sábado, 9 de fevereiro de 2008

O que eu gostava de entender!...



Começo a estar convencido de que somos de facto um bando ignaro que não tem condições para, sem ajuda especializada, ir onde quer que seja.
Senão vejamos. 
- Por qualquer razão obscura andámos durante meses, convencidos de que o promeiro ministro se tinha comprometido a fazer um referendo sobre o tratado europeu.
- O ministro Jamé preparava-se pacatamente para fazer e encomendar paletes de estudos sobre aeroportos e pontes sobre o Tejo e nós, patetas a pensar que um era para a Ota e a outra entre Chelas e o Barreiro. Inventámos até, na nossa palermice, declarações do engenhoso Sócrates, anúncios oficiais e tudo...
- Aquele senhor da "judite" (não, não é o Dr. Fernando Seara), que se vê pelas pausas pensativas, pelo cofiar do queixo e enigmáticos gestos de mãos, ser uma pessoa que está assaz atenta ao que diz, disse o que disse sobre o processo dos McCann e entretanto já apareceram várias pessoas a explicar o que ele "queria" dizer, o que "significa" o que disse... e lá ficamos nós na maior humilhação.
- Julgamentos de Isaltinos, pedófilos, Valentins, Pintos da Costa, Operações Furacão, agressões "mandadas e confessadas" pelas Carolinas deste mundo, que feitos tolos, julgávamos que estavam a ir para a frente, voltam à estaca zero ou são arquivados, porque uma folha do processo teria um canto dobrado, ou o delegado do ministério público estava com uma meia de cada cor...
- O ministro Correia de Campos acabou por ter que abandonar um emprego tão jeitoso, só porque nós não fomos capazes de entender nada do que ele dizia.
- Até, agora, o deputado Manuel Alegre "que ninguém cala", quando nós feitos tótós, pensávamos que ia votar com o Tó Zé Seguro e o resto dos chatos que (como ele) preferiam um referendo... absteve-se!
- Como se não bastasse, o Bastonário da Ordem dos Advogados enlouqueceu e prega aos quatro ventos sobre coisas que não existem, ou se existem deve ser só no estrangeiro. E ainda por cima, engordou!...
Aqui tem que haver uma lógica... uma linha de coerência... que só não entendemos porque somos, como já disse, um bando ignaro que não tem condições para, sem ajuda especializada, ir onde quer que seja.
Escrevam o que eu digo. A grande profissão por estes tempos vai ser a de intérprete! 

(Ou então, haverá, quem sabe, outro caminho...)

13 comentários:

josé manangão disse...

É verdade, Samuel!
Existe de facto outro caminho!
A LUTA É O CAMINHO.
Dia 1 de Março, vamos andando, até ao Princepe Real, esperamos que as massas cheguem ao ponto, e partimos até ao Rossio, à conquista do que nos prometeram!
...Se o grande capital está unido, porque esperam os trabalhadores?
Vamos mostrar-lhes a nossa força!

Um abraço
José Manangão

Pata Negra disse...

E não há ninguém que parta os cornos a estes cabrões?
Um abraço sem interprete

Maria disse...

Intérprete de linguagens esquisitas, porque é muito melhor (e mais fácil) traduzir francês, inglês, castelhano, italiano ou outra língua qualquer, nem que seja muito técnica e espécífica, do que entender estes gajos....
Ahhhhhh, se eu pudesse declrar a independência da Berlenga, íamos todos (nós) para lá.....

Abreijos

p.s. (em minúsculas, para não se confundir com outra coisa) dia 1 estou lá.... porque ainda acredito que A LUTA É O CAMINHO. Ainda....

Blue Velvet disse...

Ó Samuel
ainda bem que não entende.
Para entender tinha que falar a mesma língua deles...
Abreijinhos

Blue Velvet disse...

Daqui fui para a Ilha da maria e de lá voltei aqui.
Cadê a canção?
Abreijinhos

Jorge Guedes disse...

Um grande pensador português destes tempos, afirmou um dia:
"O que hoje é verdade, amanhã é mentira".
Esse, de ignaro, nada tem!
Valha-nos, pois, a pimenta da sua filosofia e um machado que nos defenda.

Um abraço e boa digestão.
Jorge Guedes

Sininho disse...

E a seguir lá virá o tempo dos psiquiatras.
Porque fazer traduções simultâneas do que dizem todas estas abencerragens, haverá de conduzir, fatalmente, à loucura furiosa!

Abraço

Rosa dos Ventos disse...

E quem me diz onde é a estrada...para outro lado?
Abraço

Justine disse...

O que não nos falta praí ,já ,são tradutores perdidos na tradução...
Nah, eu acho que a gente os entende muito bem, e eles sabem que a gente os entende.
A questão é termos a força para mostrarmos a razão que temos!

jrd disse...

O Pantanogal dos nossos dias retratado numa brilhante mini-selecção do "Reader's Digest" (salvo seja) versão lusa...

Luis Eme disse...

Eles podiam era montar um "circo", pois são bons em números de ilusionismo, contorcionismo, trapezismo, mas sobretudo em palhaçadas (sem graça nenhuma, claro...).

Mar Arável disse...

FORÇA AMIGO

mas deixa lá o bastonário

Anónimo disse...

tem de haver outro caminho!
tem de haver outro caminho!
hoje estou pacífico, não sei se é do trabalho de ontem que foi para hoje e para a semana....
Adiante! jRm