quinta-feira, 27 de agosto de 2009

Afeganistão – Eleições “justas”, para quem?



Enquanto alguns apontam inúmeras irregularidades e fraudes no processo eleitoral no Afeganistão, enquanto a morte é diariamente servida como prato principal pelos talibãs, ainda há poucos anos sob a protecção, financiamento e treino, dos norte-americanos, enquanto o criado da Casa Branca, Hamid Karzai, luta voto a voto para conseguir desempatar os malditos resultados das votações, observadores da União Europeia dizem que aquilo foi uma eleição justa.

Hamid Karzai, na tentativa de atrair mais uns votos, fez aprovar leis que, independentemente de costumes e crenças, deviam envergonhar qualquer ser humano, tal é a abjecção de princípios que defende, por exemplo, em relação aos direitos da mulher. Não resultou. Fica apenas o asco de ver os dirigentes ocidentais a assobiar para o ar, pois o que importa é fazer eleger o seu criado.

Não há como esconder. A operação dos EUA no Afeganistão é um estrondoso fiasco. O país é um barril de pólvora, a democracia afegã é uma anedota que vive apenas na cabeça de uns tantos hipócritas na Casa Branca e na CIA e meia dúzia de tontos, espalhados pelo mundo, cuja função é aplaudir tudo o que Washington decide, mais os lacaios... que o fazem de forma calculada e consciente.

Ainda sou do tempo em que, quando a CIA decidia intervir, digamos, num cenário político que lhe fosse adverso, comprando e promovendo políticos locais que estivessem dispostos a colocar-se ao seu serviço, faziam-no de maneira a garantir resultados que durassem mais de trinta anos, pelo menos. Como fizeram na nossa Revolução de Abril... e com Mário Soares. Lembram-se?

Já nem a CIA tem a competência que tinha...

13 comentários:

Maria disse...

E alguma vez esqueceremos o papel que tanto a cia como o outro tiveram aqui mesmo, depois de Abril?
Felizmente temos memória.

Abreijos

salvoconduto disse...

Estão atolados até ao pescoço, mas ainda lhes vai chegar ao nariz...

Abraço.

Daniel disse...

O Ocidente, seja lá o que isso quer dizer, estragou quase tudo onde se meteu. Basta ver a terrível herança colonial, que criou países artificialmente forjados onde só havia tribos e as suas leis, como é o caso do Afeganistão, vindo do domínio da omnipresente coroa britânica.

tina disse...

Eu lembro, Samuel.
Mais,nunca me esquecerei.

Quanto ao Afeganistão--vi há dias um documentário na Sic,que me tirou ainda mais o sono,sobre como se nasce/morre.
O sofrimento das mulheres e recém-nascidos.E os homens preocupados com o dinheiro para comprar outra mulher...


E esta última lei,desse vendido, karzai,que vergonha!

Não o sol qd nasce não é para todos.

Um abraço
Tina

Fernando Samuel disse...

Ou seja, na opinião dos ocupantes as eleições no país ocupado foram justas...

Um abraço.

J.S. Teixeira disse...

É esta a "democracia" dos EUA e da NATO e continua a ser apoiada pelo Barraca Abana.

Vergonhosa esta situação.

oasis dossonhos disse...

Não Esquecemos! (como disse Maria)
E porque não mudámos de lugar, é com vómitos que lemos,ouvimos e vemos as notícias sobre os Karzais e outros figurões fatais.
Como escrevi ontem num blogue amigo,
"O vento há-de mudar, e as milady, como dizia Cesário Verde, arrastarão os trastes - sem utilidade - onde se empoleiram para dizer que mandam.
E por causa dessa desigualdade, quanta ruína e pobreza.E guerra.
Porém, um moinho não é só um moinho - é uma ruína do que foi e aquilo que não permitiram que fosse.
Nós somos moinhos parados à espera do vento que mudará tudo.
"Isto vai, camaradas, isto vai"- recordo Ary na nossa Festa...
Abraço
Luís

Manuel Norberto Baptista Forte disse...

Eleições não própriamente com resultados em que possa dizer mais erro menos erro o acto em si foi justo e democrático. Daí que nas condições em que se deram, foram injustas para o Povo Afegão.
"A operação dos EUA no Afeganistão é um estrondoso fiasco." Como o foi no Vietname, e no Iraque. As tropas Americanas e Inglesas não estão preparadas humanamente para lidar com este tipo de guerra pós-invasão; têm é poderio bélico e mais nada, mas saem de todod o lado com uma mão à frente e outra atrás.
Deixam em suma Países destruídos, e os seus habitantes entregues tristemente à sua sorte, e acaso.
Uma vergonha internacional que ofende qualquer cidadão que pense um bocadinho, só.

Irlando disse...

Eleições justas para os "americães"
claro. Caso contrário,não faltariam as manifestações "democráticas",organizadas espontâneamente.

Anónimo disse...

Samuel e cá nos nossos 74 75, não esquecer tambem o KGB, os espiões da ex-RDA, alíás como os da Alemanha Ocidental, em suma nessa época tivemos as duas superpotências, países aliados, a auxiliarem os partidos amigos de cada lado, e a intervirem directamente no nosso PREC.

O KGB, inressava-lhe mais a situação nas colónias portuguesas, Angola em particular, a CIA estava mais preocupada com Portugal.

Mas os objectivos de cada superpotência nada tinham a ver com o interesse dos povos, sejam o de Portugal ou o de Angola.

N.Guereiro disse...

Com respeito ao Afeganistão,as eleições ao contrario do que se pensa,pouco importam para os EUA,visto que os mesmos atraves de Brezzinsky financiam ambas as partes,tanto o governo de Karzai como os Talibans.
A unica estratégia que importa ali,é garantir a construção do pipeline do Mar Cáspio e a produção de Ópio e Heroina que a familia Bush controla á mais de 1oo anos.
Aliás imediatamente 2 dias a seguir ao controlo dos Talibans sobre a Aliança do Norte nos campos de Papopilas,o plano de invasão do Afeganistão estava devidamente preparado e colocado em marcha.

Em relação á CIA estar envolvida em Portugal logo a seguir ao 25 Abril com Agentes Portugueses, não esqueçer que a mesma nunca deixou de ter a politica Portuguesa bem controlada através de seus Fantoches politicos Marionetas....ou secalhar pensavam que a presença de BUSH senior na tomada de posse do nosso (deles)tão querido Prof Drt Cavaco Silva,se ficou a dever por questões de fortes amizades...." Conta-me Historias de ti..lá lá lá lá lá Conta-me historias de ti "

Aliás,O prof Cavaco nem precisou de abrir a boca em campanha á presidência.....mas que grande Coincidência eihn !!!

Ah Pois é.....Sou parvo mas não sou estupido !!

Juvenal disse...

A propósito da morte de Edward Kennedy, O Expresso conta:

"Em 20 de Novembro de 1974, Ted Kennedy esteve no Expresso para um pequeno-almoço de trabalho com directores de diversas publicações nacionais.
A visita de Kennedy a Portugal foi integrada numa estratégia para mudar o rumo dos acontecimentos após o 25 de Abril."

http://aeiou.expresso.pt/a-visita-de-ted-kennedy-ao-expresso=f532700

samuel disse...

Maria:
Excelente memória...

Salvoconduto:
Esperemos.

Daniel:
É uma espécie de sina...

Tina:
Não... ainda não.

Fernando Samuel:
Mesmo “à justa” para os seus interesses...

J.S. Teixeira:
É a única democracia que conhecem...

Oásis dos Sonhos:
Boa lembrança...

Manuel Norberto:
Hoje, quase tudo em que os EUA põe as patas é um fiasco, só que eles, os cidadãos, ainda não são autorizados a sabê-lo...

Irlando:
Isso seria certo...

Anónimo:
Mesmo a “ponta de verdade” que há por aí... não impede que essas misturas sejam pouco saudáveis.

N. Guerreiro:
Quando os EUA falam em defender os seus interesses, não estão, de todo, a brincar...

Juvenal:
Para quem tivesse dúvidas...


Abreijos colectivos!