sexta-feira, 1 de agosto de 2008

Cavaco Silva e o terrivel "suspense"



Esta é uma imagem actual do Cais da Silveira (quem me dera lá estar agora!...), a mais antiga “zona balnear” da incrível cidade de Angra, na açoriana IlhaTerceira.
Depois de termos passado um dia com os nervos em franja, à custa do tremendo “suspense” provocado pelo Presidente Alegadamente de Todos os Portugueses e já que “O drama! O horror!” tinha que ver com os Açores, não resisto a contar uma história relatada numa roda de amigos terceirenses, todos a viver em Lisboa, história essa que pode bem bater-se de igual para igual com a de Cavaco, em termos do tal “suspense” e sobretudo na conclusão.

Diz um deles:
- Malta, lembram-se da Fernandinha?... Aquele monumento... que tinha a mania de andar de bicicleta com aqueles vestidinhos de alças muito rodados e de tecido muito leve, que o vento...
- Lembramos, pá!!! Como é que havíamos de esquecer a Fernandinha?!
- Pois é. Agora a meio de Julho fui lá à terra. Numa das tardes em que fui dar uns mergulhos à Silveira, quando estava mesmo à porta do Caracol, quem é que vem a entrar na rotunda, vinda do Caminho de Baixo, de bicicleta, com um daqueles fantásticos vestidos a voar até... estão a ver? Bom. Parou a bicicleta mesmo ao pé de mim e eu “Olá Fernandinha!” e ela a tentar segurar o vestido “Olá João!”
...
...
...
- Sim, gaita!!! Então e depois? (Perguntam os amigos em coro, completamente desesperados com tanto “suspense”).
- E depois, nada!... Foi só isto!

15 comentários:

BlueVelvet disse...

Tenho que andar sempre a correr para conseguir apanhar a sua pedalada...
Abreijinhos

Maria disse...

A tua estória ao menos tem... suspense...

Fui dormir tarde, pois o bebé mac assim o determinou. Às horas certas, na sic-n, lá levava eu com o boca aberta...

Abreijos

Anónimo disse...

Mas afinal quantos anos tem agora a Fernandinha?...

É que pode ser mesmo só isso! Eu por exemplo já tenho dificuldade em equilibrar-me, na bicicleta.

Voltando á vaca fria, Cavaco revelou falta de equilíbrio, mas também me faz confusão como é que aquela coisa com oito inconstitucionalidades foi aprovada por unanimidade.

Ana Camarra disse...

E já gozas....

Manuel Veiga disse...

falas, logo existes...

Anónimo disse...

Realmente a fernandinha...

João Carlos disse...

Fiz-me ao mar com lua cheia
A esse mar de ruas e cafés
Com vagas de olhos a rolar
Que nem me viam no convés
Tão cegas no seu vogar

E assim fui na monção
Perdido na imensidão
Deparei com uma ilha
Uma pequena maravilha

Meio submersa
Resistindo à toada
Deu-me dois dedos de conversa
Já cheia de andar calada

Tinha um olhar acanhado
E uma blusa azul-grená
Com o botão desapertado
E por dentro tão ousado
Um peito sem soutien

Ancoramos num rochedo
Sacudimos o sal e o medo
Falámos de música e cinema
Lia fernando pessoa
E às vezes também fazia um poema

E no cabelo vi-lhe conchas
E na boca uma pérola a brilhar
Despiu o olhar de defesa
Pôs-me o mapa sobre a mesa

Deu-me conta dessas ilhas
Arquipélagos ao luar
Com os areais estendidos
Contra a cegueira do mar
Esperando veleiros perdidos

Lena disse...

Esta boa....

Ana Camarra disse...

João Carlos
Essa Ilha do Carlos Tê é linda, mas encaixa aqui como?

Pata Negra disse...

Só isto? E foi pouco? A Fernandinha continuar a andar de bicicleta e vestir vestidos leves não é muito?!
-Por acaso alguém se lembra do o presidente Cavaco alguma vez ter dito alguma coisa? Porque é que ele fala? Porque é que não aparece só a cortar fitas, a subir aos estrados, a fazer festas às criancinhas, a beijar as velhinhas, a comer bolo rei?
Se Cavaco fosse surdo e mudo o país perderia alguma coisa com isso?
Um abraço com os olhos na Fernandinha

Unknown disse...

Ana, se não tivesse feito a pergunta, o poema já me tinha feito o favor de fazer esquecer o múmia política...
Deixa-me lá agora experimentar tentar concentrar-me em imaginar a Fernandinha, para espantar o fantasma.
PS- As minhas desculpas pela intromissão, passei por aqui e... não resisti.
Continuação!!!

Maria disse...

Há bocado eu falei do bebé mac.
Agora falo doutro....
Um tchim tchim com cuidado, um abreijo especial, hoje!

Fernando Samuel disse...

O «alerta» do Aníbal não chega aos calcanhares da história da Fernandinha e do João - em suspense e não só...

Um especialíssimo abraço.

Justine disse...

O Cais da Silveira é liiiiindo!
Fazemos um excursão??

Lúcia disse...

Só tu para me pores a imaginar o Cavaco de vestido, sensualmente sentado numa bicicleta...
Beijos