quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

A Europa... e as velocidades


No mesmo dia em que a OCDE nos diz, friamente, que a taxa de desemprego sobe para 12,9% em Portugal, o genial Carlos Moedas, um dos ajudantes do Gaspar das Finanças, mais preocupado com o aspecto da coisa do que com a coisa em si, como seria de esperar... dele, ou de qualquer “madame” que visse o nome da sua casa de meninas caído nas bocas do mundo, diz que é preciso «melhorar a reputação de Portugal».
Defende o Moedas, que Portugal não está «no mesmo saco» de outros países do Sul...reforçando mais uma vez uma das mais acanalhadas características dos “líderes” desta crise colectiva, que é a assunção de que somos sempre, de alguma forma e por algum misterioso motivo, “superiores” a todos “os outros”. Com os quais não queremos misturas nem confusões... quanto mais solidariedades!
Por estas e outras é que já enoja a revelha conversa da “Europa que avança a várias velocidades”. Para que raio insistem estes dirigentes em falar de avanços a várias velocidades, se, na maior parte, que se veja, há já muitos anos que não engatam nenhuma “velocidade” que não seja a marcha-atrás?

13 comentários:

do Zambujal disse...

... embora haja alguns (poucos!)aceleradíssimos em F1 de vompetição ou Ferraris de turismo:

Um abraço

castrantonio disse...

Caríssimo Cantigueiro
Já é pouca sorte um gajo das finanças se chamar Moedas... Ainda se fosse Notas.
Mas também acho que nós portugueses andamos nas tais velocidades do lento e do parado...
Todo a gente toma actitudes contra as leis da Constituição e parece que ninguém se importa com isso...
Estamos todos muito lentos para não dizer parados...
Quem sabe no próximo ano as coisas vão piorar e aí talvez o pessoal comece a acertar o passo.
Bem haja
antonio

Graciete Rietsch disse...

Portugal tem grandes cabeças e grandes potencialidades. Precisa é de outra alternativa de Governo,já,para poder andar em frente.

Um beijo.

trepadeira disse...

Isto está,mais ou menos,na situação da carripana de um amigo,ali pelos idos 70.
Não tinha travões,nas descidas engrenava a marcha-atrás e ia travando com ajuda da embraiagem.
Um dia o esforço foi demasiado e a caixa inverteu.
Ficou com quatro para trás e uma para a frente.
Imagino a trabalheira que teve para trazer a carripana até casa e mandá-la para a sucata.

Um abraço,
mário

Justine disse...

Enoja, irrita, e faz crescer uma raiva enorme dentro de nós...

Fernando Samuel disse...

Com tantas velocidades está-se mesmo a ver o que lhes vai acontecer...

Um abraço.

Anónimo disse...

Sobre esta coisa da velocidade estonteante com que nós avançamos na Europa, disse-me um velho conhecido aqui do lado, que não há nada que detenha o velho carrinho de rolamentos que usamos, mas que só anda a descer e cuja velocidade é diretamente proporcional ao nosso plano inclinado. Agora onde é que ele para, isso é mistério.
Outra coisa.
Queria falar das opiniões merkel sobre o estado do deficit português e que são de tal modo abalizadas que me apetece dizer "porque é que não vão todos à merkel com essas quadrilheirices sobre o estado em que nos encontramos?"

Anónimo disse...

Desculpem lá vir aborrece-los com mais umas coisas:
Os 12,9% de desemprego é mesmo a sérioou não quiseram dizer 13% por serem supersticiosos! É isso não é?
Agora sobre o Moedas (a propósito não havia ali para os lados da Casa dos Bicos, ou era na 5 de Outubro, um tipo que arrumava carros que lhe chamavam o Moedas. Não é o mesmo de que estamos a falar, pois não). Não deve ser porque este diz que têm que cumprir
os objectivos (deles) e executar, seja (tratar) das nossas (deles) reformas. E disse isto tudo (como deve ter ficado cansado) num encontro com ou do Expresso (não gostam de café de saco) e o Deutsche Bank, um banco lá das bandas da grande opinadora Merkel, que lá por andar em carros de alta cilindrada, está a ver se se livra de uns saloios que agora já nem de burro andam. Pudera os burros são eles. Quanto a ser preciso melhorar a reputação de Portugal, não será preferivel reciclar certos partidos e seus politicos?
Um porque se dia Democrata Cristão e não sabe o que é democracia nem cristianismo. Outro que é Social Democrata e não sabe o que é democracia social e outro porque se diz Socialista e de esquerda, porque é canhoto.
E não é que não nos livremos de toda esta gentalha politiqueira.

Anónimo disse...

Sam

Julgo que já deve saber, no entanto, no YouTube coloque Europarlamento, veja Nigel Farage
Abraço

Pata Negra disse...

Engataram a marcha atrás e perderam os travões. Ao menos que houvesse palha no palheiro para não batermos contra a parede! Mas até isso eles comeram!
Um abraço em velocidade suína

Olinda disse...

O país vai de carrinho,vai,mas para onde?

Anónimo disse...

Com velocidades ou sem elas muitos!mas muitos!continuam parados e paradinhos. Precisamos de meter a maior velocidade, é mandar os Mercosy a um raio que os parta! Estou farta deles e de todos "os senhores do mundo".
Saudações. Vicky

Luis Filipe Gomes disse...

É pena que as pessoas com responsabilidade apostem na competição e não na cooperação.
Estes espíritos superiores mesmo quando são gregários parecem optar sempre por um tipo de simbiose em que a espectativa é sempre "o que tens tu para me oferecer".
Este senhor tem um nome muito adequado e não encontro nenhum que o anunciásse melhor, apenas uma dúvida me surge, falando de moedas falaremos de quantas? Umas trinta?