quarta-feira, 8 de junho de 2011

Comissão de gestão de danos... até que venham dias melhores


O facto de o secretário-geral demissionário do PS se ter despedido dos seus companheiros de aventuras com um comovente «Adoro-vos!», não altera a realidade. E a realidade é que esses companheiros estão com um problema sério nos braços.
Afastada a hipótese de António Costa pegar no estandarte que Sócrates deixou cair, dando a “atendível” justificação da fidelidade ao seu projeto na Câmara de Lisboa... e assim se livrando do pesadelo de ir passar os próximos meses, ou talvez anos, à frente de um PS a tentar fazer oposição a si próprio, quer dizer, às consequências das suas políticas miseráveis dos últimos anos e ao verdadeiro “programa de governo” que deixou em herança ao PSD, ficam em cima da mesa (ou do muro) as possíveis candidaturas de António José Seguro e de Francisco Assis.
Não me atrevo a fazer sugestões... até porque considero as duas soluções igualmente interessantes.
Com António José Seguro, teremos a oportunidade de, todos os dias, ficar a saber mais um pouco sobre a sempre fascinante “teoria do vácuo”.
Com Francisco Assis (que já se posiciona na corrida), teremos a oportunidade de assistir à reedição, com vários anos de intervalo, dessa espécie de “socialismo de direita” que ficou ligado à (lamentável) figura de Tony Blair, mas numa versão portuguesa... e muito mais despenteada.
Nenhuma das hipóteses beliscará no que quer que seja o prévio acordo de submissão com a “troika”.


9 comentários:

Antuã disse...

O PS não tem hipóteses de mudar de rumo. Tem monstros a mais nas suas fileiras.

do Zambujal disse...

Eu cá, assis por assis, seria capaz de apostar pelo seguro.
Mas não aposto nada porque não jogo esses joguinhos de azar!

Abraços

Anónimo disse...

Samuel
O AJS é aquele que antes de ser já era e o FA é a picareta falante. De qualquer modo são ambos de direita por isso vamos ficar no mesmo.
Vitor sarilhos

Justine disse...

Sabes que mais? Venha o diabo e escolha! Parece uma matilha de cães esfaimados à volta de uns ossitos...

Eduardo Miguel Pereira disse...

Samuel,

deixa-me acrescentar ao despenteado, o termo, oleoso.

O gajo tem alturas em que escorre óleo daquela cabeçorra, pá !
Tem cá um aspecto de "desabanhado" que é obra !

Anónimo disse...

Gostei da fotografia escolhida para o texto. Parecem três autênticas figuras de banda desenhada. Três caricaturas. Até dá vontade de lhes chamar "Flip", "Flap" e o "Flop".

(Jorge)

Graciete Rietsch disse...

O PS é o PS . Não há,a secretário geral que o salve.
Assim o quis Mário Soares quando chamou o seu amigo Carlucci,para evitar os"desvios" que parecia estrarem a acontecer.

Um beijo.

carol disse...

Olhe, e eu, que sou uma PS assumida desde 75, até lhe dou razão!

Infelizmente...

Fernando Samuel disse...

O acordo de submissão é uma questão arrumada: por um dever de honra estilo PS é para cumprir por qualquer deles...

Um abraço.