segunda-feira, 2 de janeiro de 2012

Cavaco Silva – Xis...


Já não há muito mais a dizer (a não ser por especialistas, evidentemente) sobre as “conversas” que o cidadão Aníbal Cavaco Silva resolve, amiúde, ter com os portugueses, como foi o caso desta mensagem de ano novo.
Na minha qualidade de não especialista... gostei de algumas passagens. Sobretudo aquelas que, pela sua profundidade e luminosidade, me fizeram lembrar tempos que já lá vão. Tempos em que a fotografia aqui de cima era atual. Tempos em que se (por exemplo) perguntássemos ao Presidente da República de então o que achava do Almada Negreiros... ele responderia:
- Tudo depende da sorte do jogo... mas cá pra mim... vai ser um empate.
Um Cavaco Silva não servirá para grande coisa... mas sempre serve para mostrar que, infelizmente, esses “tempos que já lá vão” não foram assim há tanto tempo... e estão sempre à espreita de uma oportunidade para voltarem.

16 comentários:

Maria disse...

Tu poupa-me... não ouvi o homem nem quero, mas usei o cabelo exactamente como o dela...
Cruzes!

Abreijo de bom ano para todos!

Henrique ANTUNES FERREIRA disse...

Samuelamigo

Assim por assim, prefiro o cavaco dos Açores, talvez até um pouco melhor do que a lagosta de Cabo Verde. São parecidos os dois crustáceos, ainda que o primeiro não tenha nada que ver com o outro de Belém - de Belém dos pasteis, obviamente.

Enfim, ainda haveremos de ouvir o chamado PR dizer, tal como o seu antecessor de há uns tempos: este assunto só me merece um adjectivo: gostei.


Entretanto, o Vatefantasma volta a atacar…


O Ano Novo já entrou
pé ante é, de mansinho;
quem já dormia acordou
pra despedir o velhinho

De muletas e alquebrado
o velho nem quis saber
onde seria enterrado;
estava farto de viver

Mas o novo, um folgazão,
nem sequer lhe deu abraço
que era muita a confusão

Deu-lhe só um empurrão
pra ganhar o próprio espaço
ou escolher a… emigração


‘té parece que sou poeta… da treta

Abç

trepadeira disse...

Como não especialista acho que,neste frio da Beira,seria útil um cavaquito já seco.

Um abraço,
mário

Graciete Rietsch disse...

Tempos que já lá vão , mas que teimam em voltar. Não vamos deixar.

Um beijo.

Eduardo Miguel Pereira disse...

Fiz questão de não ver nem ouvir o que o Sr.Presidente tinha para nos dizer, até porque, se ele fosse tão sério como apregoa, o que tinha a dizer aos Portugueses teria de ser feito na barra do tribunal, frente a um juiz isento.

Desejo ao Sr. Presidente, e extensível a toda a sua família e amigos, que venham a sofrer em 2012 pelo menos o dobro daquilo que os Portugueses vão sofrer por causa dele, e de outros como ele.

Antuã disse...

Não ouvi o cavaco a zurrar.

Fernando Samuel disse...

Já nesse tempo ele tinha aquele sorriso indiciador de profunda inteligência...


Um abraço.

jrd disse...

Um cidadão-eleito Tuga:

http://bonstemposhein-jrd.blogspot.com/2011/05/as-ostras-e-as-perolas-20.html

Abraço

Justine disse...

Ignorante e arrogante - uma mistura explosiva que o leva sempre ao ridículo!
Abraço

Donatien disse...

Esse nem para o balde das peças...é de substância não reciclável...

Anónimo disse...

Todos os arrogantes tem algo a esconder, neste caso acho que é uma profunda imbecilidade por vezes, outras uma demência muito adiantada, mas, sobretudo uma esperteza traiçoeira.Não sei onde isto vai parar, mas a corda está a ficar muito esticada, um dia parte e logo se vê.

Miguel Botelho disse...

Cavaco Silva é o digno sucessor do outro presidente que tivemos, conhecido pelo «Cabeça de Abóbora».
São verdadeiramente fantásticos quaisquer dos seus momentos para a televisão, como aquele pequeno diálogo com uma senhora de idade:
«Que idade tem?»
«Tenho 92, senhor presidente.» «Então, faltam oito para os cem».

Manuel Norberto Baptista Forte disse...

Cavaco Silva, um debitador de mensagens, só para quem quiser ...

heretico disse...

uma questão apenas do tamanho das abóboras...

abraço

carol disse...

Essa do "empate" sobre o Almada Negreiros está de mais! Ainda é melhor que quando disse que Os Lusíadas têm nove cantos... Ih! Ih! Ih!

Não é para rir, não. É para chorar...

Olinda disse...

Para mim,esse iletrado,será sempre a imagem da destruiçao da agricultura,das pescas e da industria .Mas claro,para quem nunca se engana e raramente tem dúvidas,agiu sempre a bem da naçao.