domingo, 2 de novembro de 2008

Mas onde é que eu deixei o lenço de papel?


Seja porque a história de vida e a memória da Piaf não deixam (quase) ninguém indiferente, seja porque esta estranha e extraordinária voz da Maurane há muito me tira do sério, seja porque estou (temporariamente) sozinho em casa e com saudades... a verdade é que logo nos primeiros versos deste "Hino ao Amor" fiquei com os olhos alagados.
Estarei a chegar à idade em que, tal como as crianças, por qualquer coisa se chora? Ora esta!...

Bom Domingo!

"L'hymne a l'amour" - Maurane
(Edith Piaf / Marguerite Monnot)


15 comentários:

Antuã disse...

Por vezes isso acontece quando ouvimos cantar aqueles que na juventude nos marcaram. Mas isso passa porque a luta é frente.

Maria disse...

Penso que estás a chegar à idade do conhecimento, Samuel, e de todas as emoções...
... que bom...

Dada a situação, passa um Domingo o melhor possível.

Abreijos
(ainda tens uns dias largos pela frente...)

salvoconduto disse...

Uma delícia de voz a desta Senhora.

Abraço.

Anónimo disse...

não estás sozinho, não!... nem a ouvir a cantiga!...
témi aloti...
vovó Maria

poesianopopular disse...

Pois é meu amigo, choramos por tudo e por nada como as crianças, e como elas tambem ficamos, mais dependentes, mas olha abençoada dependência no teu e no meu caso, e de mais alguns que nós conhecemos.
Abraço

amigona avó e a neta princesa disse...

Obrigada meu querido Samuel...obrigada por não me fazeres só sorrir!!!

Abreijos

Ana Camarra disse...

Samuel

Sou mais nova que tu e em certas alturas certas musicas, certas canções tem esse efeito.
O meu chorova com muitas, desde sempre, mais ou novo ou mais velho, chorava sempre com a Internacional, a Marselhesa ou o Hino da Alegria.
Acho que é só e apenas por seres um ser humano sensivél.

beijos

(Adoro Piaf)

duarte disse...

é preciso amor,é necessário ensinar a amar quem nos rodeia,só assim a fraternidade(que há muito se demora) ganhara o espaço que há muito lhe foi conferido.pois eu choro de tristeza e de revolta,choro do belo e do hediondo mas também choro de alegria...sou assim simplesmente atento ao que sinto.
tb gosto de PIAF

mifá disse...

As crianças, Samuel, só choram pelo que é verdadeiramente importante. Alguém já viu uma criança chorar por não ter dinheiro ou por não ter posição social? Ou chorar quando tem a fome mitigada e o sono em dia ? Não me parece.
Por outro lado, todos nós já vimos uma criança chorar ou porque se apercebe da violência através dos gritos dos pais, ou porque o seu sonho se esvai pelo céu com o balão que se lhe soltou do pulso, ou porque tem fome de pão ou de um mimo...
Só por coisas importantes...
Ânimo. Olha, e se serve de conforto, também pelos Açores, onde me encontro, o domingo está nostálgico até dizer "chega"!
Aliás, estou em crer que a nostalgia domingueira é uma realidade intemporal e universal.
Abraço.

Justine disse...

Felizes os homens que deixam os olhos alagarem !
E ela diz muito bem: não estás nada sozinho - distância não é ausência. E os amigos???

azulejosemlisboa.blogspot.com disse...

Samuel,
chorar pela alegria de amar, de ter saudades, de emoção, é lindo. Transmitir esse sentir aos outros é também uma mensagem de amor. Obrigada.

O Puma disse...

De facto hoje dia de finados não apetece rir - muito menos com compra de um banco falido pela Caixa Geral de Depósitos

anamar disse...

Ó sAMUEL, É DE CHORAR E CHORAR POR MAIS... ENTAO VÁ ATÉ Á MAURANE A CA NTAR BREL.... E NAO HÁ LENCINHOS QUE CHEGUEM.....
EMOCIONE-SE HOMEM, FAZ BEM ÁS VOSSAS(DELA) ALMAS... C EST L AMOUR...
ABRAÇAO
Ana
(eu tambem choro, mas é por abandono definitivo...)

Fernando Samuel disse...

Então não é que mal aqui regresso me pões a chorar?...

Um abraço.

Cristina disse...

Lindo, Samuel!
Não me importo de chorar emocionada com a beleza, sabe? Traz paz à minha alma.

Um abraço,

Cristina Loureiro dos Santos