quarta-feira, 22 de junho de 2011

Ricardo Costa – Jornalista exemplar, comentador isento


Ricardo Costa (na imagem), o funcionário de Francisco Pinto Balsemão que, presentemente, ocupa o cargo de diretor do semanário “Expresso”, estava debitando “opiniões” sobre vários dos novos ministros numa estação de televisão também propriedade do seu patrão.
Por volta dos 4 minutos e trinta segundos deste vídeo e depois de tecer rasgados elogios ao currículo e competência do matemático Nuno Crato, que passa a ocupar a pasta da Educação, Ensino Superior e Ciência, achou por bem tentar “imaginar” aquilo que acha poder vir a ser a futura relação do ministro com os professores e com o secretário geral da FENPROF, Mário Nogueira. Destaco estas verdadeiras pérolas:
«Se os professores forem ler aquilo que ele escreve e o seu pensamento… vão ter ataques cardíacos.»
«Uma pessoa que é totalmente contra o facilitismo, a ideia das crianças não chumbarem, de os professores terem pouco trabalho, de os professores não terem tantas dificuldades…»
«Será provavelmente o pior ministro que Mário Nogueira poderia imaginar. Só num pesadelo é que lhe aparecia um ministro destes.»
Claro que do lado dos professores e de Mário Nogueira existem preocupações legítimas, preocupações que têm mais que ver com as políticas que vão ser aplicadas, do que com nomes... mas esta provocação gratuita feita aos professores e a um dos seus mais destacados representantes, em horário nobre de televisão e sem contraditório, se diz pouco sobre o novo ministro e coisa nenhuma sobre Mário Nogueira, diz muito sobre o carácter do “jornalista” Ricardo Costa.

15 comentários:

Rogério Pereira disse...

Essa gente, vive contente
pois é-lhes bem paga a eficácia da mensagem...

Pata Negra disse...

Por essa ordem de ideias, ele é o melhor jornalista que o Mário Nogueira pode imaginar! São desses jornalistas que nós precisamos para ter contra quem lutar! O pior é que são muitos!

Venha um bom ministro, até pode ser este! Agora o que não podemos ter sempre, é especialistas de clínica geral, sempre a cagar sentenças sobre tudo e sobre nada e a incomodarem o trabalho dos profissionais!

Um abraço sem costas, marcelos, metêlos, carrilhos, tavares e outras meninas

João de Sousa Teixeira disse...

Há um ror de anos, embalados pelas histórias que contávamos um ao outro, eu, o Orlando Costa e outro amigo, fomos empurrando os nossos corpinhos até à Trindade para umas girafas com batatas fritas.
Às tantas, o bom do Orlando ria a bandeiras despregadas e, entre lágrimas (de riso) e reviravoltas ao bigode, atirou-me: - as tuas histórias são inacreditáveis, por que não as publicas.
Ele não as conhecia todas…

Abraço
João

Fernando Samuel disse...

Sim, diz quase tudo sobre a falta de carácter do criado do Balsemão.

Um abraço.

Aristides Rodrigues disse...

Andam "todos" muito excitados com a "qualidade" dos novos ministros. Então este penteadinho, barbeadinho, asseadinho do Ricardinho é de mais!
Talvez lhe sia o tiro pela culatra.
Abraço

Antuã disse...

Toda a besta tem direito à opinião.

cristal disse...

Se ele não falasse como interessa aos patrões, se calhar estava no desemprego ou com um lugar precário, de professor, a aturar as macacadas dos sucessivos ministros. A mim, o que me perturba mais, é precisamente a impossibilidade de contraditório, a impunidade com que estas criaturas jogam com as vidas de todos os outros e a alarvidade de uns milhares de portugueses que acham muito bem.

Graciete Rietsch disse...

Essa provocação já não é nova.
Quanto a Mário Nogueira li a entrevista que em nada justifica as palavras do jornalista que se deve ter esquecido que,sem professores, ele não era o que deveria ser,um jornalista honesto.
Os professores merecem respeito e consideração e Mário Nogueira é um digno representante e defensor da classe.

Um beijo.

Alberto disse...

O Pai deste cretino deve dar voltas no túmulo "sabendo" da espécime que cá deixou

Luis Nogueira disse...

Eu conheci o Orlando Costa, embora não conheça a mãe deste birbante. Mas ao pai, ele não sai.
Não saberá, o cretinoide, que o facilitismo, a demagogia da passagem à borla, a desgraça e o pantanismo a que o ensino (todo ele) chegou, se deve aos governos e não aos professores. Será preciso ser tão ignorante para se ser capacho do Chico Balsas?
Eu, para estes gajos, só tenho uma solução: primperan.

Luis Nogueira

Fir disse...

Portanto, se acreditássemos neste "jornalista", poderíamos concluir que:

- os professores não leram nem conhecem o pensamento de Nuno Crato;
- os professores são todos a favor do facilitismo;
- os professores querem trabalhar pouco ou nada;

E ainda diz que o principal problema do Nuno Crato é não ter experiência governativa. Não é. O principal problema de Nuno Crato (a julgar pelas coisas que diz e escreve) é não ter o mínimo conhecimento da realidade das escolas.

Pedro disse...

Eu sou contra o facilitismo que permite a estes pseudo-intelectuais, especialistas em tudo no geral e em nada em particular, ascender ao ponto de virem para as televisões dizer todos os disparates que habitem naquela cabeça com o patrocínio de figuras como o patrão deste indivíduo

Anónimo disse...

Nota-se pela imagem escolhida (uma boa escolha) uma deficiência na fisionomia de Ricardo Costa que é, talvez, a subserviência à voz do dono. Os tiques usados, quando fala e a expressão do rosto é a de alguém que já pouco tem de original. Já quase tudo é artificial.

Maria disse...

Por acaso ouvi este comentário. Também por acaso li uma resposta dele a um blogger conhecido dizendo que 'não é anti-comunista' etc. e tal porque 'o pai dele foi militante do PCP desde os 20 anos'.
Gostava de lhe fazer uma pergunta que tem a ver com 'calças'!!!!

Abreijo.

Anónimo disse...

Samuel
E não foi esta merda que teve um HOMEM como pai?. E não foi também o mesmo HOMEM que foi o pai do criado do Belmiro na CML?. Os homens ás vezes quando põem os pés no ar deveriam estar quietos, mas então.
Vitor sarilhos