segunda-feira, 14 de junho de 2010

Lady Godiva - Isto já não vai lá com lendas


"Lady Godiva" - John Collier

Diz a lenda que, vai para quase mil anos, Lady Godiva, condoída pelas agruras que passavam os cidadãos da velha Coventry, esmagados sob os impostos e taxas com que eram sangrados pelo seu próprio marido, o conde Leofric, não se cansava de lhe pedir para ser menos duro nos sacrifícios que pedia aos cidadãos, ou pelo menos, que esses sacrifícios lhes fossem muito bem explicados, como à época aconselhou um tal Cavack Silver... que não ficou na História.

Tanto a Lady pediu, que o Leofric, só para a calar, desafiou-a a percorrer as ruas da cidade, a cavalo e sem roupa. E então não é que Lady Godiva lhe pegou na palavra e foi pela cidade, toda fresca e louçã (passe a expressão), cavalgando ao natural?! O conde Leofric viu-se obrigado a cumprir a sua palavra e presume-se que foram felizes para sempre.

Ai de nós! Hoje os tempos são outros e não há Lady que possa acudir a tanta portagem, tanto IVA, tanto IRS, tanto IRC, tanto corte, tanto congelamento, tanto desemprego, tanta promessa enganosa “tanta loja de perfumes”, “tanta pomba assassinada”.

Ai de nós! Ao nosso conde Leofric não se lhe conhece Lady de qualidade nenhuma... e mesmo que a tivesse, duvido que a senhora estivesse disposta a meter-se ao trânsito da capital coberta apenas... de boas intenções.

Razão mais do que suficiente para que busquemos, urgentemente, outra solução!

5 comentários:

Fernando Samuel disse...

Grande texto!

Um abraço.

Maria disse...

Não podia estar mais de acordo contigo!
É bom voltar a poder ler e comentar :)))

Abreijos, com saudades.

O Guardião disse...

Lady não há porque até a jornalista deu de frosques e o conselheiro Cavackensis , o actual, também não ficará na História por dar bons conselhos.
Um suspiro por uma Godiva.
Cumps

Do Lado De lá do Azul disse...

Venho do lado de lá do azul
onde ainda não há cor
e o tempo, é uma praia vazia

vôo baixinho
á beira do teu corpo

Venho sem manto
de brilho puxado á pressa
troco a noite pelo dia
e ali fico perdida


vôo baixinho
à beira do teu corpo

Trago a espuma dos céus
o respirar das marés
e o branco,
que acorda o dia

vôo baixinho
à beira do teu corpo

Apanho a tarde desprevenida
ouço os suspiros do sol
que se agarra vermelho
às pontas do dia

vôo baixinho
à beira do teu corpo... (x3)

aaaah (perco a cabeça nas nuvens)

Arrombo as portas do sol
perco a cabeça nas nuvens
e só parto
com a noite fria

vôo baixinho
à beira do teu corpo

vôo baixinho
à beira do teu corpo

vôo baixinho
à beira do teu corpo

Graciete Rietsch disse...

Não há Lady Godiva que salve este Povo. Tem que ser ele a tomar a iniciativa.

Um beijo.