domingo, 31 de outubro de 2010

Brasil e Papa Bento XVI - Pra quê discutir com madame?




Hoje é um dia de grandes decisões para milhões de eleitores brasileiros. Nas mãos do cidadão comum, do “povão”, como se diz por lá, está a possibilidade de colocar no poder Dilma Rousseff e uma ideia de continuidade e desejado aperfeiçoamento do trabalho com muitos aspectos positivos, mesmo que com problemas e contradições, realizado pelo Presidente Lula da Silva... ou recolocar o Brasil nas mãos da direita mais reaccionária que, se não detém o poder político, é ainda dona e senhora da esmagadora maioria das riquezas que fazem do país uma grande potência económica regional e mundial.

Tudo se joga na urna de voto, embora a direita morra de saudades das décadas e décadas em que dominou o país na ponta das armas. Mas já que, como disse, tudo se vai jogar nos votos livres dos cidadãos, tudo, ou quase tudo vale, para ganhar esses votos.

Ninguém fica pois espantado pelo facto de o ultra reaccionário cidadão do Vaticano, o senhor Ratzinger, com a profissão de Papa católico e que se intitula “vígaro de Cristo”... ou vigário... ou lá como é que isto se diz, tenha decidido, à última hora, intervir ruidosamente na campanha eleitoral, pedindo a todos os Bispos brasileiros que exortem os fieis a votar... mas no candidato da direita e não em Dilma Rousseff.

Gostaria de agradar aos meus amigos católicos mostrando-me “surpreendido” com a atitude do Papa... mas não consigo. De facto, o homem não perde uma única oportunidade para demonstrar qual o verdadeiro deus a quem pressurosamente serve na Terra.

Como um dos desabafos mais “desesperados” que li nas diversas caixas de comentários dos jornais que têm tratado o tema das eleições brasileiras aqui em Portugal, todos, ou quase todos, fazendo igualmente campanha descarada contra Dilma e o PT, foi escrito por uma senhora rosnando que (cito de memoria) «o Brasil estará, se Dilma ganhar, a um passo da ditadura do proletariado... ainda por cima dirigido por essa continuadora da política do “pinguço” iletrado do Lula», eu, como hoje é domingo, dia de música aqui no estabelecimento e porque imagino que a ofendida e assustada senhora deve ser uma verdadeira “madame”, vou dedicar-lhe a canção de hoje... que aproveito para também dedicar ao senhor Ratzinger, que como toda a gente já viu, usa vestidos ainda mais compridos do aqueles que, quase de certeza, usa a “madame”.

A canção escolhida é uma pérola de ironia, já com muitos anos de estrada, desde sempre identificada com o repertório do mestre absoluto da “bossa nova”, João Gilberto, mas que eu vos ofereço na encantadora e contagiante versão da jovem Teresa Cristina que, dizem os entendidos por lá, está destinada a recolocar o bom samba tradicional dos bairros populares do Rio novamente no “mapa” e no lugar que sempre mereceu.

Pra quê discutir com madame
(Janet de Almeida / Haroldo Barbosa)

Madame diz que a raça não melhora
Que a vida piora por causa do samba
Madame diz que o samba tem pecado
Que o samba coitado devia acabar
Madame diz que o samba tem cachaça
Mistura de raça, mistura de cor
Madame diz que o samba é democrata
É música barata sem nenhum valor

Vamos acabar com o samba
Madame não gosta que ninguém sambe
Vive dizendo que samba é vexame
Pra que discutir com madame?

No carnaval que vem também com o povo
Meu bloco de morro vai cantar ópera
E na avenida entre mil apertos
Vocês vão ver gente cantando concertos
Madame tem um parafuso a menos
Só fala veneno, meu deus que horror
O samba brasileiro democrata
Brasileiro na batata é que tem valor

“Pra quê discutir com madame” – Teresa Cristina
(Janet de Almeida / Haroldo Barbosa)


19 comentários:

Maria disse...

Não consigo abrir o video. Porcaria de net portátil.
A letra da cantiga é deliciosa!

Sobre o conselho do R......r aos bispos nem vale a pena falar!
Abreijos.

do Zambujal disse...

Pois é, Samuel!
Mais uma vez, inteiramente de acordo contigo e congratulando-me com a forma que encontraste de dizer aquilo em que estamos de acordo (que é quase tudo... havemos de descobrir coisas em que não estaremos!).
E esta coisa (verdadeiramente importante para o mundo!) mereceria a atenção que lhe dás (e o Papa, e o Papa...) mas há amigos nossos que estãos distraídos e com distracções que são muito perigosas.

Um grande abraço

Pata Negra disse...

O clero é de direita, todos o sabemos! Eles e os ricos têm os bens em comum!
Sim, a Igreja continua na Idade Média!
Um abraço do altar do mundo

smvasconcelos disse...

Boa escolha musical (como sempre, aliás), não conhecia e adorei!:9 Obrigada.
Quanto ao sr. ratzinger nem vou comentar, mancharia o bem-estar que a música me trouxe.
bjs e bom domingo.

Fernando Samuel disse...

Sim, para quê discutir com este pastor alemão?...

Um abraço.

Léo Nogueira disse...

Samuel, meu caro:

Participo de uma lista de bate-papo acerca de música aqui no Brasil, e tenho notado durante esses meses uma tendência à direita de certa facção da classe musical, principalmente naquela lista. Lendo seu texto, eu, que até então permanecera calado ali, vi-me no direito de postá-lo ali. Tomo a liberdade de copiar aqui o que escrevi lá:

Até agora não me havia posicionado nessa lista sobre as eleições. No entanto, porque encontrei meio que por acaso no blog de um novo amigo português algo que vai ao encontro do que penso, resolvi postar aqui o link pro texto dele. Aqui vai:

http://samuel-cantigueiro.blogspot.com/2010/10/brasil-e-papa-bento-xvi-pra-que.html

Acrescento apenas que estas eleiçõe têm tido tristemente um aspecto de torcida organizada, com todo o ódio que lhe é peculiar. Eu, desde que me entendo por gente, fui petista. Sempre me posicionei à esquerda, sonhando com um dia em que a camada mais pobre da população iria ter uma bela educação, que é a forma mais justa de socialismo. O governo Lula frustrou minha esperança, como na música de Sonekka/Zé Rodrix. Tanto que votei na Marina no primeiro turno. Contudo, contra o ódio da classe burguesa, hoje vou votar na Dilma, mesmo não a achando a candidata ideal. Pois, como Regina Duarte, eu também tenho medo. Mas meu medo vai de encontro ao dela. Uma historinha: ano passado tive que fazer estágio pra conclusão do curso. Assisti a algumas aulas no Arquidiocesano, colégio católico e bem frequentado/situado. Não vi nenhum negro rondando pelo pátio. E, certo dia, a professora trouxe à sala o tema das cotas para os negros nas faculdades. Propôs uma mesa redonda e algumas questões a serem respondidas pelos alunos. Horrorizado, ouvi da boca daqueles jovens de treze anos os mais inimagináveis absurdos, como se eles fossem filhos de fazendeiros do século XIX. Naquele momento, eu, que sou contrário às cotas por outros motivos,notei, com grande pesar, que no seio de nosso solo pátrio está crescendo uma geração de nazistinhas, desses que queimam índios e espancam empregadas domésticas, no velho intuito de mostrar quem manda e em desespero de causa. Reconhecendo neles os filhos dos eleitores de Serra, declaro meu voto em Dilma, apesar de todos os imeeeensos pesares.

Não me queiram mal.

Abraços,
Léo.

Léo Nogueira disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Léo Nogueira disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Léo Nogueira disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anónimo disse...

Samuel.

esta estrofe está errada:
"No carnaval que vem também com o povo
Meu bloco de ouro vai cantar ópera"

bloco do MORRO...

no mais foi uma grande escolha nossa querida amiga teresa cristina...

Léo Nogueira disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
samuel disse...

Anónimo (15:27):

Obrigado! Já está corrigido. Aproveitei até para comparar melhor a versão escrita com a cantada... e deu para encontrar mais dois pequenos acertos para fazer.

Abraço.

samuel disse...

Léo Nogueira:

Grande abraço, por sobre "Tanto mar" :-)))

César Ramos disse...

Não vou fazer apologias religiosas mas sempre ouvi dizer que Deus é brasileiro! Por isso, o Ratzinger bem pode ir tirando o cavalinho da chuva - que está a cair bastante -, porque a sua voz de burro não subirá ao Céu.

O mal encarado tem uma pontaria doida para dar tiros nos pés!
Nem ao menos sabe que não é com vinagre que se apanham moscas e, que, cada vez mais, vai ficando com o seu rebanho mais despovoado.

Só 'supersticiosos' ainda se revêem nas ladainhas do pedante!

Tenho fé no verdadeiro Deus... que é o Povo e na sua proverbial sabedoria, e acredito que ELA vai ganhar!

Isto é: O Brasil e o Mundo ficará melhor com a vitória de DILMA.

Cumpts.
C.R.

Léo Nogueira disse...

Desculpem o excesso de comentários repetidos. Quando postei, deu como longos, assim que pensei que não haviam ido. Já os apaguei.

samuel disse...

Léo Nogueira:

Não era problema, companheiro. Eu mesmo poderia ter "editado" as repetições...

Abraço.

eduricardo disse...

E agora o pastor Bento
chorará a sua derrota porque o povo não ouviu as suas indicações de voto.
É pena que, como diz a canção,
«carneiros é o que mais há
uns de finos modos
outros vis por desprazer...
Mas carneiros todos
com carne de obedecer.»

César Ramos disse...

E, Pronto!

Como dizemos, a vitória poderá ser difícil, mas é nossa!

O Brasil ganhou, porque Dilma venceu!

Um abraço a todos...
César

Anónimo disse...

Por causa deste merceeiro alemão e de outros que o antecederam é que eu deixei de gastar daquela loja,vinha quase tudo embrulhado em papel com cianeto.JOÃO XXIII QUE SAUDADE.