domingo, 2 de agosto de 2009

José Afonso - 80 anos



"Águas das fontes calai
ó ribeiras chorai
que eu não volto a cantar"
(José Afonso)

Por isso mesmo... cada vez seremos mais a cantar-te, companheiro!

"Balada de Outono" - José Afonso
(José Afonso)

20 comentários:

Isabel Faria disse...

Pensei em escolher a Balada de Outono...mas tinha um titulo e queria AQUELE título para aquele post. Achei que não devia escolher a Balada de Outono....não achei nada, que estas coisas não se acham, senti.
Ainda bem que a encontro aqui. Assim fico com o título...e venho aqui ouvir a Balada de Outono.
Um abraço. Como estas coisas se sentem...emocionado!

CDU SABUGAL disse...

Obrigado José Afonso pela tua verticalidade, enquanto homem e artista.
As novas gerações não vão esquecer José Afonso. Ainda ontem ouvi ao vivo a versão de "Vejam Bem", pelos UHF.
Que viva o Zeca!!!

duarte disse...

zeca...conheci-te , já cantavas nos vínis somente e nas cassetes que comprara. E hoje é dos que mais gosto cantar. E somos muitos, independentemente dos credos, dos ideiais(não fascistas obviamente), das cores, das orientações sexuais, da aculturação , da carteira, da idade, a cantar-te .
para que haja eco, para que haja Humanidade, para não esquecermos o presente conjugugado no futuro...
até sempre.
abraço

Swt disse...

Ando sempre a resmungar lá na minha escola, cujo Patrono é José Afonso, que as memórias, que por lá há, deviam estar apresentadas com mais classe. Está tudo muito pobrezinho e isso irrita-me!
Mas pronto. Quem sou eu? Uma simples professora no terreno...

Justine disse...

Saudades, cada vez maiores

gabriela disse...

Cantarás SEMPRE,enquanto viveres nos nossos corações.
Obrigado Samuel

Ludo Rex disse...

Sempre Zeca e muita Luta!
Abraço

Mar Arável disse...

Uma vez mais

não deixamos morrer

os nossos mortos

Maria disse...

Porque será que me emociono sempre que oiço o Zeca cantar esta cantiga...
... e revejo todo o concerto do Coliseu...

Abreijos

albano ribeiro disse...

Samuel há muito te leio e ouço e agrada-me a tua postura solidária,fraterna e musical como não podia deixar de ser,cá nos confins do Minho sinto-me acompanhado com o teu "espaço" e de outros camaradas.Bem haja camarada e obrigado pelo Zeca,... e a existência deste espaço que me conforta o ego.

Anónimo disse...

Vamos fazer do Zeca mais do que uma lembrança ou uma história. Vamos ser Zeca! Hoje e Sempre...

Kaotica disse...

O Zeca Afonso era alguém muito puro, muito são que não abdicava da luta. Não havia de poupar hoje muito boa gente que diz lutar sem lutar, acomodando-se à situação. Força unida, era o que o Zeca desejava e não cada um pelo seu lado a ver quem se integra mais no sistema. Na Década de Salomé o Zeca já se ria a bandeirar despregadas da UE então CEE.

Um bem haja a todos. Viva o Zeca!

Anónimo disse...

Eu, nem tanto!

Gosto muito mas muito mais do Adriano Correia de Oliveira.
Vá lá saber porquê..!

Deixando de lado as tibiezas políticas com que por vezes se veem cair homens da Revolução, não há dúvida que quem trabalhou para esta foi Adriano, sem incomodar nada, um abraço do Catraio

Hilário disse...

Zeca sempre, um homem da revolução!

Um Abraço

vermelho disse...

No funeral do Zeca cantou-se, tal como ele queria. Nunca é demais lembrá-lo.
Abraço.

Fernando Samuel disse...

... e a ouvir-te... e a ouvir os que te cantam...

Um abraço.

samuel disse...

Um abraço apertado a todas e todos... até para o anónimo das 11:00, que ainda não sabe que para gostar do Adriano não é preciso não gostar do Zeca... mas é uma opinião “original” e sobretudo, é a sua!
Viva o Zeca e viva o Adriano!


Abreijos generalizados!

Pata Negra disse...

"Não façam de mim uma instituição!..."

Anónimo disse...

Sei que para se gostar de um não é necessário desgostar do outro.

Mas, o contrário dá o mesmo resultado.

Quem é que disse que desgostava do Zeca?

O que referi é que, sem haver diferenças abismais, o Adriano tinha mais o sentido da revolução proletária, somente isso, o que não é pouco!

De qualquer forma que vivam todos os revolucionários!
Do Catraio com abraços..!

Eduarda disse...

Zeca,meu amado Zeca,

Continuarás a ser memória viva e eterna no mais fundo de nós.
Escrevi,um dia,sobre a tua «Balada de Outono» após uma homenagem que te fizeram (dessa vez) em Coimbra,vai para uns dois anos.
Sei-te de cor e como recordo as nossas tardes na praia da Ilha da Fuzeta à conversa com os pescadores
mais a malta que queria mudar o mundo...
Meu Deus,foi ontem?