domingo, 6 de março de 2011

Se alguém caía, um outro alevantava o tronco que tombava... e renascias


(José Dias Coelho – “Desenho” 1953)

Noventa anos a fazer pontes entre os saberes e o sentir das fábricas, dos campos e das escolas... e o futuro. Noventa anos a forjar gente capaz de dar o melhor de si por um ideal. Noventa anos a servir de dique, defendendo aqueles que querem avançar, da imensa vaga de interesses que nos empurra para o passado. Noventa anos que calam, com o sobressalto de um punho que se abate sobre a mesa, os sucessivos coveiros que há noventa anos tentam ter razão nos seus anúncios de morte, mas que, para seu violento desespero, não têm. Noventa anos... mais de metade, passados a lutar contra o fascismo: opressão, prisões, morte, obscurantismo, atraso; os restantes, a lutar contra as sementes que o fascismo deixou.

Noventa anos é uma bonita idade! Para os militantes e simpatizantes do PCP aqui fica uma “prenda” domingueira. Para todos os outros leitores... é mais uma bela música. Como não existia nenhum vídeo desta canção... tratei de fazer um, apenas uma colagem de fotografias sobre esta grande cantiga do Zeca, uma daquelas que poucos conhecem... ou de que vagamente se lembram. Uma espécie de homenagem e alerta... de alimento para o caminho. Tanto caminho!

Parabéns...  e bom domingo!

Tinha uma sala mal iluminada
(José Afonso, do álbum “Enquanto há força” – 1978)

Tinha uma sala mal iluminada

Perguntavas pelo amigo e estava a monte

A fuga era a última cartada

pide estava ali mesmo defronte



Às vezes uma dúvida rondava

Valia ou não a pena o que fazias?

Se alguém caía um outro alevantava

O tronco que tombava e renascias



A velha história ainda mal começa

Agora está voltando ao que era dantes

Mas se há um camarada à tua espera

Não faltes ao encontro sê constante


Há sempre quem se prante à tua mesa

Armado em conselheiro ou penitente

A luta agora está de novo acesa

E o caminho é só um é sempre em frente



Perdeste a treino falta-te a paciência

Ouviste antes do tempo mil fanfarras

Já os soldados fazem continência

Ao som do choradinho e das guitarras



A velha história ainda mal começa

Agora esta voltando ao que era dantes

Mas se há um camarada à tua espera

Não faltes ao encontro sê constante.

“Tinha uma sala mal iluminada” – José Afonso
(José Afonso)




14 comentários:

do Zambujal disse...

Bonito!
Obrigado pelos parabéns!
E parabéns para ti, também!

Um grande abraço

Maria disse...

Fogo, puseste-me a chover...
Parabéns ºara TODOS nós, militantes do Partido Comunista Português. E para os simpatizantes e amigos também!

Grande abraço colectivo!

Graciete Rietsch disse...

Lindo o post, ótimos o video e a canção.

Gostei muito. Parabéns.

Um beijo.

Suq disse...

"Há sempre quem se prante à tua mesa

Armado em conselheiro ou penitente

A luta agora está de novo acesa

E o caminho é só um é sempre em frente

"

Anónimo disse...

Samuel
Mais uma vez obrigado. Tenho, penso eu, tudo o que se publicou (música)sobre o Zeca mas é bom ouvir a tua sensibilidade.
Vitor sarilhos

Fernando Samuel disse...

Parabéns!

90 abraços de amizade e camaradagem.

vovó disse...

o "visonário" Zeca! Graaaaandeeee! Sempre!
Parabéns, a quem de direito! :)

vovómaria

relogio.de.corda disse...

"O caminho é só um; é sempre em frente".
Parabéns ao autor do blogue, ao Zeca, a todos os leitores e seguidores deste espaço e a todos os portugueses que ainda têm esperança num país melhor.
Continuação de bom Domingo também.

hugo disse...

obrigado. Parabéns tambémpara o Samuel e para todos os comunistas e amigos do partido!

Antuã disse...

O caminho é sempre emfrente!

trepadeira disse...

"Agora está voltando ao que era dantes".
Há que travá-los,antes que se montem no burro.
Um abraço,
mário

Jorge Manuel G disse...

Obrigado, Camarada Samuel!

Estamos todos de parabéns!

Um abraço desde Vila do Conde,

Jorge

Alexandre Júlio disse...

Bom Dia Samuel,

Que Maravilha de homenagem, simples, modesta, clara, como foram os 90 anos do "Glorioso", ainda rematada com um poema e uma musica explendidos, a condizer com a efeméride.

Parabéns ao Glorioso e a todos aqueles que com ele se identificam.

Aquele abraço, companheiro de Jornada.

Alex.

Anónimo disse...

Parabéns a todos por tantos anos de luta. E a luta continua!
Esta música do Zeca (e não só esta, recordo também, por exemplo "Senhora que o Velho"), sendo muito pouco conhecida, tem uma letra muito bonita e mobilizadora.
Seria importante fazê-la sair mais vezes à rua!
"Mas se há um camarada à tua espera

Não faltes ao encontro sê constante."
beijinhos
Gabi