quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

João Proença e UGT – Assalariados do ano


João Proença, essa espécie de “Submarino Amarelo” do sindicalismo (mas sem a música dos Beatles), terá durante as próximas horas o direito às carícias do patronato e do governo, terá direito ao seu “momento de glória”.
Uma glória suja, porca, vergonhosa, miserável!
Gabam-lhe a coragem... o que, vindo de figurões como Daniel Bessa, deveria ser considerado como um insulto por qualquer pessoa vertical.
Gaba-se ele próprio de ter conseguido fazer cair a “meia hora”, esquecendo-se de dizer que essa famosa meia hora, em que nem o patronato estava interessado, foi trocada por medias bem piores, afectando as férias, feriados, pontes, facilitando os despedimentos...  e essa verdadeira selvajaria que é o banco de horas, uma arma à disposição do patrão, para desregular completamente a vida privada e o direito a uma vida familiar estável, por parte dos trabalhadores... para além do aumento da exploração que implica. Um acordo a que Arménio Carlos da CGTP chama (e bem!) uma declaração de guerra contra os trabalhadores como nunca se viu depois de Abril de 1974 e um "regresso ao feudalismo".
Subitamente, Proença já sente a necessidade de dizer que, mesmo com o acordo, haverá conflitos e que a paz social não está garantida. Tem toda a razão!
Pertencer a uma minoria, como pertenço, uma minoria política, ou mesmo minoria no campo artístico (para mencionar apenas dois aspectos), é uma faca de dois gumes. Traz alegrias e tristezas, vitórias e derrotas. De vez em quando, independentemente de tudo, dá um grande prazer!
É pra mim um prazer enorme, por estes dias, poder afirmar que pertenço à minoria que bateu com a porta na cara a esta canalha. Uma "minoria" que lhes dirá, alto e bom som, nas ruas e em toda a parte, o que pensa das suas políticas... a que não me arrependo de chamar fascismo económico.
Os “Proenças” desta vida podem até arvorar para as câmaras de televisão um ar vitorioso e consolado com os elogios dos (seus) patrões... mas quero crer que, na calada da noite, sozinhos consigo próprios, os seus fantasmas e o que resta do seu carácter, eles sabem que se venderam.

23 comentários:

Maria disse...

Nesta fase do campeonato eu já nem sei se eles sabem o que é venderem-se ou deixarem-se comprar.
Mas ele sabe que é um canalha. Isso ele sabe! O seu amigo torres couto deixou-lhe o recado (como se também ele não pertencesse à mesma corja, mas enfim...)

Abreijo.

do Zambujal disse...

Viva esta minoria a que pertencemos e que é a do maior número!
Abaixo os vendidos à minoria para que ela seja, aparentemente, maioria!

Grande abraço

salvoconduto disse...

Em breve até aqueles a quem lambeu a mão o escorraçarão, é dos livros, já cumpriu o seu papel...

jrd disse...

Vendeu-se por trinta dinheiros, i.é, por trinta minutos.

Anónimo disse...

Evidente que se venderam pois sempre se venderam fosse em que momento fosse. Só pergunto, como é possível um trabalhador que se respeite acreditar na UGT?
No entanto, a CGTP essa continua integra a dar aos trabalhadores a esperança porque mesmo perdendo uma batalha não se perde a Guerra. Cá vamos apesar de tudo o que nos roubam a continuar a lutar. Avante! Força!
Forte Saudação. Vicky

nm disse...

Filhos da... tal senhora!...
A luta continua!...

Rogério Pereira disse...

"É pra mim um prazer enorme, por estes dias, poder afirmar que pertenço à minoria que bateu com a porta na cara a esta canalha."

Seremos mais, amanhã, quando o povo acordar...

Antuã disse...

proença fez o acordo mas do que ele precisa é da corda.

domingos estanislau disse...

É tudo isso SAMUEL. Com estas medidas os trabalhadores passaram a escravos. A meia hora foi uma falacia para este bandido utilizá-la como argumento para assinar um acordo traidor, que constitui o maior recuo dos direitos de quem produz riqueza. PROENÇA ficará na história do movimento sindical, não como sindicalista mas como intruso no movimento a mando do grande capital. Sempre foi nojento este verme e agora desmascarou-se

vovó disse...

uma minoria, que nos deixa dormir em paz.

chegámos ao máximo dos nojos!
se eu pudesse "basar" daqui!!!...

Pintassilgo disse...

O Torres Couto diz que este acordo pode ser a certidão de óbito da UGT.

Graciete Rietsch disse...

Eu também me orgulho de pertencer à minoria que perde contra essa maioria que todos os dias degrada a vida do trababalhadores e a passos acelerados se vai afastando cada vez mais do glorioso 25 de ABRIL.

Um beijo.

maia disse...

Eles sabem que mentem. Têm que saber. Não têm é escrúpulos. O bolso deles é o mais importante. Ouvi-los é um acto de tortura. Parece que a riqueza não é o trabalho. Para eles a riqueza são os ricos.
E isto parece-me tâo simples: quando os trabalhadores quiserem, tudo será diferente. As suas mãos fazem e desfazem TUDO!

trepadeira disse...

Alguns já nascem vendidos,nascem pelas patas de quem os compra.

Um abraço,
mário

Anónimo disse...

Eu sei o que é pertencer a essa minoria e o que me custou depois do 25/11/975, pertencer a ela.
Quanto ao Sr. João Proença e a toda a corte que o tem acompanhado, fazendo de suporte para contribuirem para o estado de coisas a que chegamos, esses e todos os que passaram pelos centros de decisão deste país, dormem descandsados toda a noite.
Só não dorme descanado, pela calada da noite, quem tem ainda um resquício de alma que o faz envergonhar quando se olha ao espelho. E esta camarilha toda que nos tem conduzido ao fosso em que estamos, nem alma tem.
Num comentario acima diz que são filhos da ....tal senhora. Puro engano. Estes nem direito têm a ter mãe, para não sermos obrigados a ofender as mães de tal gesta que não têm culpa dos filhos serem o que são..

Fernando Samuel disse...

Sabe que se vendeu e está satisfeito com o valor da venda - por isso dorme feliz que nem um santinho...

Um abraço.

Jorge disse...

O Pançudo!

correia duque disse...

Como é que se pode passar, num àpice,do papel de donzela ofendida,a capacho da selvageria ultra liberal?Vender de uma penada,anos de luta,trabalho arduo,tenacidade dos trabalhadores,sacrificios e até sangue derramado?
Compreendo;foi depois do jantar e da ceia que a traição foi rabiscada.Desta vez,ao que pareçe, o brinde não se fez com porto.Desta vez,os pseudo representantes da classe trabalhadora,beberam a cicuta!
Estranhar não estranho,governe quem governar,haja o que houver, esta gente assina sempre tudo.
Lutaremos meus senhores!

Anónimo disse...

Eles não vendem a mãe é porque já morreu, ou não vale mesmo nada.

Falta esperar para ver o preço por que estes canalhas se venderam é para isso que temos que estar agora preparados.

Para que não sejamos surpeendidos com mais canalhices.

Roma paga aos traidores depois crucifica-os. Quando não é o imperio a faze-lo fazem-no os traidos.

Agora compete a todos nós apregoar a traição pela urbe.

Khe Sanh

Vasconcelos disse...

Anda-se tudo a vender.É o que resta já não há mais nada.
Ainda há uns comícios,umas manifestações,mas isso conta pouco,os gritos dos indignados estão reservados para o Benfica Porto e para o Pinto e o Vieira.
A verdade crua è que o pessoal está á espera do Rock in Rio,isso sim é que é MULTIDÃo e Agitoprop.

Anónimo disse...

O VENDEDOR DOS TRABALHADORES JOÃO PROENÇA,ACABOU POR MOSTRAR A VERDADEIRA FACE,DOS TRAIDORES E VENDILHÕES DO TEMPLO,TRAINDO O POVO E OS TRABALHADORES DESTE PAÍS,ASSINANDO TUDO E MAIS ALGUMA COISA A TROCO DE UM PRATO DE LENTILHAS,E MAIS UM COM A CABEÇA A PREMIO,PARA QUANDO FIZERMOS UM NOVO E VERDADEIRO 25 DE ABRIL,A JUNTAR A TANTOS OUTROS QUE NOS TÊM APUNHALADO,OU SÓ O MIGUEL VASCONCELOS E QUE ERA TRAIDOR,QUANDO VENDEU A PATRIA AOS ESPANHOIS POR 60 ANOS,ENTÃO E ESTES NOVOS VENDILHÕES E TRAIDORES DO NOSSO PAÍS QUE NOS VENDEM A CHINESES,HOLANDESES,A TROIKA,AO FMI,A CEE,ETC.
EU COMO BARREIRENSE TENHO NOJO DESTA CANALHA,SUJA, CORRUPTA,PORCA,VIGARISTA,QUE MERECEM SER FUZILADOS OU ENFORCADOS,POR TODOS OS CRIMES QUE TÊM COMETIDO LESANDO A NOSSA PÁTRIA.

Maria disse...

Não assine vá 1

Provoca-me disse...

Está gordo o pavão, o caviar, o leitão, e o marisco sabem-lhe bem, mais o que leva por baixo da mesa. Vendido.