terça-feira, 18 de maio de 2010

Cavaco Silva – Lá vai indo... mas sempre muito contrariado!



E pronto! Cavaco promulga o diploma que permite o casamento entre pessoas do mesmo sexo. A esmagadora maioria dos deputados não teve dúvidas; o Tribunal Constitucional não teve dúvidas... mas lá no fundo daquele pontinho cinzento que existe no crânio de Aníbal Cavaco Silva, subsistia uma dúvida angustiante: qual o nome a dar à coisa?

Sabendo-se que o verdadeiro “casamento” entre seres humanos é feito pelo amor, sabendo-se que está fora de questão uma cerimónia religiosa, resta a assinatura no Registo Civil, perante testemunhas... portanto, um contrato. Cavaco Silva debate-se com a terrível questão do nome a dar ao contrato, que não seja “casamento”.

Felizmente, embora contrariado, o “interesse nacional”, leia-se, a proximidade da sua possível reeleição como Presidente da República, foi o suficiente para lhe revelar que, muito provavelmente, a miserável situação em que se encontra o país, situação para a qual também contribuiu, é mais importante do que o nome a dar à união de pessoas do mesmo sexo.

Tal como o jovem Passos Coelho, dirigente do seu PPD-PSD, produtor de ideias velhas e frases estupidamente pomposas, como «não dei a mão ao governo, dei a mão ao país», também Cavaco não deu a mão aos gays e lésbicas... mas sim a si próprio. E ao país, claro!...

O importante é que está virada a página de mais uma discriminação que se mantinha na nossa sociedade. Está virada em termos legais... agora falta “virar a página” das mentalidades onde a discriminação, a homofobia e a hipocrisia moralista, ainda estão muito longe de ter um fim.

Para consolar o nosso PR, que deve estar tristonho com mais esta contrariedade, deixo aqui um pequeno vídeo onde ele “ficou muito bem”, embevecido pelo facto de o Papa Ratzinger ter na ponta da língua o nome dos seus netinhos... não porque os soubesse de antemão, mas por ser capaz de os repetir na perfeição depois de os ouvir.

Embora seja uma estória bonita e fique bem a Cavaco Silva gostar dos netinhos, alguém devia informá-lo de que só em Portugal deve haver pra cima de uma quantidade de papagaios capazes repetir nomes (e muito mais coisas!), também na perfeição.... (até eu, tenho ali dentro um garrafão que “diz” Água do Luso).

12 comentários:

Maria disse...

Tens objectos esquisitos aí em casa a dizerem coisas ainda mais esquisitas...
hehehehehehehehehehehe......

Abreijos.

atento disse...

Agora o que é preciso é fazer filhos :).

Milan Kem-Dera disse...

Assim de repente... neste mandato que já vai em mais de 4 anos, consigo lembrar-me das suas 4 ou 5 intervenções públicas "importantes":
Sobre o aborto, sobre o estatuto dos Açores, sobre as escutas em Belém, sobre o Papa (que grande entusiamo!!!...) e, claro, sobre os paneleiros. Ah... já me ia esquecendo daquele encontro "memorável" com o "nemo"...

Porque será que não consigo lembrar-me de ele ter tido qualquer intervenção radical para acabar com estes bandidos que levaram este país à ruina?
Esta minha memória... já me vai falhando!...

Graciete Rietsch disse...

Ridículo é a expressão que me surge!

Um beijo, camarada.

Manuel Norberto Baptista Forte disse...

Deu-me a sensação pela expressão facial que A. C. S. ao falar ontem aos Portugueses, estava algo contrariado e penso que até fez o que fez porque 2011, até não está muito distante já.
Agora perante ainda "...a discriminação, a homofobia e a hipocrisia moralista, ainda estão muito longe de ter um fim.", compete a todos nós fazermos com que essas "mal formações" de ideias se desvanecendo no tempo, dialogando, enfim não se ficar paradinho ...

atento disse...

Acrescento: tem que haver algum estímulo para que os bancos de esperma não fiquem esquecidos.

atento disse...

Errata: esperma = sémen

Aurora disse...

Identico só «El-Rei D. Duarte Nuno»..
Empatam no campeonato do ridículo.

Fernando Samuel disse...

O rosto, o sorriso, as palavras, a voz do homem irradiam inteligência: essa é que é essa...

Um abraço.

correia disse...

É pá esta é de morte,se vai por ali fora e começa a rezar um padre-nosso o papa era bem capaz de repetir a coisa atinadamente;que grande intelectual é o papa!Afonso -Afonso-Mariana-Mariana-padre nosso padre nosso nunca mais nos esqueçeremos! "o piriquito que vª exª me deu morreu"do tomás dos barcos",já estou perdido.Melhor que esta só a de vir da escola de regresso a casa a apanhar serrqalhas p´rós coelhos.

Aqualung disse...

Obrigado, uma coisa é ouvir isto no Governo Sombra e outra é coisa é ver o imbecil que proferiu estas palavras, tão maravilhado...

Nelson Ricardo disse...

Deve-lhe ter custado, mas lá teve de se sujeitar àquilo a que chamamos, a vontade soberana do povo.