sexta-feira, 29 de outubro de 2010

Capoulas Santos – Sim! No Alentejo ainda há chaparros...




Já que falei aqui do professor, maestro e escritor João Luís Nabo, logo no post seguinte e porque a vida é feita destes grandes e por vezes chocantes contrastes, hoje falo de uma outra figura montemorense que é Capoulas Santos. Num jornal cá da terra que se cruzou comigo no café, fiquei a saber que o aguerrido militante do PS foi eleito para a direcção máxima do seu partido no distrito de Évora, tendo ganho as necessárias eleições com uma percentagem de votos que agora não me ocorre, mas que foi daquelas bem acima dos 80% e que eles próprios gostam de apodar de vitórias “à albanesa”. De qualquer modo, está de parabéns!

Fiquei ainda a saber, já que a entrevista era vasta, que Capoulas Santos e o PS têm planos gloriosos para o distrito no seu todo e para as suas autarquias em particular. Achei bonito... embora tenha ficado a pensar que Capoulas Santos não deve estar muito a par do trabalho miserável que o seu PS está a fazer em todo o País, incluindo portanto o Alentejo... mas enfim!...

Já estava quase a dar-me por devidamente informado, quando reparei que o grande político tinha ainda umas coisas mais para dizer, mas agora sobre Montemor-o-Novo, uma terra muito especial para si. Diz que vai apostar num “projecto ganhador” para a Câmara Municipal, que isso é muito importante para o nosso futuro e tal... e deu a principal razão que o galvaniza: «Qualquer dia o PCP está à frente da Câmara de Montemor há mais tempo do que Salazar esteve à frente do país!»

E foi aí que pensei: Olha que bela droga de camaradas tem este infeliz! Então até hoje, não houve uma alma caridosa que lhe explicasse que a CDU tem estado à frente do Poder Autárquico Democrático em Montemor, desde o 25 de Abril, concorrendo a eleições e ganhando-as, de forma limpa e livre? Não há uma alma caridosa que lhe explique a diferença entre ganhar eleições livres em democracia e o regime fascista de António de Oliveira Salazar?

Ou então, quem sabe?, já alguém tentou... mas ele não percebeu. Valha a verdade... e que os deuses me perdoem, mas vendo de perto, não me parece que ele perceba muita coisa seja sobre o que for... ou então... fez confusão e a coisa saiu-lhe muito mal.

11 comentários:

Maria disse...

Espero sinceramente que o tipo não goste de empadas. Ou,. gostando, não as coma. Porque são mal empregadas... (ou empregues?)

Abreijos.
:)

Pisca disse...

Esta alminha desde que deu aquele espectáculo de comer a mioleira e lamber as beiças, piorou já que mesmo antes não era grane coisa

Parece um que num blog qualquer se queixava de na Camara de Almada a CDU continuar e não haver rotatividade. lá tive que lhe explicar devagarinho como convém o que é contar nem que seja pelos dedos

Um dia ainda vão descobrir uma forma de no caso de CDU ganhar uma Camara ou Junta, os votos expressos passem a contar só por metade ou um terço consoante o necessário para perder

Falta pouco

Anjos disse...

Há chaparros e são de dois tipos: os fixos - uma riqueza que embeleza a paisagem alentejana e os móveis que a conspurca - este e seus pares.

Suq disse...

O nabo em Vila Nova terra de "santos" e outros "contos".

José Rodrigues disse...

Dêcha-me "cápoulas" as palas no lado dos olhos para ser aquilo que eu pareço...

Abraço

Justine disse...

Esse senhor quis apenas fazer uma graça, pobrezinho! Não embirres com o homem, que ele deve estar com febre - já reparaste na cor dele????

Anónimo disse...

Voltou? Com semelhante discurso pode ir pelo mesmo caminho.Não precisamos de gente desta por cá, falam muito e pouco se aproveita. O homem sempre foi um nabo, chaparro, digo, e pelo que ele fez pela agricultura, não me pareça que distinga as espécies uma da outra.

Fernando Samuel disse...

Lá perceber, percebe, só que de patas para o ar.

Um abraço.

relogio.de.corda disse...

Ora aqui está uma óptima oportunidade que o meu "amigo" tem, para educar este senhor, dando-lhe umas boas "achegas democráticas" naquele cérebro. É que, há gente que vai para a política sem saber o mínimo indispensável.E...lá estou eu outra a vez, a criticar(desculpem-me; não tenho emenda).

Graciete Rietsch disse...

Eu estive em Montemor-o-Novo com a UPP(Universidade Popular do Porto) há uns anos e gostei imenso .
Ainda bem que o poder autárquico democrático ainda se vai mantendo apesar de alguns caciques se encarregarem de o ir desvirtuando.

Um beijo.

Apostol disse...

Numa Europa onde se afiam já as facas para a médio/longo prazo se ilegalizarem os partidos comunistas, comparando-os ao nacional-socialismo (pelos pares europeus do senhor em epigrafe e outros quejanos que também andam por aí), olhando a politica de trauliteiros psicológicos de que são peritos os colegas deste senhor, nada disto me estranha. Já agora, se a memória não me falha, o ministro da mioleira não foi este, mas outro, igualmente uma besta, o Gomes da Silva, no consulado do António Guterres