domingo, 13 de março de 2011

José Afonso – Oh que coisas eu já via...



Ando há muitos anos na companhia das canções do Zeca. Ultimamente ainda mais. Porque faz falta, porque são actuais e actuantes, porque não me apetece embarcar em comparações deslocadas entre músicas de intervenção antigas e de agora. Daí que mais uma vez me tenha apetecido montar umas imagens num vídeo, desta vez sobre a canção “Qualquer dia”, com letra de Fernando Miguel Bernardes e música do Zeca, do disco de 1969 “Contos velhos rumos novos”.

Qualquer dia é um desabafo. Qualquer dia, é um aviso. Qualquer dia, é uma promessa. Qualquer dia... será o dia.

Tal como o Zeca, também eu, no inverno ganhei ódio... e juro que o não queria!

Bom domingo!

Qualquer dia
(Fernando M. Bernardes/José Afonso)

No inverno bato o queixo
sem mantas na manhã fria
No inverno bato o queixo
Qualquer dia
Qualquer dia

No Inverno aperto o cinto
Enquanto o vento assobia.
No inverno aperto o cinto
Qualquer dia
Qualquer dia

No Inverno vou pôr lume
Lenha verde não ardia.
No inverno vou pôr lume
Qualquer dia
Qualquer dia

No Inverno penso muito
Oh que coisas eu já via
No inverno penso muito
Qualquer dia
Qualquer dia

No Inverno ganhei ódio
E juro que o não queria
No inverno ganhei ódio
Qualquer dia
Qualquer dia.
“Qualquer dia” – José Afonso
(Fernando Miguel Bernardes/José Afonso)



12 comentários:

Maria disse...

Ouvir Zeca é sempre bom, reconfortante, e ouço-o sempre com alguma emoção.
Qualquer dia, sim! Mais cedo do que tarde.

Abreijo.

vovó disse...

pis é. AmigaminhaMaria! :)
acho que mais cedo do que se pensa!...
beijocassssss
vovómaria

Swt disse...

Sempre que aqui escreve sobre José Afonso gosto de levar para a página da escola.
Este post só dava levar metade pelas razões óbvias...
Mas talvez, daqui a uns tempos, o possa vir aqui recuperar...

Dona Sra. Urtigão disse...

Eu diria " excelente" se não fosse uma tragédia...

trepadeira disse...

Ganhei ódio,claro,mas também raiva,raiva daquela que nos faz lutar,lutar contra o que nos fez ganhar ódio.
E juro que o não queria,e por isso mesmo,não ocupou o lugar da amizade,da esperança,da vontade de avisar a malta do que faz falta.

Um abraço,
mário

Fernando Samuel disse...

Magnífica e oportuníssima montagem.

Um abraço.

José Rodrigues disse...

Epectacular, emocionante e é preciso avisar a malta...


José Rodrigues

Maria disse...

... E ainda é inverno neste inferno desflorado...

Maria Pereira

Aristides disse...

Como as palavras do Zeca são oportunas e actuais! Para nosso mal, diga-se...
Abraço

Graciete Rietsch disse...

Muito linda a montagem. Parabéns.
Ainda é inverno mas qualquer dia, qualquer dia...será dia "queira ou não queira o papão".

Um beijo.

Justine disse...

Qualquer dia...que seja nos nossos dias!
Calção forte, forte o teu post!

Ana Martins disse...

Acho que todos ganhamos ódio no Inverno e não queríamos. O que vale é que a seguir fazemos a Primavera!

Abraço