quinta-feira, 24 de janeiro de 2013

Japão – Um ministro fascista


Estas são as ideias do novo ministro Taro Aso, do governo recentemente empossado no Japão, oriundo da direita mais reaccionária e cavernícola.
A notícia nem tem por onde ser comentada! O energúmeno pertence a uma longa linhagem de imperiais canalhas que, e só para folhear a página da História mais recente, se aliou a Adolf Hitler... com os resultados trágicos que se conhecem.
É uma marca d’água! Sempre que esta estirpe de direita chega ao poder, seja em que lugar do mundo for... acontecem coisas “prodigiosas”.
Igualmente uma marca d’água é o facto de juntarem a hedionda canalhice à cobardia, como se pode ver pelas tentativas de “explicar melhor” aquilo que disse.
No caso – improvável – de o fascista japonês não saber como se faz esse "controlo da despesa", leia uns jornais portugueses. Informe-se. Enquanto não tiver coragem para fazer nada mais “radical”... baixe as pensões aos idosos para níveis de fome. Retire-lhes os transportes pagos para ir a consultas e tratamentos. Feche os centros de saúde que lhe fiquem próximos (uma viagem muito longa para um velho em estado crítico e em choque, pode ser decisiva). Limite o acesso às consultas e medicamentos. Desertifique as suas aldeias. Ponha os olhos em nós!

17 comentários:

maia disse...

No essencial, com diferente linguajar, estão a fazer o mesmo no Japão e em Portugal. Exagero, dirão! Não se morre à fome? Mas este fascista japonês podia começar por ele. Com aquela cara de velho, comece por ele. Como se pode votar em gente desta?

Jorge disse...

O filho da mãe deve pensar que é novo! Por isso eu volto a dizer: o Hitler está vivo! Cuidado!

Maria disse...

E depois são os comunistas que a injecção atrás da orelha...

Antuã disse...


Uma injecção atrás da orelha para esse velho japonês.

Jeremias disse...

Isto é pensado e feito só que este chegou a tal descaramento e sai-lhe a boca para a verdade.Os gajos já não têm medo do povo...

Graciete Rietsch disse...

Portugal também vai adotando esse sistema. Mas, por cobardia, camufladamente.

Um beijo.

Anónimo disse...

Lá como cá, grandes f. da p. há!
Rui Silva

Abraão disse...

Realmente este fascista só se distingue daqueles que estão no governo de Portugal, porque teve a ousadia de afirmar publicamente o que pensa dos idosos. A escumalha por cá leva à pratica a forma como se quer ver livre dos nossos idosos e que o este artigo do blog muito bem descreve. Eu um dia destes sugeri que de bom grado trocava o zico "detido" num canil no Baixo Alentejo, pela maioria dos ministros da ruína. O Povo português só teria a ganhar.

trepadeira disse...

Portugal-todos.

Abraço,
mário

Olinda disse...

Uma onda reaccionâria percorre o mundo.Cabe aos povos,inverter a situacao.A juventude,no Japao,e o povo em geral,ê muito inculto.Numa sondagem,a juventude japonesa pensava,que foram os Russos que lancaram a Bomba de Hiroshima e Nagasaki.Assim,nao ê de estranhar a votacao num velho de 70 e tal anos,que afirmou,o que os governantes ocidentais,tambêm gostariam de dizer.
,

Provoca-me disse...

Oh camarada ele é mesmo Nazi.

Provoca-me disse...

No fundo é a mesma coisa em Portugal, e isso são actos Nazis.

Um abraço camarada.

Pedro Marques

Justine disse...

Exactamente, basta pedir umas explicaçõezinhas ao nosso(salvo seja!) ministro ...

Luis Nogueira disse...

Também há disso por cá, camisas castanhas e nazis de estucha. Vejam o blogue "Café Mondego" do Américo Rodrigues e depois acedam ao artigo publicado pelo sr. Carlos Peixoto num jornal da Guarda.
Ou será que ainda ninguém reparou que quem governa esta país são tascistas, ou filhos, ou sobrinhos ou bastardos de fascistas?
Vão lá ao blogue e divulguem. Vale a pena

Luis Nogueira

paranoiasnfm disse...

Em Portugal também temos ministros assim.

Anónimo disse...

Sinceramente, eu preferia morrer a estar a viver sem qualidade de vida nenhuma e a gastarem dinheiro inutilmente para prolongarem a vida mais uns dias, (seja dinheiro do estado ou de familiares).
Acho que ele fala do sistema de saúde do seu país que dão tudo e gastam recursos imensos com os idosos, sendo que são mais de 1/4 acima dos 80 anos. Depois os recursos são curtos e não servem para apoiar os que sim poderiam ser apoiados. Será que sou fascista por pensar assim?

samuel disse...

Anónimo (16:13):

Caro anónimo... fascista, francamente, não sei. Mas um bocadinho estúpido... isso parece-me evidente!

Quando garantiu o seu primeiro emprego, logo, deixou de necessitar do apoio dos seus pais... presumo que os tenha liquidado. Ou, para ser magnânimo... só no dia em que se reformam. Também passaram a "consumir" recursos que eram necessários para sustentar e apoiar "génios" do seu calibre! Ou não?

Haja pachorra!