segunda-feira, 24 de dezembro de 2007

E a cereja sobre o bolo...


Acabou! Chegados a dia 24, acho que chega. Não vou impingir mais músicas de Natal aos amigos. Convido-vos a "avançar" para o Natal dos Simples, as famosas Janeiras, com o Zeca.
Abraços para todos!

Agora só para o Zeca.
Desculpa lá esta coisa do "bolo" e sobretudo chamar-te "cereja", mas é a paga pelas vezes que "saboreei" a carpete da tua sala em Setúbal, servindo de cobaia para reveres uns movimentos que ainda vinham frescos da sessão de judo no Clube Naval e depois de cortarmos caminho para casa, mais para passar naquela tasca dos choquinhos grelhados do que para realmente cortar caminho...
As costas ficaram "arruinadas" de vez, mas fazes-me muita falta, amigo!

"Natal dos Simples" - José Afonso (1983)
José Afonso (1968)

12 comentários:

Fernando Samuel disse...

Eu aplaudo: 1) o Natal dos Simples. e 2) o ponto final nas referências natalícias.

(em todo o caso, aqui ficam os desejos de um bom Natal para ti e para a tua família)

E venha o Ano Novo|

Maria disse...

Não pude deixar de sorrir....
Obrigada.
Um beijo

São disse...

QUE O GRANDE ESPÍRITO O GUARDE E A QUEM O ESTIMA, AGORA E SEMPRE!
Um abraço fraterno!

Fica só a mensagem, porque a emoção é intraduzível em palavras...

Isabel Faria disse...

Pois é, Samuel, agora é que me trocaste as voltas...o apertito na garganta não estava no programas!!!
Um abraço e o desejo de bons natais, o de amanhã, o de ontem e o dos outros dias todos.

Anónimo disse...

Viva o Zeca!
Viva o Zeca!

GR disse...

Antes, durante e depois do natal.
José Afonso, Sempre!
Mas adorei voltar a ouvir “Os operários de Natal”.
Foi uma grande e boa surpresa.

«Os amigos são o nosso bolo de Natal
Cada amigo nosso vale mais que um Pai Natal»
BOAS FESTAS

GR

avelaneiraflorida disse...

Sim, concordo completamente! A cereja!!!!!

Uma das mais bonitas de Zeca Afonso!!!!
"Brigados"por esta partilha!!!!
Bjkas, Amigo!!!

Anónimo disse...

Caro Samuel

Espero que por aqui o Natal tenha sido bom, com muita paz, e com a alegria possível
Uma curta ausência e já uma surpresa...ou um presente!
De Zeca Afonso, já nada mais há para dizer... apenas que cada vez mais ele, com as suas palavras, faz falta.

Um abraço amigo

MEG

(não entra o comentário doutra maneira)

gaivota disse...

Viva o Zeca, SEMPRE!!!
é sempre fantástico ouvir a sua voz, os seus temas, serão sempre, cantigas para sempre!

Mocho-Real disse...

Mais um homem que não morreu, cada vez mais viva é a necessidade da sua presença!

Ah, grande Zeca!

Um abraço.

Cristina disse...

Feliz Natal, Samuel. Com paz, saúde e alegria.
E com Zeca, sempre. No Natal e durante o ano...

Um abraço

Cristina Loureiro dos Santos

Anónimo disse...

Eu acredito em Deus, porque Deus me salvou a mim e aos meus homens quando cumprimos a nossa missão em Angola. Por vezes chegava a ir para a mata com quatro pelotões. Consegui com a ajuda de Deus que todos voltassem à sua terra, ao nosso Portugal que está doente, conforme dizia o General Spínola. Certo dia, muito perto do Natal, porque Deus me ajudou, consegui localizar uma mina anti-carro que estava preparada para me matar a mim e aos meus homens. Não tenho os meus bens terrenos, mas tenho algo que Deus me deu para poder transmitir aos que sofrem como eu, que por Ele seremos premiados, sempre, desde que n'Ele tenhamos fé:

CONTO DE NATAL
Certo dia estava Jesus
bem longe das aldeias
e o povo com sua cruz
sem ter barrigas cheias!?
-
e como já entardecera
Jesus qu'é nosso Irmão
viu lá que se esquecera
e providencia refeição!
-
e a seus discípulos diz
este nosso bom Irmão
fazei o meu povo feliz
dai-lhe peixe e o pão!
-
e pães são apenas cinco
e de peixes temos dois
num trabalho d´afinco
foram muitos, depois!?
-
E Jesus veio certo dia
ter cá à Cruz de Nora
a um certo José Maria
deitou seus bens, fora!?
-
com os poderes plenos
que lhe conferiu Deus
multiplicou lá terrenos
e deixaram de ser seus!?
-
Estava lá o São Mateus
qu'era perito em contas
diz-lhe o filho de Deus
lixa-me cabeças tontas!
-
Fez Mateus a escritura
os terrenos, eram cinco
e logo a Santa criatura
ao Eugénio, deu brinco!
-
Esse brinco era d'ouro
ai do mais puro metal
ali se gerou um tesouro
mais “rico” de Portugal!
-
São Mateus teve génio
e aliado a certo Correia
logo ali a cada Eugénio
ai deu o seu pé de meia!?
-
São Mateus teve ajudas
na Nora de certo Serpa
São Mateus e um Judas
na Cruz jogaram à lerpa!
-
lerpou um Constantino
e a sua Perpétua Maria
e pela via dum destino
um seu neto, Zé Maria!
-
diz-na na encruzilhada
quando vão pró monte
qu'há a pessoa passada
na Nora perto da Fonte!
-
e essa Nora tem a mina
de muito metros no chão
e é lá que inda s'ensina
o que fez Judas d'então!
-
Lá na Torre, a Soledade
diz que custa viver só
à sobrinha por piedade
dá-lhe tudo, por ter dó!
-
De Inverno caem neves
a premeiar certo António
e dançam todos Neves
lá ao som de harmónio!
-
Pisco