terça-feira, 9 de outubro de 2007

Para que serve um alberto gonçalves



depois de pronto? Para nada!

Mas indo ao que interessa... o que é um alberto gonçalves?
As pessoas bem educadas dizem que é um indivíduo que, vá-se lá saber por que raio, escreve crónicas em jornais. Eu não diria tanto!
Reparei por várias vezes nas ditas crónicas, então no Correio da Manhã, onde o misterioso ser costumava vomitar as suas ideias, saídas do que se convencionou chamar o seu cérebro. Como o CM era o único jornal disponível no café aqui da esquina, a solução foi ir evitando os escritos do "artista", como quem anda aos zig-zagues no passeio, a evitar as bostas dos cães.
Um belo dia, talvez "derivado" a alguma inspecção da ASAE, pensei eu, o tipo desapareceu...
Vim logo a saber a razão. O Diário de Notícias tinha descido tanto que finalmente estava ao nível de alberto gonçalves... e aí está ele! Ao contário do CM, onde tinha uma colunazita, agora no DN, pelo menos neste número, teve direito a cerca de um hectare de jornal, que se encarregou de estrumar diligentemente.
As pérolas são várias. 
Numa, Carvalho da Silva ganha o título de "inimigo do povo", noutra, para "arrazar" o Zip-Zip e os que acham que foi um marco na nossa televisão, antes de 25 de Abril, diz que o programa apenas promoveu "baladeiros analfabetos", provando uma de 3 coisas:

1. Do Zip-Zip só conhece a rábula (excelente) do "baladeiro" feita pelo Raúl Solnado e logo, fala do que não viu.
2. Viu o Zip-Zip e acha realmente que Francisco Fanhais (à época sacerdote da Igreja Católica), Manuel Freire (actualmente Presidente da Sociedade Portuguesa de Autores), José Barata Moura, até Maio do ano passado, Reitor da Universidade de Lisboa), só para apontar 3, são analbabetos.
3. É apenas um perfeito imbecil.

Para acabar em beleza, alberto gonçalves decide, também ele, dissertar sobre Ernesto Che Guevara, começando com o primor "o homem que livrou o mundo de Che Guevara...". 

Se alguém tiver curiosidade em conhecer na íntegra este texto sobre o Che e não se importar de remecher em esterco, clique na imagem do artigo e este (espero), fica grande e legível.

Alguns amigos a quem mostrei isto, queriam ficar aqui a rir do pequeno e ridículo fascistóide, mas para isso tínhamos que ir alugar cadeiras, pois a coisa era capaz de ser demorada...

12 comentários:

Anónimo disse...

Esse alberto gonçalves nem dá para rir. É triste demais, e não nos devemos rir nem da tristeza, nem da mediocridade. Por um questão humanitária, e só.

Maria disse...

Eu tenho que me poupar. Já só leio o que me interessa.
A mediocridade do snr. a.g. é tão abaixo de zero que amanhã ninguém sabe quem ele é.
Os outros nomes que referes são conhecidos.
O Che, internacionalmente..... e é aqui que está a raiva do ag....

Abraço

Anónimo disse...

Oi, achei seu blog pelo google está bem interessante gostei desse post. Gostaria de falar sobre o CresceNet. O CresceNet é um provedor de internet discada que remunera seus usuários pelo tempo conectado. Exatamente isso que você leu, estão pagando para você conectar. O provedor paga 20 centavos por hora de conexão discada com ligação local para mais de 2100 cidades do Brasil. O CresceNet tem um acelerador de conexão, que deixa sua conexão até 10 vezes mais rápida. Quem utiliza banda larga pode lucrar também, basta se cadastrar no CresceNet e quando for dormir conectar por discada, é possível pagar a ADSL só com o dinheiro da discada. Nos horários de minuto único o gasto com telefone é mínimo e a remuneração do CresceNet generosa. Se você quiser linkar o Cresce.Net(www.provedorcrescenet.com) no seu blog eu ficaria agradecido, até mais e sucesso. (If he will be possible add the CresceNet(www.provedorcrescenet.com) in your blogroll I thankful, bye friend).

Elvira Carvalho disse...

Nem dá para rir. Dá, a mim pelo menos dá pena e raiva. Por haver no meu país gente assim, e por haver quem lhe dá voz.
Um abraço

Anónimo disse...

Pobre Diário de Notícias, ao que chegou! Pobres de nós que temos que aguentar a cambada de sacanas que enchem, actualmente, jornais , televisões,etc. Valham-nos os blogues onde ainda podemos ler e escrever o que nos vai na alma.
Um abraço

aviador disse...

Uma vez comprei a Sábado, por curiosidade, e dei com a "prosa" desse senhor. Achei um nojo e até fiz um post sobre isso sem nunca ter ouvido falar dele.
Sei que nos ultimos tempos tem "subido" na vida de "colunista".
Há dias até foi entrevistado pelo inefavel RCP e confesso que ao vivo e em directo ainda é pior.
Esqueçamos o "benzoca" que foi escrever num jornal de Matosinhos porque a mamã era conhecida do director. Vidas...

Anónimo disse...

Poupou-me de certa forma !
Já me esqueci do nome... é uma forma de nos defendermos, talvez sim , talvez não. Talvez arranje estômago para ler o que me é indicado!
Talvez a memória do Che não mereça a minha perda de tempo com esse... Talvez esta seja uma forma de lhe prestar homenagem!
Viva O Che ! Morte de raìz ao ideário fascista que vai florescendo no esterco !

outro disse...

Quem é o Alberto Gonçalves??? Falando a sério... é algum psudónimo de algum comentador da CARAS ou da SIC?

António Inglês disse...

Mais um com tempo de antena.
O homem passou-se... e por azar tem o meu apelido... bolas...
Boa noite e um abraço
José Gonçalves

Anónimo disse...

E estava eu tão satisfeito por o DN se ter livrado daquela outra coisa catalogada como luís delgado... (o uso das minúsculas foi propositado).

Ricardo Moreira

Anónimo disse...

Estava há uns dias a ler uns textos dele, e apenas fiquei com uma palavra na cabeça: pena. Como é possível que tal burgesso escreva em jornais é coisa que me deixou estupefacto. É o rebaixar da nossa cultura, mas nunca pensei que chegasse a tal ponto tão cedo! Pena.

Até que vim aqui chegar por acaso, e alex campos encontrou uma melhor expressão: não nos devemos rir da tristeza nem da mediocridade. É deixá-lo, e sente-se contente assim, o pobre.

Anónimo disse...

Estava há uns dias a ler uns textos dele, e apenas fiquei com uma palavra na cabeça: pena. Como é possível que tal burgesso escreva em jornais é coisa que me deixou estupefacto. É o rebaixar da nossa cultura, mas nunca pensei que chegasse a tal ponto tão cedo! Pena.

Até que vim aqui chegar por acaso, e alex campos encontrou uma melhor expressão: não nos devemos rir da tristeza nem da mediocridade. É deixá-lo, e sente-se contente assim, o pobre.