segunda-feira, 6 de junho de 2011

Pós-reflexão


Aqui numa conversa entre mim e eu próprio, diria que não tenho motivos para festejos. A hecatombe do PS pouco me alegra (mesmo sendo mais que merecida); a copiosa derrota do BE foi cavada por eles próprios e está longe de ser coisa que me anime; o facto de quase metade dos eleitores não se dar ao incómodo de querer saber (nalguns lugares, bem mais de metade!), é profundamente desanimador; a consolidação dos meus amigos da CDU (à hora a que escrevo parece-me que até com algum reforço), sendo obviamente motivo de satisfação, não é, como já disse, razão para grandes festejos.
Então, sendo assim, porque dianho é que estou com este meio sorriso que persiste em desenhar uma ténue linha ascendente de um dos lados da boca?
Primeiro, porque desta vez é que é! Sócrates sai de cena e é legítima a esperança de que a mentira passe, gradualmente, a ser exatamente e apenas isso, mentira... e não "pontuação" nos discursos oficiais do primeiro-ministro.
Segundo, porque estes figurões que chegam... e nalguns casos, voltam ao poder, dirão ao que vêm, governarão à direita... mas sem dizerem que são de esquerda; aplicarão as medidas recessivas e imporão os sacrifícios aos trabalhadores, enquanto enchem os bolsos dos amigos... mas sem se proclamarem defensores do estado social; tentarão destruir a nossa Constituição de Abril, tentarão desregulamentar e precarizar ainda mais o trabalho, liberalizar os despedimentos, privatizar tudo o que o capital cobice, atacar a saúde e o ensino públicos... mas, para meu grande alívio, farão tudo, tudo isto, exatamente como o governo de José Sócrates já fazia... mas sem se dizerem socialistas!
Uma coisa podem ter por certa: contarão com a firme oposição daqueles que sempre estiveram (e estarão) na disposição de a fazer. Onde quer que estejam. Na Assembleia e fora dela.
...mas isto sou eu a falar com os meus botões.

15 comentários:

Fir disse...

Percebo-o perfeitamente. Mas o facto de eles não se dizerem socialistas consola-me pouco.

JP disse...

Pequenas vitórias:
i) CDS não tem mais deputados que PCP, PEV e BE juntos;
ii) PCP, PEV e BE somam 24 deputados, mais 1 que o mínimo necessário para enviar directamente para apreciação do Tribunal Constitucional projectos que considerem estar nas franjas da lei nacional;
iii) A LUTA CONTINUA!
Saudações.

ae disse...

Alentejo rosinha. Que vergonha.

Zé Canhão disse...

A partir de hoje abriu a caça ao coelho. Convém não falhar tiros porque os coelhos são muitos, uma verdadeira praga.

Graciete Rietsch disse...

As pequenas vitórias a que JP faz referência a que acrescento mais um deputado da CDU, também me trazem um pequeno sorriso. Mas é pouco e a luta continuará mais dura.

Um beijo.

Anónimo disse...

Samuel
O mais grave de tudo o que se vai passar é que a partir de hoje dia 6 em todos os locais publicos aonde fores ou estiveres vais ouvir que ninguém neste país votou no PPD ou no CDS.
Vitor sarilhos

Anónimo disse...

Estas eleições terão, ao menos, a função de saber quem é quem?!!!....
Nós com o nosso trabalho e quanto ele é árduo, pois não temos a comunicação a dar-nos voz! Conseguimos não só mantermos o que já tinhamos e ainda juntar mais um "pauzinho" à nossa engrenagem. Que bom é!
A LUTA CONTINUA! MAS QUE LUTA!!!....
Saudações.
Vicky

Suq disse...

Já tiraram o carapuço?!!!!

Eduardo Miguel Pereira disse...

Já somos dois, Samuel.
Hoje acordei mesmo "estremunhado", quando podia ter sido uma manhã radiosa.
A luta continua, de facto, mas com decisões destas por parte de quem vota (e de quem não vota) torna-se tudo mais complicado.

Será caso que é preciso chegar à fome extrema para lá chegarmos ?

Fernando Samuel disse...

Muito importante é, a meu ver, o facto de irem fazer a mesma política de direita mas assumindo-se de direita.
(em todo o caso, no que me diz respeito festejei o resultado da CDU...)

Um abraço.

LAM disse...

Quantos dos 2.797.646 que votaram nos partidos da direita (e de borla aqui excluo os 1.557.864 que votaram no PS), estarão hoje às portas dos centro de emprego, quantos desses até disso já desistiram. Quantos enchem diariamente os hospitais e centros de saúde, reclamando dos incomportáveis preços, para as suas bolsas, das chamadas "taxas moderadoras". Quantos irão hoje trabalhar para ganhar um salário de merda, com a consciência que, mesmo essa ninharia que levam para casa, pode acabar de um dia para o outro, que a empresa ameaça fechar já há uns meses. Quantos irão acordar, daqui a uns tempos, sabendo que o melhor futuro que desenhavam para os seus filhos, vai ser restrito por preços a que eles nunca chegarão. Está tudo doido. Este povo passou-se.

(não liguem muito a isto, Estou com a alma pior que o chapéu dum trolha).

k7pirata disse...

A direita vence e Portugal mais dia menos dia terá Jean Marie Le Pen´s a "dar com um pau".
Toda a esquerda desceu em comparação com 2009. O BE (valha-me jESUS) perde 268.973 votos. A CDU apesar de aumentar para mais um deputado (agora 16) obteve em 2009 446.172 votos e agora em 2011 obtém 440.863 votos, ou seja, menos 5.309 votos, Isto sim assusta.
Abraço

carol disse...

Ó Cantigueiro, não vá em cantigas! Estes fulanos que finalmente conseguiram "ir ao pote" são muito diferentes dos que lá estivera. Para pior. Para muito pior!

samuel disse...

Carol:

Provavelmente... seja como for, faz mais sentido, mesmo perdendo, dar luta a alguém que nos enfrenta dizendo que nos vai assaltar... do que ser apunhalado pelas costas por alguém que vai repetindo ser nosso amigo.

Saudações.

Maria disse...

Pois eu também festejei o resultado da CDU! Longe, mas festejei! Com um tinto do Alentejo!

:)