quarta-feira, 22 de fevereiro de 2012

Por’ca’fé é que nos salva...


«Devo dizer que sou uma pessoa de fé, esperarei sempre que chova e esperarei sempre que a chuva nos minimize alguns destes danos. Como é evidente, quanto mais depressa vier, mais minimiza, quanto mais tarde, menos minimiza. Se não vier de todo, não perderei a minha fé mas teremos obviamente de atuar em conformidade».
Já qu’a’fé é que nos salva, aqui temos uma ministra da agricultura tentando resolver o problema da seca… com fé.
Já tínhamos políticos que, misturando convicções religiosas com assuntos de Estado, não se coíbem de dizer “se Deus quiser” a toda a hora. Vemos agora Assunção Cristas rezando para que chova… e não faltará muito para ouvirmos o ministro das Finanças exclamando “valha-me nossa senhora!” sempre que falar das contas públicas, ou Passos Coelho rogando “pai, afasta de mim esse cálice” de cada vez que for vaiado nas ruas.
Se estão à espera de que eu, parafraseando também o próprio Cristo, lhes retribua as referências religiosas com um “perdoa-lhes, porque não sabem o que fazem”, podem ir esperando sentados.
Primeiro, porque não estou muito dado ao perdão.
Segundo, porque eles sabem muito bem o que fazem!

13 comentários:

trepadeira disse...

Poque é que não vão para um convento,sei lá,aí para o Tibete,lá no alto a rezar por aquecimento.

Um abraço,
mário

Maria disse...

Excelente!!!

Abreijo.

relogio.de.corda disse...

:))

Provoca-me disse...

A caridade já chegou, a Ditadura e a escravatura idem, e a miséria e a fome, agora era só preciso oficializar a fé como a grande coisa que defendem.

vovó disse...

Altamente!!! :)

vovómaria

Eduardo Miguel Pereira disse...

Para a mistura que aqui nos deixas, ministros e fé, só me ocorre a frase "vá de retro, Satanás".

Graciete Rietsch disse...

Parafraseando Saramago digo "Não lhes perdoem Homens, porque Eles sabem o que fazem.

Um beijo

Olinda disse...

Só me faltava uma beata no des-governo...

Antuã disse...

Eles estão a precisar que lhes cortem as cristas.

Anónimo disse...

Belo!
Saudações
Vicky

do Zambujal disse...

Exactamente!
E está aqui está a promover uma procissão... a pedir chuva.

Abraço

Anónimo disse...

Sugiro desde já à Sra. Ministra que numa piedosa demonstração de fé organize uma procissão de desgravo e de prece pelo fim da seca, na qual as senhoras,num gesto de penitência e humildade caminhem de pés descalços e os cavalheiros desfilem com círios do tamanho da sua altura.Que tão piedoso evento possa contar também com a presença de destacadas figuras da hierarquia da igreja a começar pelo Sr. cardeal Patriarca.O meu bem-haja desde já a quem ficar sensibilizado pela ideia de tão meritória iniciativa.

Luis Filipe Gomes disse...

Eu também tenho fé que chova. Mas em Setembro quando foi a Lua Nova um homem do campo disse-me que íamos ter um ano de miséria, pois toda a gente sabia que quando a Lua Nova de Setembro não é molhada são sete luas sem chover.
A miséria era para ser só nos campos, mas a verdade é que também no poder ela se instalou; como diz outro amigo que eu conheço
já que não cai chuva que os afogue, ao menos caísse um raio que os abrasásse.