste Sabina. Encantada.
Abraço

Anónimo disse...

o sabina é um génio. a experiência de ouvir o cd acústico "nos sobran los motivos" deste mágico da canção numa boa aparelhagem de som a válvulas, com aquele tom quente da sua voz rouca é qualquer coisa de mágico. tenho quase todos os cds dele, tenho pena é que a maioria deles esteja mal gravada, o que empobrece o resultado final. quando alguém cá vem a casa, ponho o cd e as pessoas abrem a boca de espanto tal a "brutalidade" do seu som em especial de 2 temas: calle melancolia / y nos dieron las diez. inovidável para quem gosta de boa música de nuestros hermanos mas a sua música e as suas palavras são universais.

jose mario

joebarbosa@sapo.pt