terça-feira, 10 de junho de 2008

Bispo... ou cavalo?




Embora os portugueses tenham por costume dizer que "do mal dos outros não nos vem nenhum bem", a verdade é que andamos sempre a comparar com um certo alívio aquilo que acontece "lá fora", com o que não acontece aqui. Ele são os grandes terramotos, tsunamis, grandes desordens... a nosso favor está sempre o eterno clima, o sol, o sabor da fruta...
Ultimamente a Itália tem contribuído com alguns desses fenómenos que fazem subir o nosso ego. Não temos (ainda) um crápula como Berlusconi no lugar de chefe do governo, não temos (ainda) fascistas confessos à frente da maior Câmara do país, como eles têm em Roma (e não só, infelizmente) e a "nossa" Igreja Católica, apesar de um ou outro deslize mais ou menos anedótico, não tem por norma (ou teria?) produzir episódios como o que se segue.
Segundo o "Globo", que por sua vez cita o "Il Messagero" de Roma, um jovem casal de namorados preparava já há tempo o seu casamento na Igreja Católica. Entretanto, o rapaz sofreu um acidente de viação que o deixou paraplégico. Feita a recuperação possível do trágico desastre, o amor de ambos fez com que tenham decidido ir com o casamento para diante, como antes. Assaltado pela dúvida sobre o que fazer, o jovem pároco local pediu instruções ao seu Bispo, da diocese de Viterbo... e zás!
A resposta veio como um raio, tão rápida como profundamente "cristã". 
O casamento religioso está absolutamente fora de questão, dado que o noivo e futuro marido perdeu a sua capacidade reprodutora!

Não vou comentar, pois a coisa podia descambar, mas ainda assim pergunto-me: 
Quando é que a Igreja Católica (e outras) vai começar a ter mais cuidado quando contrata funcionários e altos quadros para a "empresa"?
Este padres e bispos, lá que sempre que podem reproduzem que se fartam, toda a gente sabe... mas não seria também desejável que numa questão destas tentassem parecer-se com seres humanos, sei lá... normais?

17 comentários:

Anónimo disse...

Nem bispo nem cavalo, Samuel, asnos é o que eles são.

Porra já estamos no séclo XXI!

Já agora, gosto mais da expressão "mostarda no cú dos outros é refresco", né?

Sal disse...

São as bestas que sempre foram.
Olham para o mundo de uma maneira completamente diferente daquilo que dereria ser.
E a juntar a isso, toda a riqueza e fausto daquele Vaticano, com tanta gente na miséria por este mundo...

Também aqui:
"É a luta de classes, estúpido!"

beijinhos

alex campos disse...

As santas bestas, como diria o mestre Camilo.

Anónimo disse...

Lá estamos nós a confundir os pobres e inocentes animais com os seus excrementos!

Anónimo disse...

Mas, serão sacerdotes ou donos de uma ganaderia?

Se eu não fosse ateia... passava a ser agorinha mesmo.

Falta de respeito para com Jesus Cristo, que eu até admito que possa ter existido ( porque, segundo consta, andava cá na Terra), e se calhar não era mau rapaz.

Campaniça

Fernando Samuel disse...

«Seres humanos»?: bom... «Normais»?: já é mais difícil...
A verdade é que «seres» com tamanhos poderes, são coisa de outro mundo...

ferroadas disse...

As igrejas, todas elas, já nos habituaram a estas tristes figurinhas que não passam duns seres amorfos, tacanhos, sem um pingo de bom censo, para além de serem uns grandíssimos filhos de p…..,

A igreja católica romana é useira e vezeira neste tipo de situações, muitas delas aberrantes, há excepções, claro que as há, mas contam-se pelos dedos de uma só mão.

Abraço

Rosa dos Ventos disse...

Fiquei estarrecida!

Abraço

Susete Evaristo disse...

Samuel, não concordo com tudo o que dizes sobre estas bandas e menos ainda, com cheiro da fruta que cada vez é mais refrigerada e menos acabadinha de colher. Depois dizer que como pessoa que em tempos (já lá vão uns 40/45 anos)praticou, sem grande convicção é certo, uma religião e fez alguns estudos Biblicos, sempre te digo que quem menos pratica o ensinamento que de lá se pode tirar são os seus mentores. E episódios não falta, que possam ilustrar as minhas palavras.
Este de que dás conta é mais um que pende a favor da minha completa e total distância e descrença.

Helena disse...

Confirmo que Portugal tem de bom o clima, o sol e o sabor das comidas...e são essas três coisas que me fazem ir ai.
Para mim toda religião é como uma secta com tudo o que tem de mau e com suas riquezas...
Bom feriado Samuel !
um beijo.

Luis Eme disse...

um bom exemplo do que estão a transformar o mundo, cada vez mais selectivo e desigual.

o Hitler começou assim...

Anónimo disse...

E pergunto eu, para que v�o ter com eles, j� tiveram tempo de conhecer os animais,s�o tantos os exemplos, ainda acabo por morrer, sem compreender os humanos, com os outros animais j� me vou entendendo, talvez porque como eu eles n�o t�m religi�o nenhuma!
Abra�o

jrd disse...

O trágico é que esses "eunucos(?) de sacristia", não só reproduzem debaixo dos panos, como se reproduzem na anormalidade.

anamarta disse...

Seres humanos? Não eles são é umas bestas! sem ofensa para os animais!
beijos

Elvira Carvalho disse...

Por essas e por outras é que cada vez a Igreja e os fiéis vivem cada vez mais de costas voltadas.
Um abraço

Anónimo disse...

Não confundir Jesus com Cristo. O primeiro era contra as religiões e atacava os sacerdotes, tendo depois dos 12 anos ido ao templo apenas uma vez para chicotear os vendilhões do dito. Cristo foi um ídolo criado com o imperador Constantino destinado a ser adorado. Todas as religiões adoram ídolos associados ao dinheiro. Todavia, Jesus não tem nada a ver com isso. não foi por acaso que o império e a religião se juntaram para o matar. Parece-me que actualmente acontecem coisas semelhantes.

vieira calado disse...

Ah, valente bispo!
E se calhar ainda é comido pelo rei... para variar...