domingo, 19 de junho de 2011

Piensa en mi


Um artista que tenha a infelicidade de se chamar Ángel Agustín María Carlos Fausto Mariano Alfonso Rojas Canela del Sagrado Corazón de Jesús Lara y Aguirre del Pino… o mínimo que pode esperar é que, quando o apresentador termine de o apresentar, já haja uma boa parte do público a voltar para casa. Assim, não é de admirar que este cantor e autor mexicano, nascido em 1900, tenha optado por usar apenas o nome de Agustín Lara... nem diria propriamente como nome artístico, mas em legítima defesa. O tremendo nome não o impediu, porém, de ser autor de grandes canções como “Solamente una vez”, “Maria bonita”, ou a célebre “Granada”, que não há tenor que não adopte.
Seja como for, hoje não é destas suas canções que falo, mas sim de outra, um grande bolero que fez parte da banda sonora do filme de Pedro Almodóvar Tacones lejanos, nome que traduzido diretamente para o português, deu o título “Saltos altos”.
Quando no princípio dos anos noventa ouvi, à queima-roupa e sem a mínima chance de me desviar, um jornalista da televisão anunciar este filme Tacones lejanos como “saltos longínquos”, confesso que fiquei para ali... a rir muito – ri tudo aquilo a que tinha direito – e fiquei convencido de que nunca mais conseguiria levar a sério nada que tivesse que ver com aquele filme.
A “convicção” durou muito pouco. Durou apenas até ouvir esta canção que faz parte da banda sonora da película, escrita e composta pelo Agustín Lara e cantada de forma esmagadora pela Luz Casal. O filme, para ser sincero, tenho-o aqui numa das estantes, mas ainda nunca o vi inteiro. Esta canção, pelo contrário, desde há vinte anos que, de vez em quando e sem razão aparente, vou ouvindo uma e outra vez,  sem me cansar.
Chama-se “Piensa en mi”... e hoje, também sem razão aparente, decidi não a ouvir sozinho.
Bom domingo!
Piensa em mi” – Luz Casal
(Agustín Lara)



8 comentários:

do Zambujal disse...

Obrigadinho por teres pensado em nós!

Correu bem em Aviz?

A "constituinte" foi muito boa!

Grande abraço

samuel disse...

do Zambujal:

Sempre às ordens :-)

Correu, sim, obrigado!

Ainda bem! Hei-de pôr-me a par.

Grande abraço.

salvoconduto disse...

Não seja por isso. Vou ter é cuidado com os pés não vá molhá-los nas lágrimas vertidas por uma das personagens do vídeo. Mas a voz é poderosa. Não tenho nada dela, mas sei que tem um album recente, 2009, com mais boleros da década de 50, La Pasion, que me lembro de ouvir cantar lá em casa, quando era puto.

E eu aqui numa empreitada a catalogar os meus cds, já praguejei contra as editoras por não incluirem todas as informações relativas aos albuns no cd-texto. Igualmente para as lojas que colam as etiquetas com "super-cola 3"... Alguns chegam a ter três ou mais etiquetas. Até ao momento já cataloguei 980 e ainda tenho pano para mangas, depois faltam os LPs. E as editoras ainda se queixam da pirataria, vai lá vai. Atenção que não sou "santo", mas tenho contribuido com a minha parte.

Bom domingo.

Fernando Samuel disse...

Pensaste bem, como de costume - e ainda bem.

Abraço e beijo e bom domingo aí em casa.

Graciete Rietsch disse...

Bela canção, tão cheia de nostalgia e saudade.
Quanto ao filme, pelo menos conheço-o de nome. Não sei se já o vi. Não me lembro. Mas tenho visto muitos filmes do Almodôvar. Só que o tempo faz os seus estragos.

Um beijo.

Estrela Vermelha disse...

Amigo Samuel tive um sonho que quero partilhar. Sonhei que no dia 26 apareces no Piquenicão do Murpi aí em Montemor, espero que o sonho seja uma realidade. Não é na Av. da Liberdade mas, vai ser uma festa popular com muita liberdade e solidariedade. Viva o MURPI.

carol disse...

Bom! Adoro esta canção! Linda! Linda! Linda! E cheia de sentimento - desde o nome até à voz!

Gracias

Anónimo disse...

Samuel
Quando li que deixaste para tras «Solamente una vez» e «Granada» só não praguejei porque tenho ouvido que o que escolhes é muito bom e mais uma vez não me desiludi. Luz Casal nunca tinha ouvido mas adorei uma voz quente e sensual. Mais uma vez parabéns e é melhor começares a pensar em nos alegrar pelo menos mais um dia na semana. Muito obrigada pelo que á a primeira arte no mundo.
Vitor sarilhos