domingo, 20 de dezembro de 2009

Alfredo Zitarrosa - "Eu sei quem sou"



Alfredo Zitarrosa foi um grande cantautor do Uruguai (1936-1989). Não viveu muitos anos, mas enquanto viveu, fê-lo intensamente. Foi um insuperável intérprete de “milongas” e outras armas directamente apontadas aos corações e à inteligência.

Alfredo Zitarrosa é um artista incontornável... mas como uma das especialidades do nosso país é, tantas vezes, contornar o que se diz incontornável... praticamente não o conhecemos.

Permitam-me que partilhe convosco este canto de um cortador de cana de açúcar. Bom domingo!


“Cana de açúcar, cana de açúcar,
porque não adoças o canavial?
Amargo mar.

Machete irmão, ao amanhecer
Sairei cedo para o canavial.
Eu sei quem sou.

E se não voltar, cana de açúcar,
machete na mão eu sei onde ir.
Olha que sim.”


Yo Sé Quien Soy
(Eliseu Porta / Alfredo Zitarrosa)

Caña de azúcar, caña de azúcar,

¿por qué no endulzas el cañaveral?

Amargo mar.



Las hojas secas, las hojas secas,

Las hojas secas del cañaveral

Ardiendo están.



Machete hermano, las cañas negras,

Las cañas negras tendrás que voltear.

Hay que cortar.



Todo picado, negro y barcino

Sudando a chorros como un animal.

Yo sé quién soy.



Me cae la sombra desde el sombrero,

Me cae la sombra como un antifaz.

Yo sé quién soy.



Ay, los riñones que se me parten,

Que se me parten por menos de un real.

Hay que cortar.



Caña de azúcar, caña de azúcar,

¿por qué no endulzas el cañaveral?

Amargo mar.



Machete hermano, mañana al alba

Saldré temprano hacia el cañaveral.

Yo sé quién soy.



Y si no vuelvo, caña de azúcar,

Machete en mano yo sé dónde ir.

Mirá que sí.

"Yo se quien soy" - Alfredo Zitarrosa
(Eliseu Salvador Porta/Alfredo Zitarrosa)


12 comentários:

salvoconduto disse...

Ora aí está uma excelente descoberta para mim.

Abraço.

Maria disse...

Não conhecia! Obrigada, Cantigueiro!

Abreijos

Jorge P.G disse...

Não sabia eu quem era! Só para o ouvir valeu a pena a vinda.

Saudações.

gabriela disse...

Foi bom relembrar.
Obrigado Samuel.
:))

Graciete Rietsch Monteiro Fernandes disse...

Tantas coisas que eu aprendo. Obrigada e um beijo.

Daniel disse...

Como sempre foi amargo a açúcar para aqueles que o produzem... Como fazem parte dos nossos remorsos colectivos a senzala e a casa grande! E o maldito engenho temperado a sangue.

Carlos Machado Acabado disse...

É, de facto, da mais elementar justiça reconhecer a importância do trabalho de divulgação cultu(r)al deste excelente "Cantigueiro"!
Junto, pois a minha à [muito justamente admirativa!] voz dos Amigos que me antecederam e a quem desejo, desde já, um óptimo Natal!

Pata Negra disse...

Não conhecia mas fiquei a conhecer - um bocadito!
Um abraço de cana

Mar Arável disse...

Bons natais

e que nunca te doa a voz

Abraço

Fernando Samuel disse...

E eu também não conhecia.
Obrigado.

Um abraço.

samuel disse...

Per tutti:
Gosto muito... que tenham gostado!


Grande abraço!

Pável E. Modernell Z. disse...

Obrigado. Me chamo Pável e sou um uruguaio residente em Portugal. Falar de Alfredo é falar de uma das vozes mais importantes e representativas do nosso canto popular. Uma voz que nunca conseguiram calar e que se fez sentir ainda desde o exílio no trágico período de ditadura fascista no meu país. Alfredo foi um comunista de primeira línea e sua voz, sem lugar a duvidas, foi a sua ferramenta de luta. Mais uma vez muito obrigado por fazer-lhe referência. Salú.