quarta-feira, 26 de maio de 2010

Cavaco Silva está de esperanças...



Ontem à noite, durante uma viagem de regresso a Montemor fui, por puro descuido, agredido por mais um pensamento de Sua Excelência o Presidente da República. Aliás, nem é bem um pensamento... é mais um desejo:


Vim o resto da viagem a matutar em três coisas:

Primeiro, adorava saber como é que, por exemplo, as operadoras das caixas de hiper, super, minimercados, farmácias, padarias, etc., etc., vão distinguir pela cara as pessoas a quem devem não cobrar o aumento de vinte por cento nos bens de consumo essenciais, como pão, leite, medicamentos... e sim!, pode parecer estranho, mas a verdade é que o aumento da taxa de IVA de 5 para 6 por cento nestes e outros bens essenciais é um aumento de vinte por cento. Isto para além dos restantes aumentos de impostos, cortes de prestações sociais, desemprego, etc., etc., etc.

Segundo, não há nada como ver as regras confirmadas... e realmente, quando a necessidade aperta, como por exemplo, a proximidade de uma campanha eleitoral para a Presidência da República, não há doutoramentos que impeçam estes cidadãos de dizerem o que, à primeira vista, podem parecer baboseiras, mas que são, afinal, exemplos da profunda desonestidade política de que são capazes, ao “esperar” que as políticas que aprovam não venham a ter os efeitos que sabem muito bem que terão.

Terceiro, não admira que José Sócrates prefira (digo eu...) continuar com Cavaco como Presidente, no que é, como se vai tornando evidente, acompanhado por muitas figuras e figurões do PS.

16 comentários:

do zambujal disse...

Olha... eu cá por mim... entre figuras, figurinhas e figurões não me meto! É lá cum eles...
Até vou ter um candidato!

Um abraço

salvoconduto disse...

Andas a matutar de mais. Que mal é que ele te fez? Preocupa-se tanto contigo e tu respondes-lhe desta maneira. Que raio de embirração. Com estas preocupações todas ainda o vais ver na manif de dia 29!...

Maria disse...

Também tenho 'esperanças' em ajudar a dar volta a isto...

Abreijos.

goncalo disse...

E quando Vexa fala sobre o livro de Carlos Brito? Ou faz censura?

GM

Anónimo disse...

"mas a verdade é que o aumento da taxa de IVA de 5 para 6 por cento nestes e outros bens essenciais é um aumento de vinte por cento."

Se entendo bem estas coisas das percentagens, o aumento na taxa do IVA de 5% para 6% corresponde, de facto, a um aumento de 20% na valor do iva, reflectido no preço final do artigo, e não a 20% do valor final, que o consumidor paga, desse artigo. Isto é, um produto cujo preço for de 100,00€ custa ao consumidor final 105,00€ com o IVA a 5% e 106,00€ com o IVA a 6%. O valor do IVA aumentou 20% (de 5,00€ para 6,00€) mas o preço final teve um aumento ligeiramente inferior a 1%.
O meu raciocínio está certo ou estarei completamente confundido com a aritmética das percentagens?

Graciete Rietsch disse...

Eles sabem muito bem o que dizem. Não são ingénuos quando falam em ajudas aos pobres. Alguém os ouviu dizer que se deve acabar com a pobreza?

Um beijo.

Lídia Craveiro disse...

Não há qualquer diferença entre PS e o PSD, no meu modesto entender, uma vez que não percebo quase nada de politica. Mas, estas criaturas perversas que nos governam, fazem crer a este povo pouco informado ( porque assim convém ao governo) que todas estas medidas são para o bem do povo. Os pais perversos que batem nos filhos, também lhes dizem que é para o seu bem. Nem imaginam o que uma relação deste tipo faz a uma criança! E, passando isto para a relação que o estado mantém com os cidadãos, o resultado é igual, traduz-se em: mais fome, mais miséria social, aumento da criminalidade, abandono escolar ...por ai fora. Nos últimos anos, dizem as investigações dos psicanalistas e psicoterapeutas (com as quais concordo) que a patologia que mais aparece em consulta é a perversão. Ao olhar para o governo que temos...muito fica explicado. Infelizmente, isto não vai mudar tão cedo porque não há vontade politica para tal, mas, o povo ainda elege esta gente... até quando!!

Bom trabalho

jrd disse...

E quando lhe rebentarem as águas, parirá!
Abraço

Fernando Samuel disse...

Levar com uma «esperança» dessas, e ainda por cima a conduzir, chiça!: é por isso que eu não ouço rádio...

Um abraço.

Aurora disse...

Oh Gonçalo, mas porque é que se tem de falar sobre o livro do Carlos de Brito?
É obrigatório? Essa da censura é para o pessoal se rir?

Antuã disse...

Cavaco de Esperanças?!... quando se prevê que ele venha a parir?!...

Jeremias disse...

Até gostava de ler o livrito do Brito, como um comentário anterior, mas a biblioteca cá do sitio ainda não o recebeu e não sustento gulosos. Custa a chegar pró pão.

lino disse...

O anónimo das 9H30 está certíssimo, pois o aumento do preço final do produto, o que vão cobrar todos os operadores de caixa, é sempre ligeiramente inferior a 1% para qualquer taxa de IVA. Seria exactamente de 1% se o ponto percentual do aumento incidisse também sobre o IVA anteriormente cobrado, o que já não podia acontecer depois da bronca com o Imposto Automável. No entanto, a aproximação ao 1% é maior para uma taxa de IVA menor e para um preço base do produto mais baixo.

Nocturna disse...

Em tempo de eleições estes passarões gostam muito de ajudar os pobrezinhos.
Só se esquecem de lembrar ,as culpas e muitas ,que também têm no cartório.
Não era este mesmo cavaco que era o primeiro ministro quando chegou a Portugal tanto dinheiro vindo da Comunidade Europeia , para modernizar Portugal ? E esse dinheiro para que serviu ? para aumentar a conta bancária de uns quantos,arruinando a agricultura, as pescas e tudo o que era produtivo.
Estes rapazes contam sempre com a falta de memória dos portugueses . E lá teremos que o aturar mais 5 anos.
Temos que reconstruir Abril e vamos começar dia 29.
Um abraço desanimado

Anónimo disse...

Neste meu comentário num blogue que muito aprecio, pela sua qualidade e frontalidade, quero referir-me ao que dois outros comentadores disseram sobre o aumento das taxas do IVA. É indiscutivel que a taxa reduzida do IVA aumentou 20% pois passou de 5% para 6%. É igualmente indiscutível que esse agravamento da taxa do IVA vai penalizar mais os grupos sociais mais desfavorecidos já que é neles que os bens essenciais, tributados a taxa reduzida, maior peso relativo têm. Ou será que alguém está a ver as classes dominantes deste País a terem o seu orçamento absorvido na sua maior parte no consumo de arroz, batata, leite, etc. (não me refiro à coca-cola ou pepsi-cola que foram o grande argumento do nosso engº da Independente para justificar a justeza da medida). Cálculos como aqueles que aqui foram apresentados esquecem as pessoas sobre quem vão incidir os aumentos anunciados. Mas porque não recordar um outdoor semeado por este país, pelo PS,anos atrás, que dizia "Primeiro as Pessoas, Depois os Números". Claro o PS não estava no Governo, tal como hoje não está o PSD. Há quem não queira ver o que parece evidente. Mas cada um sabe o que os move.
Por mim, Sábado próximo percorrerei a A1, do Porto a Lisboa, com muitos outros que acreditam que a luta é o caminho, para participar na manifestação da CGTP-IN. Estou certo que terei a companhia de muitas dezenas de milhares de cidadãos que querem um outro País, o País a que temos direito.
Um abraço do Norte
Valdemar

Manuel Norberto Baptista Forte disse...

Apeteceu-lhe no seu magistério dizer ..."alguma coisa". Saíu, prontos.