sábado, 25 de junho de 2011

Votar (para espairecer)


Sobre a bebedeira de ego e vaidade balofa que nos últimos meses atingiu o cidadão Fernando Nobre, já quase tudo se disse. Aparte uns poucos portugueses que, por razões particulares, já sabiam que ele não é flor que se cheire, a imagem que passava para todo o país era a de uma pessoa estimável, admirável, desinteressada, solidária. Os mais recentes acontecimentos, ao mostrarem o Fernando Nobre real, sem ideias, incoerente, oportunista, ambicioso e portador de um medonho problema de coluna vertebral... destruíram essa imagem, como se fosse um desenho feito na areia.
Num país normal, esta sequência de acontecimentos que culminaram com o falhanço humilhante da sua “nomeação” para a presidência da Assembleia da República, resultaria na sua descredibilização total; um vídeo como este que se segue, depois de visto por um razoável número de pessoas, tornaria o desastre irreversível. Como estamos em Portugal... nunca se sabe...
Fiquem com o vídeo, que é de ver até ao ultimo segundo. Trata-se de uma paródia, feita em cima de uma música de um disco do Tim (Xutos e pontapés), mas com uma letra nova (e bem melhor), escrita e cantada pelo Vasco Palmeirim (não, não é cantor... é apenas “maluco”) acompanhado pelo Nuno Markl, a Vanda Miranda (se não estou em erro) e mais um elemento da equipa da Rádio Comercial, que não consegui identificar.



11 comentários:

Maria disse...

Isto é uma delícia...
Vou partilhar no Face, tem que ser visto por muita gente!!!!!

Abreijos e um enorme sorriso :)

Luís Coelho disse...

Hoje foi assim mas amanhã logo veremos...e depois não ganhou mas ficou como deputado...ora pois o taxo até lhe serve assim como a muitos outros....

do Zambujal disse...

Este episódio, sendo humorístico, é dos mais tristemente esclarecedores de uma maneira de ver a/estar na política.
Absolutamente lamentável.
Apesar do ridículo e do humor que provoca... não me faz rir.
Obrigado por me teres mostrado esta saudável reacção a uma doentia e incurável situação.

Grande abraço

trepadeira disse...

A ouvir e a lembrar uma canção em voga hà uns bons anos:

"já te tenho dito que não é bonito andares a enganar-me...".

Pelo menos deu para conhecer mais um.

Um abraço,
mário

Fernando Samuel disse...

Vais ver que ele sai é «limpíssimo» desta sujeira toda...

Um abraço.

Graciete Rietsch disse...

Qualquer dia sai de deputado para qualquer situação mais "NOBRE".

Um beijo.

Alberto disse...

Fernando Nobre! De nobre não tem nada. De oportunista tem tudo. Basta ver a constituição da administração da IPSS que dá pelo nome de AMI. Pela pela parte que me toca, nem mais um EURO para tal gente.

Manuel Norberto Baptista Forte disse...

F. N. mais uma desinteressadíssima pessoa que caíu na política, só por ... amor ao próximo.

Anónimo disse...

Mas que maravilha!!! Gostei de ver a cara de tão "nobre" pessoa quando não foi eleito. Ele é mesmo mais um "honestozzzinho"!
Saudações
Vicky

Orlando Gonçalves disse...

Não conhecia este Fernando Nobre se não pela ANI e pela causas sociais que moviam esta associação. Não sei se esta associação é ou não bem gerida, mas algumas vezes participei com ajudas monetárias e não só para a mesma associação. Neste momento deixei de participar, nem com mais um tostão é que depois de conhecer melhor o seu presidente e as suas posições políticas, chego à conclusão que este homem não têm carácter é mesmo descaracterizado de cultura ideológica, e quanto aos valores morais e cívicos, fico com duvidas.

Manoel Cruz disse...

A nobreza deste Sr. Nobre esvaiu-se quando o verniz estalou.
Sendo homem conhecedor das gentes do mundo, sabia perfeitamente que este povo de brandos costumes que não o quis, jamais lhe exigiria o cumprimento do seu acalorado pedido de que lhe fosse dado o tal tiro na cabeça.
Ficou sem tiro. Perdeu a cabeça mas ganhou um descrédito que nem com o dobro dos anos que já viveu, terá de volta!