sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

Os bandalhos tinham-se esquecido das férias!


Os bandalhos tinham-se esquecido das férias... mas alguém, da troika ou do ministério das finanças da Alemanha, encarregou-se de os lembrar com um telefonema, certamente curto e seco. A ordem recebida vai seguir o seu curso. Os bandalhos já estão a preparar mais uma medida a que a CGTP chama, e muito bem!, «monstruosa».
Atendendo a que, como o nosso amigo Arménio Carlos (também da CGTP) diz a propósito do (repetido até à náusea) problema de competitividade português, «se a questão do aumento do número de horas de trabalho estivesse ligada à produtividade, Portugal já tinha uma "competitividade” superior à da Alemanha», vemos que esse aumento de horas de trabalho e do corte de férias e dias feriados, nada tem que ver com ganhos de “produtividade”, tratando-se de puro e simples terrorismo social, numa tentativa de “quebrar a espinha” às lutas sindicais, entre todas as outras que igualmente hoje se impõem.
Em cima disto, leio a vergonhosa notícia que me dá conta das novas taxas “moderadoras”, que sobem para mais do dobro. Como se não bastasse, serão acrescidas dos pagamentos de praticamente tudo o que seja necessário fazer dentro do centro de saúde, ou hospital, nem que seja uma simples mudança de um penso. Estes aumentos foram anunciados pelo ministro da “saúde” com acompanhamento de “violinos”, propagandeando um grande alargamento do universo de doentes isentos desses pagamentos. O argumento demagógico quase que “pega” (pega tantas vezes!)... ficando por explicar a genialidade do cérebro que, no ministério, achou normal fazer entrar em vigor as novas taxas já em Janeiro, mas as tão anunciadas e caridosas novas isenções... apenas a partir de Abril.
Sendo o próprio ministro a admitir que a cobrança destas taxas “moderadoras”, mesmo depois do brutal aumento, equivalem a apenas cerca de 2% da despesa da Saúde, ficamos com a certeza de que este acto de violência sobre os doentes não se destina a financiar o Serviço Nacional de Saúde.
Assim, só pode ser, igualmente (tal como os cortes das férias, salários, feriados, subsídios de Natal e de férias, facilidades na “dispensa de colaboradores”, cortes nas indemnizações por despedimento, cortes no subsídio de desemprego, etc., etc...), mais uma demonstração gratuita de força e arrogância. Mais uma vez, terrorismo social.
Sempre contra os mesmos... sempre a mando dos mesmos.
Para nos demonstrar (se dúvidas houvesse) que os tão falados “governos de tecnocratas”, supostamente imunes às ideologias e à política em geral, apenas empenhados no rigor de gestão e nos equilíbrios orçamentais, são uma colossal fraude.
As suas opções ideológicas e políticas são claras como água! As suas opções económicas um crime que leva ao empobrecimento de milhões de seres humanos e ao enriquecimento de poucas centenas de amigos. Um crime que leva ao desastre... se não for travado a tempo.

14 comentários:

oasis dossonhos disse...

Esta afronta não pode continuar. Isto é uma guerra, que temos de vencer. Ou não são bombardeamentos (psicológicos, humilhantes) as más notícias diárias ao longo destes penosos seis meses? E parece que o guião não acaba...isto foi estudado, estes tipos organizaram-se para se desforrarem (inclusivé do regresso dos ultramares)...
Será que os portugueses não reagem perante tanta monstruosidade?

A. disse...

O Destino de Portugal nas mãos de coveiros e cangalheiros!... Esse torto da Saúde, e como Deus nos deu um rosto para que nos saibamos distinguir, talvez por castigo, não engana ninguém!...






feliz Natal para si e todos os seus!


Abraço

Graciete Rietsch disse...

Não há ninguém imune a ideologias.
Todas estas leis vêm de cabeças bem próximas do Fascismo.
É preciso correr com eles!!!!!

Um beijo.

Fernando Samuel disse...

Excelente post.

Para travar os terroristas, a luta de massas é o caminho.

Um abraço.

trepadeira disse...

Há uns anitos,quando um inchado tiranete patrão,perante uma greve,bociferava:
"eu nunca tive férias e trabalho 15 e mais horas por dia".
Dizia-lhe:
-Que pena perdeu-se um "bom" trabalhador,excelente escravo,em detrimento de um péssimo patrão.

Porque não mandar estes bandalhos para um daqueles paises,de onde importam os ananazes que vão comer nesta época,onde,para além de quase não receberem jorna,morrem "trabalhadores" e crianças intoxicados pelos agrotóxicos que são obrigados a usar?

Já não há paciência,nem palavras.

Um abraço,
mário

Carolina disse...

Será que esses bandalhos ficam os 4 anos?
O povo vai permitir isso?

Pata Negra disse...

O Rei dos Leittões sente-se orgulhoso de desejar a todos os Cantigueiros um Natal impossível e uma ano novo cheio de lutas possíveis.

Não comam carne de porco! Comam Coelho!

Antuã disse...

Temos que correr com os vassalos do terrorismo internacional.

Eduardo Miguel Pereira disse...

Está na hora de combater o Terrorismo Social com Social Terrorismo.

Donatien disse...

Esses gajos querem é um ajuste de contas com a História: Em Espanha o merdoso primeiro ministro quer rever a lei do aborto. E porque não restaurar a inquisição?

LAM disse...

No caso das urgências hospitalares, o valor de 20 euros só terá aplicação prática naquilo a que chamam "falsa urgência". Toda a urgência que implique tratamento ou meios auxiliares de diagnóstico (que são a maioria), os valores disparam, havendo a pagar tx "moderadora" por todos os actos médicos, a acrescentar aos 20 euros (até um limite máximo de 50 euros). Ou seja e na prática, cada urgência dificilmente ficará abaixo de 50 euros.

carol disse...

Vamos andar para trás 40 anos. É o que estes fulanos querem. Filhos da p***!

Elísio Alfredo disse...

Terroristas é o que são. Um bando de terroristas a quererem convencer-nos de que os terroristas somos nós. Mas o dia chegará...
Saúde, amigos, que a luta continua.

Dylan disse...

Vou dar uns tiros nos pórticos das ex-Scut para aliviar este stress:)