sexta-feira, 4 de março de 2011

Não! Não! Não quero! Larguem-me!!!


Para desgraça das suas úlceras gástricas (única explicação para aquela cara) o professor Aníbal é um homem constantemente contrafeito. Anda contrafeito há muitas décadas. Mais “contrafeito” do que a maior parte das roupas “de marca” da Feira de Carcavelos. Senão, vejamos:
Contrafeito por ter-se visto mergulhado na grande agitação que se seguiu ao 25 de Abril, quando tinha prometido, perdão, tinha garantido à PIDE - e por escrito - estar «perfeitamente integrado no regime».
Contrafeito, por ter-se visto envolvido na salgalhada da política do PPD, quando tinha ido até à Figueraaaaa Figueira da Fóóóóóóóz... (peço desculpa... entusiasmei-me...) apenas para fazer a rodagem ao carro.
Contrafeito, porque as “forças de bloqueio” não o deixavam trabalhar.
Contrafeito, pois apesar de ser preciso nascer-se duas vezes para se conseguir ser tão sério quanto ele, durante toda a vida, misteriosamente, escolheu para seus colaboradores, secretários, ministros... e até vizinhos de férias, alguns dos mais extraordinários trafulhas nacionais.
E agora resumindo, porque senão a lista seria interminável e a figurinha não merece, contrafeito quase sempre que promulga uma nova lei, nomeadamente quando se trata de matéria que belisque, nem que seja ao de leve, o seu irreprimível reacionarismo.
Foi mais uma vez esse o caso, neste diploma que pretende facilitar a vida às pessoas que necessitam de mudar de sexo e que acreditam ser essa a única forma de poderem vir a ter alguma felicidade. O Presidente promulga, mas apenas à segunda, porque é constitucionalmente obrigado... e, claro, muito contrafeito.
A brincar... perante o espetáculo de tão grande “tremideira” presidencial em relação à cirurgia para mudança de sexo, diria que está na hora de algum dos assessores do homem pôr um fim à sua angústia, informando-o de que a dita cirurgia não passa a ser obrigatória.
A sério... diria que os homens e mulheres que não conseguem fugir ao pesadelo diário de se sentirem a viver no corpo errado, já sofrem o suficiente... para ainda terem que suportar os reparos e incómodos de um Presidente da República mesquinho, limitado e profundamente ignorante, que deixou o cérebro lá atrás... em cima da mesa onde preencheu o tal inquérito da PIDE, em que se declarou perfeitamente integrado no regime político de então.

10 comentários:

Maria disse...

Ele anda contrafeito desde 25 de Abril de 1974!!!!!!!!!
Já pensaste em publicar num livrinho estas tuas 'pensadelas'? Tens matéria suficiente e dava jeito...

Abreijos.

do Zambujal disse...

Olha que tu! Tens mesmo má vontade.O homenzinho está mais que contrafeito, está desfeito por tanta deficiência técnico-jurídica. É só isso.
Quanto à garantia da não obrigatoriedade, ele acautelou isso, ou será uma das deficiências do diploma?

Um abraço

Suq disse...

Estamos Contrafeitos com tanta aprovação de leis e despachos que ludibriam a constituição!

Fernando Samuel disse...

Cavaco, o Contrafeito!...

Um abraço.

Anónimo disse...

Samuel
Mas a mim me parece que lá atrá já disseram tudo quando o compararam ao Tomás. Ou foi no "Cravo de Abril"?. Aqui ou ali já disseram tudo.
Vitor sarilhos

Sonhadora disse...

Contrafeita estou eu e grande parte da população portuguesa de o ter como Presidente.

Justine disse...

As contrafacções deviam ser todas apreendidas e destruidas, não era??

Anónimo disse...

O povo quer o povo tem, apesar de haver gente contrafeita... que decidiu não votar.
abraço sem contrefações.

Antuã disse...

o Cavaco só não fica contrafeito quando abre a boca e manda um monte de asneiras cá para fora.

Pata Negra disse...

Cavaco comenta o post do Cantigueiro:
- Pois!... Hum! Estou aqui!... A comer! Na devida altura comentarei!... Ou melhor, não comento!...
Cavaco tem o seu lugar, será ele a caricatura perfeita do momento histórico-social-económico que vivemos??!
O momento é deprimente mas uma caricatura arranca sempre algum sorriso, se não de graça, pelo menos de desprezo!
Um abraço e agarrem-me...