segunda-feira, 28 de dezembro de 2009

Irreparável!



Duas das figuras mais proeminentes na política portuguesa actual são produtos do velho PPD. Detestam-se. O mais velho, entretanto, fez de conta que deixou o partido e é presidente de todos os portugueses. O mais novo faz de conta que se tornou “socialista-democrático-popular-moderno” e é primeiro ministro.

Não há muitas palavras que possam definir o asco provocado pelo espectáculo hipócrita e interesseiro que estes dois indivíduos têm actualmente em cena. Enquanto vão “cometendo” declarações pias sobres as suas boas intenções e projectos para o bem do país, gastam noventa e nove por cento das suas energias engendrando esquemas intriguistas. Um, para beneficiar o PPD e garantir a sua reeleição, o outro para se vitimizar, chantagear toda a gente com o fito de continuar a governar como se tivesse maioria absoluta e, no limite, provocar mesmo uma crise política que leve a eleições... desde que as ache lucrativas para si próprio. Os dois conseguem fazer tudo isto, enchendo a boca com a saída da crise, o investimento, a criação de postos de trabalho, o progresso e claro... o bem do povo. Está-lhes na massa do sangue. São mentirosos compulsivos.

Do lado de Belém, as novidades são poucas. O homem não dá mais do que aquilo!... Já nas hostes socratinas estão constantemente a chegar-se à frente novos peões. Os mais recentes são estes três: Francisco Assis, de quem já quase tínhamos esquecido a algo tresloucada energia que o impele a dizer “coisas”, Ricardo Rodrigues, detentor de um passado "que lá ele é que sabe”, mas que curiosamente será o paladino do PS no que respeita à luta contra a corrupção... e Sérgio Sousa Pinto, esse extraordinário ex jovem, ex esperança do PS com ar de gerente de agência funerária que, recentemente, a propósito duma declaração que não passou de uma esquiva de Cavaco Silva para não ter que falar do casamento entre pessoas do mesmo sexo, produziu a declaração pública mais idiota dos últimos anos. Todos foram publicamente elogiados e afagados pelo dono, há dias (em privado deu-lhes biscoitos da Pedigree Pal).

Enquanto uma grande parte dos portugueses não fizer algo mais concreto do que queixar-se, depois de votar neles, estes serão os políticos que continuarão a chegar ao poder em Portugal.

Quando esta estirpe de gentinha for varrida da superfície da nossa cena política a perda será “irreparável”! Quero dizer, ninguém se dará sequer ao trabalho de reparar nisso...

17 comentários:

Carlos Machado Acabado disse...

Um dia destes descobri, inteiramente por acaso, o "comentário" político mais sintético, eloquente e definitivo que, acredito piamente, foi alguma vez proferido quando ouvi um amigo meu que é madeirense e fala com pronúncia referir-se àquilo que sai da boca e [da tortuosa mas caracteristicamente vulgar] mente de fabianos como estes como... "PULHÍTICA".
"O Sócrates, os «pê-ésses» amestrados dele---e a PULHÍTICA", foi a expressão exacta que ele usou...

Alguém é capaz de ser mais preciso, eloquente e esclarecedor em tão poucas palavras?...
EU, não!

Carlos Vidal disse...

Fantástico.
No meio daquele lixo todo, ainda encontro vontade de me rir:
aquela do Sousa Pinto com ar de gerente de agência funerária é de antologia.
Quase me apetece copiar a descrição.
CVidal

alex campos disse...

Magnífico post.
Um abraço

Rosario disse...

Como sempre a tua crítica mordaz a acertar em cheio! Um abração...
Abreijos

Manuel Norberto Baptista Forte disse...

Eu penso que o (actual) dono do P. S., jamais deixaria sem "protecção", os seus dilectos escudos. Sim, porque em termos "de choque" avançam uns, vêem-se os resultados, e depois avança já com a "lição estudada" o chefe da brigada.
Não me lembra de no P. S., ter deixado de ser assim, mas agora, face ao pseudo conflito institucional com a Presidência da República, convém que os primeiros a "falar" (!?) sejam tipo trauliteiro para tentar abrir o máximo de caminho.
Amigos, gente deste baixo quilate, já mais e melhor deveria ser conhecida do povo Português.

aferreira disse...

-
-Todos os coveiros têm os seus gatos-pingados

Mar Arável disse...

Que se fundam

amigona avó e a neta princesa disse...

Mais um abraço e agora já com o meu "nome" na net!

cetautomatix disse...

Em 5 de Maio de 2008 um bloguista (não se confundam!) escrevia isto: http://sol.sapo.pt/blogs/dogbert/archive/2008/05/05/Carta-de-recomenda_E700E300_o.aspx
Lembrei-me porque o Samuel diz a dado passo "Enquanto uma grande parte dos portugueses não fizer algo mais concreto do que queixar-se, depois de votar neles,(...)". O que corresponde à referência daquele post antigo aos escravos que sonham ser nababos. Isso e a eterna esperança no euromilhões, totobola, totoloto, pirâmide, eu sei lá.

cetautomatix disse...

Ah! Já me esquecia: as fotografias estão um espanto! A prosa do Samuel faz-lhes inteiro jus...

Maria disse...

Excelente post!!!
Como é hábito, aliás..

Abreijos

Fernando Samuel disse...

«Irreparável»: dizes muito bem...

m abraço.

Antuã disse...

E quando é que os Portugueses deixarão de ser "governados" por tal gente imbecil?!...

Rui da Bica disse...

Gostei dessa da

"perda será “irreparável”! Quero dizer, ninguém se dará sequer ao trabalho de reparar nisso..."
rsrsrsrs
.

samuel disse...

Carlos:
PULHÍTICA!!! É grande!

Carlos Vidal:
Copia, Carlos Vidal, copia! Mi casa es tu casa... ☺

Alex Campos:
Abraço!

Rosário:
Gostava que fosse sempre...

Manuel Norberto:
O pessoal vai abrindo os olhos... mas tão devagar!...

Aferreira:
Senão lá se iria o negócio...

Mar Arável:
Muito!

Amigona:
Outro...

Cetautomatix:
O problema é que continua a haver muitos desses...

Maria:
Abraço!

Fernando Samuel:
☺ ☺ ☺

Antuã:
Quando a maioria deixar de cometer a imbecilidade de os eleger!

Rui da Bica:
É o que me salva dos ataques de má disposição... ☺


Abreijos generalizados!

UdL disse...

Pelo contrário, caro Samuel! Não só repararemos como festejaremos queimando-os a todos numa enorme fogueira! Pelo menos assim o espero.

O Pragmatista Positivista disse...

E quando isso acontecer? Voçês todos, os que defendem a luta de classes, o materialismo abandonado pelo tempo e que a História se encarregou de afastar... os TrotsKistas, os Leninistas, os Maoistas e alguns Estalinistas que apesar de terem o privilégio de viverem no século XXI e de terem confirmado a disfunção do vosso idealismo, com a queda e a irradicação da miséria escondida e a intolerância do Comunismo que nunca havereis de perpétuar porque estais velhos e a ficar cansados, quiça resignados a uma doutrina Atlantista e Ocidental, que caminha numa perspectiva solidarista, que vos permite usufruir de pensões silenciosas e chorudas que vos entram em contas bancárias que sabeis sigilosas (sim, porque é fácil fazer alarde e aturdir o povo com gritarias revolucionárias, sabendo já antes da partida que nunca verificareis o que defendeis à chegada) e que vos permitem viver faustosamente sob a insígnia do agora "Comodismo" e da doutrina "chupista". Enfim, em verdade vos digo a todos: sejais vós Cunhalistas, Carvalhistas, Sousistas, Louçanistas, Tomésistas ou Pereiristas. A vós, já nada vos distingue dos "pê-esses" Soaristas, Sampaiistas, Guterristas, Alegristas, Só-cristas ou dos pê-pê-dês Cavaquistas, Barrosistas, Mendistas, Menezistas, Santanistas, Manuelistas e Coelhistas. Lamento informar-vos que a diferença não se nota pelo facto da vossa demissão do uso de gravata (lembrai-vos que muita gente que na realidade trabalha é obrigada a usá-la); são virtudes do Capitalismo e da liberdade de escolha, a tendência agora é ao contrário do século XIX e XX, agora, usa gravata quem trabalha e só não a usa quem pode escolher não usá-la. É caricato não é? - Mas também, algum de voçês, acreditava há 30 ou 35 anos atrás que teriamos uma UEM (União Económica Monetária), um MI (Mercado Interno) inserido numa UE (União Europeia) que caminha a largos passos para uma verdadeira SEPEFU (Sociedade Económica e Política Europeia Federal Unida)?
Pois é assim meus amigos, por força das vossas PULHITIQUICES «Quando esta estirpe de gentinha for varrida da superfície da nossa cena política (Estaline) a perda será "irreparável"! (assim como foi para o Bloco Continental) Quero dizer, ninguém se dará sequer ao trabalho de reparar nisso...» uma vez que nessa altura, existirá gente melhor preparada, que embora vos agradeça (não em exclusivo) a libertação de uma ditadura de direita, não é obrigada a pagar-vos esse favor permitindo-vos impôr uma ditadura de esquerda. Será quase unánime, julgo, que irão preferir a pobreza envergonhada capitalista do que a miséria imposta e escondida Comunista.