segunda-feira, 2 de dezembro de 2013

Muito obrigado, Eugénio de Andrade!


Todas as coisas têm um tempo de vida. Um ciclo natural. Apesar de esse ciclo e esse tempo poderem ser acelerados por qualquer factor involuntário... é assim.
Este blog não é diferente de tudo o resto!
Na verdade, a minha luta diária, luta que continuará (já não tenho “pachorra” para mudar!) naquilo que realmente conta e que é a minha verdadeira função, ou seja, a minha música, a possibilidade de a cantar ao vivo, de juntar pessoas à volta de um mesmo sonho por intermédio de uma canção cantada em coro, continuará. Continuará na relação directa com quem me rodeia, realmente... e não com aquilo que escreva ou deixe de escrever no mundo virtual.
Essa “relação” virtual com milhares de pessoas ao mesmo tempo, ficará reservada, por exemplo, ao “facebook”, onde tratarei de deixar, de vez em quando, um ou outro desabafo e uma ou outra opinião livre... mas mesmo aí, tentarei concentrar-me mais em temas que se liguem à minha profissão.
O blogue, este blogue, revelou-se um factor de distração que me ocupa tempo demais e que invade, como erva daninha, o terreno que deveria ser reservado à criação de projectos profissionais. Revelou-se ainda, apesar dos milhares de amigos e amigas que me leram, diariamente, uma fatalidade que me tem obrigado a manter contacto com uma espécie de seres a quem nunca dirigiria a palavra, gente cuja existência ou desaparecimento me são absolutamente indiferentes e que, ainda que eu poupe os leitores à abjecção das suas ideias e à porcaria da sua linguagem, não deixam por isso de, todos os dias, irem invadindo a minha privacidade com lixo, ameaças e mais lixo... e essa é uma espécie de pocilga em que recuso continuar a viver. O "convívio" involuntário com este "lúmpen fascista" e com a sua violência porca conspurca, suja, cria um clima de constante repulsa e irritação que não quero para mim! Deixar que os efeitos do contacto diário com esta "sub-espécie humana" acabe por prejudicar irremediavelmente a minha capacidade para me relacionar harmoniosamente com todos aqueles que amo e a disponibilidade para criar e fazer aquilo que realmente devo e quero fazer… é uma alegria que me recuso a dar-lhes!
Como em tudo na vida, há sempre uma coisa aparentemente insignificante que acaba por conseguir, num fatal safanão, partir o pequeno fio que liga uma pessoa a um qualquer sentimento. Neste caso, foi o advento de um “maduro” que não sei quanto tempo me irá perseguir para conseguir “aliviar-me” de umas centenas de euros que acha que lhe devo, por ter, em 2010, publicado uma fotografia que afirma ser sua, fotografia que encontrei na “net”, sem identificação alguma. Adiante!
Como disse, embora aparentemente insignificante, esta é a gota que entorna o copo onde estava guardada a pouca água que ainda alimentava este blogue.
Quem me quiser ler, terá sempre os esporádicos desabafos, ou anúncios de actividades profissionais, que divulgarei onde puder... nomeadamente, como disse, no “facebook”. Quem quiser um contacto mais directo, pode sempre juntar a vontade de me ouvir e as perguntas do tipo “para quando um espectáculo aqui na nossa terra?”... com a disponibilidade para, efectivamente, sair de casa quando esses espectáculos acontecem. E lá estaremos, de voz e braços abertos!
Para terminar com uma elevação que nunca conseguiria pelos meus próprios meios, socorro-me de um excerto, mais propriamente, das últimas palavras de um grande poema de Eugénio de Andrade, que dedico não aos amigos e amigas, dos quais obviamente não estou a despedir-me e a quem agradeço os bons momentos que por aqui passámos... mas a este blogue, que hoje acaba.
Não temos  nada para dar.
Dentro de ti
não  nada que me peça água.
passado é inútil como um trapo.
 te disse: as palavras estão gastas.

Adeus.

Eugénio de Andrade, in “Poesia e Prosa

76 comentários:

Relógio de Corda disse...

Mais um blogue que fecha portas! Fico triste... mas compreendo.
Sendo assim, encontramo-nos no "facebook". Não é bem a mesma coisa mas paciência.
Felicidades e boa sorte nas cantigas.

Unknown disse...

Que pena! Lia sempre os seus pensamentos, quase sempre coincidentes com os meus. Vai-me fazer falta amigo.
Sarabá!

Provoca-me disse...

Não gosto que decida deixar de publicar as suas posições e opiniões aqui. Desde que a camarada Fátima Rosa me falou do seu blogue, que tenho sido um leitor assíduo e com muito gosto. E é pena que decida terminar assim a sua caminhada aqui neste blogue seguido por milhares de pessoas, e por muitos camaradas, e pelos fachos também, e pode ser que algum tenha aprendido alguma coisa.

Não gosto mesmo que seja o fim. Mas se é a sua decisão, tenho de respeitar. E pronto, um até já. E obrigado pela sua escrita. Faça é um favor, não apague o blogue, pois tem muita música que deve ser seguida, e muitos textos que podem ser publicados de novo, isto enquanto não dermos cabo dos fachos e principalmente dos seus ideais.

Um abraço,

Pedro Marques.

Anónimo disse...

tenho muita pena.Era um dos meus blogues de leitura obrigatória quase diariamente... um dos blogues que com ironia, e sentido de humor dá-nos uma boa perspectiva dos dias que vamos vivendo.dá-nos uma visão lúcida do nosso lado...irei visita-lo no FB.
boa sorte
Mgantes

Anónimo disse...


com todo o meu apoio.

vovómaria

Mário disse...

Olá amigo Samuel.

Fazias, fazes e farás sempre falta, seja em que âmbito da expessão do Homem te encontrar.

Um abraço

Luis Filipe Gomes disse...

Lamento profundamente mas entendo o desgaste que uma lucidez assim provoca.
Vou passar a ir ao livro de fichas.
Um grande abraço.

Unknown disse...

Um abraço Samuel - e vemo-nos por aí!

anarquista nos tempos livres disse...

Samuel
As suas razões têm um peso esmagador, mas veio-me “à memória uma frase batida” de um tal de Lavoisier. O espírito “egoísta” deste velho (eu, sem “pachorra” para ter “facebook”) “acordou” e sugeriu-me uma proposta:
O Samuel criou este blogue, não deixe que o percamos e transforme-o; em vez de diário, que passe a ser semanal, quinzenal ou mensal. Contudo, se não aceitar este pedido, Até Amanhã, Camarada.
Um abraço “virtual”, nunca inferior, espácio-temporalmente, ao que une a FIL à Quinta da Atalaia.
Alberto

Beatriz Cunha disse...

Tenho muita pena de o ver partir. O seu blog representa para mim um farol de energia contestatária e ironia fina. Consigo, me revoltei, me indignei e me ri muitas vezes. Fazia parte das minhas leituras diárias e vou sentir bastante a sua falta.
Obrigada por tudo!

Maria disse...

Olha que porra. mas entendo-te.
Continuaremos as conversas à volta de uma mesa, com um panito e um quejito e un tintinho para não secar a garganta.

Bêjos.

EVB disse...

Compreendo, mas lamento muito. Vai fazer-nos falta, o "Cantigueiro". Fraterno abraço de um leitor e admirador do músico desde há muitos anos.

augusta disse...

Cantigueiro , Cantigueiro, onde vou eu buscar tanto quanto aqui nos davas... a minha passagem por aqui, em tempos de muitas tarefas, mesmo que a correr, sem deixar vestígios antes de dormir... o quanto por aqui aprendi. Até que ainda há gente que excede o limite superior da indignidade, gente tão odiosa e repelente entre os quais os tais que sem cara proliferam por aí. A esses damos-lhe o nosso desprezo, pelo menos eu, que sou uma formiguinha, mas tenho aí o meu nome e a minha cara bem visíveis, lhes dou o meu.

A ti, Samuel, que desde os meus tempos de estudante conheço, agradeço por tantas, tantas partilhas. Pela meia-noite de todos sábados em que uma musiquinha esperava... Por tudo.

Em Santo Tirso e uns jesuítas com carinho à tua espera... ou proximidades, aparece, entre gente anónima que te admira mas com cara descoberta, para te agradecer, aplaudir, desafinadamente cantar contigo, como em tempos outros ...PRESENTE!

Claro que fiquei triste, mas com quem gosto e admiro não posso ter egoísmos. Ver-nos-emos no facebook, onde tantas partilhas, que mais uma vez agradeço, me deixavas. Que seja o melhor para ti.

Deixa-me ainda dizer-te o quanto adorava a categoria com que às bestas sem nome nem cara, exemplarmente respondias.

Beijinho e muito obrigada.

augusta disse...

mas claro que te entendo. muitas vezes comentei com um camarada meu de Baião que por vezes me telefona, os teus posts, a tua capacidade para seguir em frente, as tuas respostas a esses que tais...

Na luta por um mundo outro, contigo e com quem é correcto como tu, sempre!

Aislin disse...

Olá Samuel!

Foi, atónita, que recebi estas suas últimas palavras como O "Cantigueiro".

Depois de bem perscrutadas, abstive-me de ler os comentários porque são um exercício intimo de cada um.

Acho que o compreendo. E acho que é precisa uma coragem imensa para, por amor a uma causa, se libertar algo que fizemos nascer para que permaneça incólume e de certa forma puro de acordo com os princípios com que foi fecundado.

Admiro-o mais por isso porque sei não ser uma decisão nada fácil.

Mas essa decisão só fez com que "O Cantigueiro" permaneça eterno e vivo!

Obrigada e até já!

Sandra Costa

trepadeira disse...

Se ainda é possível um prazer fundo na vida, era aqui, neste belogue, todos os dias.
Não tenho, nem capacidade, nem jeito, para convencer quem quer que seja, fica o desgosto e a saudade.
A esperança de uma reconsideração, lembrando todos os apelos.

Um abraço fraterno e solidário,

mário

Antonio Garrochinho disse...

fico triste pelo terminar do Cantigueiro um blog que sempre acompanhei e divulguei. Deixo um abraço ao Samuel e felicidades.

Aristides disse...

Samuel:
O leitor diário do Cantigueiro que sou fica triste, mas claro que entendo. Fico com pena por se perder um espaço de lucidez e ironia. Entretanto um grande abraço e até sempre (ou até à Festa, pode ser que seja na próxima)

Reaça disse...

Sinto-me um bocado culpado.

Mas acho que nunca fui ordinário como alguns.

Anónimo disse...

É pena.Muita.
Quem sabe se um dia num espaço com mais malta, ou como diz o Alberto, com uma outra periodicidade.

É pena.Muita.
Mas acho que te compreendo.

Um abraço forte
De

Anónimo disse...

Deixe lá, o pc e todos os progressistas só ficam a ganhar com o encerramente deste blog. Talvez não desse por ela, porque a cegueira o impedi-a, mas nem imagina, com as coisas que aqui escrevia, o mal que fazia ao pc...

Trabalhe naquilo em que é bom: na música.

Saudações

António Ramos

São disse...

Samuel, respeito-te, evidentemente, mas lamento a decisão.

Ainda que perceba o teu cansaço , não poderás publicar , por exemplo, de quinze em quinze dias?

Sem dares tempo de antena a nenhuma dessas cobardes criaturas , que nem as excelentes respostas que ao longo do tempo lhes tens dado, merecem.

Estamos ligados no facebook, mas eu vou lá pouco, porque não é um mundo que me interesse: é o largo da aldeia global...

Abraço enorme para ti e vovó Maria, com votos de felicidade e saúde em companhia de quem amam!

Maria João Brito de Sousa disse...

Lamento profundamente... mas entendo, Samuel. Ó se entendo!


O meu abraço!

Orlando Gonçalves disse...

Samuel

Raramente faço comentários, limito-me a ler. Posso dizer que este, para mim, era um blog obrigatório , diariamente. Fico triste, com pena que o Samuel tenha decidido o seu fim. Penso que ainda tinha muito, mas muito contributo a dar. Compreendo a falta de tempo, compreendo o vicio que era escrever, mas estou como diz um amigo meu, quem sabe fazer alguma coisa bem feito, nunca deverá deixar de o fazer. Concordo com ele, tu sabes transmitir escrever, e bem, e como eu gosto de gente que saiba escrever. tenho pena, quem sabe se... Com certeza que nos vamos ver por aí. Ontem passei por Montemor-0-Novo a caminho de Mora ( Fluviário ) lembrei-me de ti e da Maria. Um grande abraço, camarada.

Jorge Aragão disse...

Samuel...
Muito obrigado por tudo... Vou sentir a falta do "Cantigueiro"...
Hasta siempre...

lino disse...

Até sempre, amigo!
Um forte abraço solidário

Anónimo disse...

Muito temos para dar.
Dentro de ti há uma enorme necessidade de dar água a quem tem sede de mudança e o futuro reclama a tua presença...
Até amanhã

jrd disse...

Na coluna "Grande, grande é a Viagem" do meu blogue o teu "Cantigueiro" foi sempre uma escala obrigatória.
Espero e desejo continuar a ver-te e a ouvir-te por aí.
Um grande e solidário abraço

Antuã disse...


A mim vai-me fazer muita falta. a solidão vai aumentar. Até sempre.

Graciete Rietsch disse...

Querido amigo Samuel
Não quero acreditar!!! Nem sabes quanto me vai custar deixar de aprender com este blog, tantas vezes sorrindo, mas sempre aprendendo.
Já perdemos o CRAVO DE ABRIL, agora o CANTIGUEIRO.É muito triste.
Mas fica a certeza do muito que contribuiste e continuas a contribuir para a construção do MUNDO no qual o SOL NASCERÁ REALMENTE PARA TODOS.

Um beijo cheio de saudade.

Anónimo disse...

"Já não tenho pachorra para mudar"... isso sim, Samuel, é bom. Canta, canta amigo canta, sempre...
Ficamos mais pobres sem a tua lúcida perspectiva das coisas: mas tens razão, dar tempo de antena a reaccionários, já chega o que os media lhes dão.
Um abraço, sempre nos vemos aqui e ali e tu nem me conheces (mas eu sempre te (re)conheci) e conheço quem te conhece!)
da bettips

Antuã disse...


Logo havia de ser no dia em que faz 5 anos que foi enterrada a minha companheira que faleceu no decorrer do Congresso do PCP no Campo Pequeno!...

Anónimo disse...

...até sempre , aqui fazes falta, companheiro, mas continua a "andar por aí, com o teu violão"
cantando "...faz escuro mas eu canto, porque a manhã vai chegar" !

Anónimo disse...

obrigado por tudo Samuel




operário

Bolota disse...

Força, Força companheiro Samuel
juntos seremos a muralha d ´aço.

Não rima mas é verdade.

Abraços
Leandro

José Rodrigues disse...

CANTA,CANTA,AMIGO CANTA/VEM CANTAR A NOSSA CANÇÂO/TU SOZINHO NÂO ÉS NADA/JUNTOS TEMOS O MUNDO NA MÃO...


A luta continua!

Abraço

Anónimo disse...

Que chatice !
É claro que, como tantos outros e outras, compreendo perfeitamente os motivos que levam a tomar esta decisão, seguramente difícil.
Mas é uma grande pena !
Era um hábito já enraizado, a consulta diária - e muitas vezes bi-diária - ao blogue do amigo "Cantigueiro".
Fica um enorme vazio; e é lamentável esta cedência forçada aos filhos da mãe que odeiam tudo o que lhes cheira a actividades progressistas.
E eles vão cantar vitória; ó se vão ...
Paciência. Como é costume dizer-se, "há mais marés que marinheiros"...
E outras formas hão-se surgir para que tenhamos o grato prazer de ir tendo conhecimento dos pensamentos do caro amigo Samuel.
Até sempre, Camarada.
Abraço grande, do
Rui Silva

Anónimo disse...

Obrigado por tudo o que partilhou neste espaço.
A melhor sorte para os seus outros projectos.

Olinda disse...


"ai-meu-deus",como eu vou sentir a falta da imensa inspiracao tao cheia de sarcasmo,(e por isso,ê que provocava tamanha ira aos fascistas).Respeito ,mas ê difîcil de aceitar .

Hasta siempre!

Sérgio Ribeiro disse...

Um grande abraço

Sérgio Ribeiro disse...

Vai fazer-te falta... a nós já faz!

Um grande abraço

Anónimo disse...

Insisto em vir ao "Cantigueiro" todos os dias, como faço há muito, muito tempo.
Não há posts novos, e fico triste.
Falta-me qualquer coisa!

Justine disse...

Tenho muita pena, Samuel, mas entendo e concordo com as razões que dás para fechares o teu blog, que sempre foi ponto de referência e local de informação e de denúncia, sem nunca faltar o teu característico sentido de humor!
Tenho pena, mas entendo. Vamos então encontrar-nos noutros locais, sempre!
Abraço

Abraão disse...

O "CANTIGUEIRO" é a Home Page dos browsers que utilizo quando me ligo à internet. E infelizmente vai deixar de o ser. Compreendo o Samuel e o que o levou a tal fim. Disse que compreendo, mas é difícil de aceitar. Poder-se-à dizer que esta gente a que chama de "lúmpen fascista" e que um tal "maduro" foi a gota de água, levaram a melhor. Puseram fim a um blog incomodativo. Se a censura fascista existisse dir-se-ia que o lápis azul cumpriu a sua tarefa. Hoje há outro tipo de censura mais sofisticada. Esta é uma delas.
De qualquer maneira, obrigado por ao longo destes anos nos ter proporcionado os textos e músicas que por aqui foram aparecendo.

Alberto Rodrigues

anarquista nos tempos livres disse...

Samuel
Se mantiver a sua decisão de colocar um ponto final no “cantigueiro”, desejo que tenha a “disponibilidade para criar e fazer aquilo que”, realmente, entende que deve e quer fazer.
“A Cantiga é uma Arma”, que o Samuel começou a utilizar nestes tempos, infelizmente, quase actuais:
http://www.youtube.com/watch?v=m4yQhHNjxpc&list=PL1FF469654169E877&index=15
A “voz escrita” do Samuel poderá calar-se no “cantigueiro”, mas continuará a fazer-se ouvir, “Porque”:
http://www.youtube.com/watch?v=D1HNhRG58Ss
E então, o Camarada Samuel continuará a cantar, até que surja um coro enorme, talvez desafinado nas vozes, mas afinadíssimo no objectivo a alcançar:
http://www.youtube.com/watch?v=2TlikmHCEWM
Samuel, renovo o abraço que lhe enviei ontem e lamento não poder encontrá-lo num dos seus recitais; a “PDI” (acrescida dos “achaques” que lhe são, mais ou menos inerentes) deixou-me a “ver” o Mundo pela janela “virtual”.
Alberto
Em tempo (enquanto ele existe): Não se “vá embora” sem nos deixar uma mensagem!

Anónimo disse...

Camarada Samuel,

Obrigado pelos magníficos e acutilantes textos escritos, e pela beleza da música e dos poemas, que a mim pessoalmente me deste a conhecer.

Um forte abraço. Tudo de bom.
João Filipe

Anónimo disse...

Camarada!
Não o conheço pessoalmente a não ser através do seu Blogg e das suas músicas. Lamento e lamento muito que o "Cantigueiro" vá terminar, no entanto respeito a sua vontade.
Todos os dias passava por aqui e as suas palavras e algumas bem irónicas eram como bálsamo para a raiva que sinto contra TODOS OS FASCISTAS.
E, agora? Como me vão fazer falta as suas reflexões, as suas claras posições, as suas ironias para rir a bom rir, mas a sua vontade é soberana.
Alguns,devem estranhar o nosso respeito mesmo que isso nos custe, pois somos assim. Sabemos respeitar o outro o que parece que muitos não o sabem fazer.
As maiores felicidades e até à Nossa Festa!
As maiores saudações,
Vicky

Mário Loiça-Partida disse...

Samuel, volta cá para o blog Samuel.

Deixa-te disso pá! O pessoal tá com saudades e a maioria dos "fachos" que te ameaçavam são só brincalhões e engraçadinhos que gostavam de picar um pouco só por diversão.

Eu próprio confesso que cheguei a fazer isso uma ou outra vez, mas era só por brincadeira. Anda lá Samuel.

VOLTA!

Anónimo disse...

Como disse ontem... insisto. Faz parte das minhas rotinas. E, bolas, "o gajo é teimoso".
Não nos dês este desgosto.
Não dês esse prazer a certos tipos.
Dá-nos o oportunidade de sermos nós (os que seguimos o teu blogue) a arranjar os trocos, se for preciso, para indemnizar esse tal fotógrafo. Vais ver que até arranjamos cacau para lhe comprar uma máquina para lhe enfiar por um certo sítio acima. Com tripé e tudo.
Anda lá, pá. Estamos à espera.

Carlos Fernandes disse...

Tenho muita pena, tambem para mim era obrigatorio vir ao cantigueiro todos os dias, mas compreendo.

A luta contra o capital continua, e tenho a certeza que um dia "O Sol brilhará para todos nós".

Um abraço amigo.

Anónimo disse...


Qual é o problema de um gajo ser Fascista?
Hã?
Qual é?

Ser comuna, OK, tudo, bem, mas Facho ai ai ai que não pode ser.

Mas a comunada fez muito mais porcaria que os fachos por esse mundo fora.

Bahhh!!!

Não voltes.

Anónimo disse...

Camarada (permita-me tratá-lo assim, pese embora não o conheça pessoalmente),

Obrigado por tudo o que me permitiu ler com a sua escrita/opinião.

peço-lhe que reconsidere a sua decisão.

e obrigado por pertencer a esse grande colectivo partidário o "nosso" PCP.

Votos de muita saúde e felicidades. Um abraço

Hugo Gouveia

Artur Ricardo disse...

Embora nunca tenha comentado, sentia necessidade de passar por aqui quase todos os dias.Havia sempre algo para aprender ou desfrutar. Tenha pena da decisão mas compreendo-a. Vou sentir a falta do CANTIGUEIRO.
Um abraço
Artur Ricardo

anarquista nos tempos livres disse...

Anónimo (10:26)
Hoje, sinto-me tão magnânimo que até admito a hipótese de você ser um Komuna (grafia que deve ser usada por um fascista puro) e estar a utilizar a psicologia reversa (Freud explica); se for este o caso, desejo-lhe o maior sucesso.
No entanto, a magnanimidade em excesso prejudica, gravemente, a saúde dos Povos (o 25 de Abril é um exemplo e por isso, se assiste à eclosão do “ovo da serpente”); se você é mesmo um gajo fascista, não tenho qualquer problema, desde que seja daqueles que não “mordem” e até pode ser um contributo para o divertimento da malta.
O Adolfo, por exemplo, se nunca lhe tivesse sido permitido mais do que ladrar, seria um grande artista histérico-cómico.
Alberto

Anónimo disse...

Oh anónimo das 10,26..
O problema de seres fascista não é nada, ao pé do problema de seres parvo.
Esse sim, deve ser importante para os que convivam contigo

mig_L disse...

É uma pena.
Seguia este blogue com a assiduidade de um metrónomo. Gostava da criatividade na escrita crua e fresca.
Espero que essa criatividade que para aqui agora cessa seja um afluente a esse fluxo que conduz a tua vida.

Miguel Abrantes

Anónimo disse...

Para que fique registado aqui, o meu muito obrigado por este teu trabalho, que com prazer e orgulho assistia como se um teu concerto fosse.
O resto será dito pessoalmente.

Até já,
Monginho

Anónimo disse...

Voltei, novamente.
Não deixe o seu blogg e se não for todos os dias ao menos uma vez por semana, entendo o seu cansaço. Quanto a certos "bichos fedurentos" uma boa vassourada!!!...
As melhores saudações
Vicky

artur disse...

...estou a ficar sem referências.
Daqui a pouco, pouco vale vir à net.
Percebo perfeitamente a decisão, pois (e aqui falo por mim) o que o Samuel escrevia, na maior parte das vezes é aquilo que eu pensava e que me identificava perfeitamente, simplesmente quem perdeu o tempo a reflectir e a elaborar estes textos foi o Samuel, e eu apenas vinha "beber de graça", além de que, mesmo que tivesse tempo suficiente eu nunca na vida escreveria textos tão interessantes.
Muito obrigado e muitas felicidades para a sua carreira.

Von Ribeiro disse...

Óh Não Samuel
Ignore a corja que nos rodeia a todos e tenta destruir as nossas vidas.
Por favor continue com este Belo Blogue onde venho todos os dias ouvir e muitas vezes partilhas a sua musica...
Peço-lhe que não vá embora o Facebook é outra treta onde proliferam os fascizoides ´modernos dos tempos negros atuais....eu por vezes sinto que já nada vale a pena, mas gosto de ler e escrever e de malhar em todas as direitas sejam elas de direita ou de Esquerda...

Abraço amigo

Vone

Anónimo disse...

Devo confessar que fiquei desiludido, triste também, porque não dizê-lo, com a decisão do Samuel pôr termo ao seu blog onde vinha quase diariamente.

Devo dizer que eu era, sou, um dos críticos do Samuel no que diz respeito à ideologia comunista ortodoxa que professa, que aliás é um direito
sagrado nas sociedades livres, o que já não sucede com os regimes comunistas.

Devo dizer ainda que me incomodava e sempre incomodou a intransigência ideológica que o Samuel sempre demonstrou, a absoluta incapacidade de admitir opiniões contrárias à sua, e consequente incapacidade de gerar aqui discussões que poderiam ser bem interessantes, nomeadamente sobre temas "quentes", chamemos-lhe assim
Sobretudo sempre me incomodou a forma insultuosa como reagia às críticas, com exepção óbvia de comentários graves e injustos de alguns grunhos e trogloditas que por aqui iam aparecendo.

Mas sempre admirei a inteligência e finíssima ironia, muitas vezes próxima do requinte, que geralmente emprestava aos posts, e o desassombro e a violência ( tinha mesmo de ser com violência) com que sempre denunciou a política miserável e iníqua desta garotada de queques e betinhos que nos governa e dessa múmia que há quem chame de presidente da República.

Sobretudo sempre apreciei a sua carreira de autor e cantor já desde os longínquos anos do início decada 7O, carreira feita com talento e coerência.

Tendo em conta que tenho horror a facebooks e afins, e não reconsiderando a sua decisão, então despeço -me com um cumprimento cordial e até sempre.Continue com as suas canções e intervenção cívica onde é de facto muito bom e útil.

Abraço e até um dia destes.

Anónimo disse...

Outro dia... e nada.
Alentejano de um raio (para que conste, isto é um elogio).
Atão na querem ver que nã cede.
Amanhã estou cá outra vez.

Léo Nogueira disse...

Caro Samuel:

Regar a flor de um blogue é tarefa árdua. Bem o sei eu também. Regamo-la e vemos crescer ao redor ervas daninhas. Paciência, até os mais belos jardins não estão livres de tais parasitas. Faz parte de toda criação – principalmente aquelas embasadas na verdade – ter agarrado ao calcanhar o invejoso anônimo (geralmente eles o são). Assim, entendo e respeito seu cansaço, e voltarei por aqui vez em quando, na esperança de que este um dia seja vencido pela saudade.

Abraços de além-mar,
Léo.

Anónimo disse...

Cá estou... e nada.
Bolas!
Querem ver que o "raio do alentejano" me vai obrigar a criar uma página no facebook.

Maria José Rezende de Lacerda disse...

Lindo espaço. Parabéns. Grande abraço.

Carolina disse...

Caro Senhor Samuel, é com muita pena que leio a sua despedida deste blog. Apesar de não ter feito nenhum comentário já há muito tempo, eu não deixo de vir visitá-lo todos os dias, pois adoro a inteligência e o humor com que trata todos os temas e como responde a alguns comentários abjectos. Terei muita saudade deste espaço. Não sou grande fã das redes sociais, portanto, talvez, daqui para frente não terei notícias suas e não terei o privilégio de ler as suas ideias e opiniões, o que para mim será uma grande pena. Espero, no entanto, que um dia volte, que reconsidere a sua decisão. Até lá, desejo-lhe tudo de bom. Um bem haja e até sempre!

Adelino Ferreira disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anónimo disse...

Lamento...o seu blog era uma referência para todos os que se consideram justos!
JP

Anónimo disse...

Pronto, desisto...
Ora bolas!

manécas Martins disse...

É pena,agora que o encontrei,e o prazer de o ler estava a ser imenso!!!Mas é incrível como depois de ver as opiniões de alguns antigos ou (novos )fachos Portugal vai ter para muitas décadas!!Principalmente
com a doutrina que vão para o céu depois de fazerem os estragos físicos e psicológicos,e vou recordar-me sempre de si!! Mesmo se a hora de passar a arma a esquerda aproxima-se"

Mar Arável disse...

Que nunca te doa a voz
Abraço

leonardo.verde disse...

Samuel

um abraço e deixo-lhe uma canção pois para um cantor a cantar é que a gente se entende...

http://www.youtube.com/watch?v=h4aMZW0ZkCc

tudo de bom e saúde

leonardo verde - webmaster www.luiscilia.com

JC disse...

Por motivos de saúde não tenho conseguido manter a leitura deste espaça com assiduidade. Foi no fb que li uma declaração sua onde aludia ao encerramento do "Cantigureiro".Lamento, mas entendo bem os seus argumentos.
Realço a sua coragem e a qualidade literária.
Um abraço solidário!

ferroadas disse...

Até já amigo, vê-mo-nos por aí.
Abraço

Luís disse...

Eh pá! Merecias um "epitáfio" mais longo do que o banal "sem palavras".
Fazes-me falta pá! O que vale é que eu não acredito no natal mas acredito na ressurreição! Isto um dia há-de voltar! Até lá! Ou então à volta duma viola e duma canção!
Pata Negra & Cantigueiro

samuel disse...

Olá a todos…

Os comentários aqui, passam a estar vedados.

Todos os amigos e amigas que tinham alguma coisa para dizer… já disseram.

Esses e todos os outros que não se manifestaram terão, dentro de algum tempo, outro blog aonde se dirigirem para continuarmos o nosso caminho juntos.

Nesse blog futuro, mais seguro e rigoroso quanto ao acesso, o lixo será deixado à porta e quem insistir na canalhice… pelo menos fa-lo-á sabendo que passa a correr um risco.

A todas e todos os amigos, um abraço! Vamos encontrar-nos na nova casa dentro de pouco tempo.



Aos outros, os vários anónimos que mesmo com o blog parado não deixaram de ir mostrando, todos os dias, o lixo de que são feitos… DESEJO QUE VÃO PARA A REAL PUTA QUE OS PARIU.