sábado, 28 de junho de 2008

Em legítima defesa


Que não se percam umas das outras as mãos que fazem a nossa muralha! Que não se percam uns dos outros os homens e mulheres que dão as mãos!

Do grande cubano (e poeta) Nicolás Guillén, as palavras, que podem ler integralmente aqui, para uma grande música dos chilenos Quillapayún.

"Para hacer una muralla
tráiganme todas las manos..."

Para ouvir e cantar, como disse, em legítima defesa.

"La Muralla" - Los Quillapayún
(Nicolás Guillén/Quillapayún)


16 comentários:

salvoconduto disse...

Aqui estão as minhas mãos para fazer uma muralha, sem brechas!

Abraço!

Lena disse...

So a União faz a Força !

Um beijo de longe, mas sempre com Portugal no meu coração.

zambujal disse...

Impressionante. Lúcido.
Lucidamente impressionante.
Impressionantemente lúcido.
Oportuno. Angustiante.
Angustiantemente oportuno.
Oportunamente angustiante.
Belo.
Porque belo. E porque de luta!

Obrigado.
Aqui as tens. As minhas mãos. E os meus braços. Para um grande abraço.

Justine disse...

E lá vamos nós para a rua, hoje, de mãos dadas, em legítima defesa.
Abraço

Jofre Alves disse...

Grandes intérpretes teve e tem a música cubana e estou a lembrar-me de Juana Bacallao, Rolando La Série, Blanca Rosa Gil, Benny Moré, José Tejedor, Abelardo Barroso, Pablo Milanês, Carlos Puebla, Sílvio Rodríguez, etc. Foi uma delicia ver este vídeo. Boa semana com tudo de bom.

Fernando Samuel disse...

«Alcemos una muralla
juntando todas las manos»...

Belo, o poema!
Bela, a canção!

Abraço amigo e obrigado.

Moacy Cirne disse...

Vale a pena ler/ouvir Guillén. E o seu 'Cantigueiro' foi citado no meu Poema/Processo (poemas gráficos), mas o balaio Porreta é o blogues de textos os mais variados (poesia, cinema, humor, política), além de fotos. Um abraço.

Joao Carlos disse...

Sou um habitual frequentador deste Blog e de vídeo em vídeo encontrei uma senhora de que já tinha ouvido falar através de um amigo do Equador. Essa Senhora chama-se Mercedes Sosa e é pena ser tão pouco conhecida em Portugal. Ela é a voz absolutamente espectacular e sentida da sofrida América Latina e no fundo de todos nós que nos incomodamos com as injustiças deste mundo capitalista, opressivo sempre para os mesmos.
Já cantou com Joan Baez e gostava de deixar um conselho: ouçam Solo pido a Dios ao vivo. De chorar de prazer

Joao Carlos disse...

foi a emocao que me levou a ser pouco educado e a esquecer de dar os parabéns ao Samuel, que só conheco da TV, pelo magnifico Blog. Muito obrigado.

poesianopopular disse...

Grande poeta e grande interpretação, até parece tudo tão fácil, companheiro, mas tú sabes quanto custa, ás vezes!
Obrigado pela partilha!
Aquele abraço, com o sêlo do PCP!

Maria disse...

Belíssima, esta canção.
E deste lado de cá estiquei os braços o mais que podia.
Espero que as minhas mãos tenham aí chegado. Eu senti as vossas...
:)

Abreijos, já com saudades

Lídia disse...

Lindo!!! Precisamos de todas. Aqui estão as minhas.
Ãbraço
Lidia.

heretico disse...

abraço...

BlueVelvet disse...

Lindo demais!
Que não se percam, então.
Abreijinhos

GR disse...

Há tanto tempo não ouvia esta preciosidade.

GR

vieira da silva disse...

Obrigado Samuel por te manteres acordado.

Grande abraço.