quarta-feira, 30 de março de 2011

Obama/Bush – Duas máscaras para o mesmo assassino


A grande fraude política e humana que é Barack Obama, justificou a intervenção militar na Líbia, para a qual arrastou os acéfalos lacaios do costume, dizendo que sempre que os interesses e os valores dos EUA estejam em causa, o seu país deve “agir”.
Primeiro, não valia pena ter dito “interesses e valores” na mesma frase, já que são uma e a mesma coisa.
Segundo, é extraordinário confirmar que milhares de soldados de vários países, incluindo o nosso, andam pelo mundo a matar e a morrer para defender os interesses e valores... dos EUA.
Terceiro, isto é um tremendo e sonoro aviso a todos os países do mundo, sem exceção... mesmo aqueles que acreditam pertencer à lista de amigos dos EUA.
Quarto, olhem... meus amigos e amigas, adaptem-se à “nova ordem internacional” perfeitamente aplicável às relações entre vizinhos. Sempre que acharem que o vosso vizinho de cima, ou do lado, ou do fundo da rua, não está a corresponder plenamente aos vossos “interesses e valores”, já sabem... bombardeiem-no, incendeiem-lhe a casa, ou então, se quiserem resolver o assunto de forma mais “humanitária”... dêem-lhe uma amostra do “sonho americano”. Matem-no!

14 comentários:

Anónimo disse...

Pinta de forma acertiva e muito dolorosa o quadro de um mundo real - o nosso.
Parabéns e continue sempre!
Vicky

Maria disse...

Mas com 'bombas humanitárias', se faxavor!

Abreijos.

salvoconduto disse...

Diz a Maria que são "bombas humanitárias", eu acrescento que são "bombas legais". É pró que está, e está para durar...

Antuã disse...

Os EUA Querem fazer ao resto da Humanidade o que fizeram aos Índios.

Anónimo disse...

Ái as bombas antónias, as sónias, as susanas ... vamos lá atacar!

D'Artagnan em riste

João de Sousa Teixeira disse...

OS NORTE-AMERICANOS III•
(Rhapsody para os norte-americanos)

Servem para tudo os americanos do norte.
No sul, chamam-lhes gringos e ianquis, que significa canalha,
lixo, espécie indesejada ou filhos de Satanás.
No mínimo, significa coisa ruim.
Não são tal. São apenas americanos do norte, como são
os ursos, os búfalos e o Kid Carson, que afinal não lhes sobreviveu.
Servem para tudo os americanos do norte.
No seu próprio lugar inventaram o wild west e Hollywood, mais tarde,
para contaminar o resto do mundo
com o seu modo de viver e o seu Kiss Me Deadly.
E, apesar de tudo, são baleados a milhares de quilómetros,
na testa, no coração e, quantas vezes no rabo,
por armas que fabricaram em sua casa.
Servem para tudo os americanos do norte.
Acham o fast-food uma ideia gastronómica genial,
a obesidade uma consequência do progresso económico
e as epidemias fruto da má vizinhança.

Servem para tudo os americanos do norte.

Abraço
João

samuel disse...

Anónimo (11:17):

Posso estar enganado... mas se percebi bem, portanto, o assunto diverte-o... ???!

Dylan disse...

Claro que o Samuel tem razão em alguma coisa do que diz, no entanto, eu pergunto: na Soeiro Pereira Gomes, o que preconizam para a Líbia?
Não tem o povo líbio o direito de se ver livre de um déspota?
Quando a Rússia atacou a Geórgia, qual foi a posição dos "antiamericanos" encartados e da esquerda defensora dos fracos e oprimidos?

samuel disse...

Dylan:

Meu caro,

"Não tem o povo líbio o direito de se ver livre de um déspota?"

Tem! Mas...
1. Ninguém confiou aos EUA a tarefa de policiar o mundo.
2. Os EUA têm o estranho hábito de "livrarem" os povos de déspotas que, apenas alguns meses antes, eram seus amigos... ou mais propriamente, lacaios (ex: Saddam Hussein, Mubarack...) .
3. A ver pelos resultados nos países que recentemente os EUA têm livrado dos seus déspotas, como o Iraque, ou o Afeganistão... não sei se isso será propriamente o sonho dos líbios.
4. Raramente entro na Soeiro Pereira Gomes... mas olhe que imaginar o apoio e simpatia dos comunistas portugueses pelo regime de Putin, Medvedev e as suas quadrilhas de mafiosos no poder... é, no mínimo, não estar ver lá muito bem a coisa. :-)))
5. Essa patetice do "antiamericano"... cansa.

Fernando Samuel disse...

Os «interesses e valores» dos EUA têm sido defendidos à custa de milhões de mortos: trata-se de «interesses e valores»... mortíferos...

Um abraço.

Rogério Pereira disse...

ONU
ONU
Para que nos serves tu
quando as máscaras caem?

Manuel Norberto Baptista Forte disse...

Nada os distingue ...

Graciete Rietsch disse...

O prémio Nobel da Paz já admitiu armar os rebeldes. Que rebeldes? Com que direito? Como se nós não soubéssemos que eles já lá estão há muito!!!!

Um beijo.

Anónimo disse...

Samuel
Há pessoas que perdem o tempo a ver bola e de vez em quando querem entrar no convivio dos que perdem o seu tempo a saber como vai o mundo, e é vê-los a meter água por todos os buracos. Mas o pior é que levam tempo a perceber ou, pior, não estão para isso e vêm aborrecer outras pessoas que por vezes não estão para levar com eles. Olá sr. Dylan.
Vitor sarilhos