quarta-feira, 9 de junho de 2010

Vasco Gonçalves – Passem palavra



Estávamos em Agosto de 1975, o chamado “verão quente”. A revista norte-americana “Time” publicava esta capa, tocando a rebate, a nível europeu (e mundial), contra a “Ameaça Vermelha em Portugal”, estampada em grandes letras e no tipo de grafismo capaz de assustar os ignorantes.

Em Portugal, fazendo o trabalho que a direita, escorraçada do poder havia um ano e poucos meses, ainda não tinha “tin-tins” para fazer às claras, o auto-proclamado “pai da democracia”, o contra-revolucionário Mário Soares, manobrava despudoradamente. Queria a intervenção militar dos Estados Unidos da América em Portugal, para travar as conquistas populares. Queria Portugal invadido pelos “marines”...

Até os americanos acharam isso uma loucura. Decidiram que podiam bem pagar a Soares e aos seus cúmplices, para fazerem esse trabalho sujo. Desde então (e até hoje) correram para as várias “fundações” do PS rios de dinheiro vindo dos EUA, da Alemanha, etc.

Assim foi possível financiar principescamente as campanhas contra a Revolução de Abril. Desde o “ultra revolucionário” MRPP, até onde a desvergonha permitiu. Desde a desinformação e as campanhas de medo, até aos assaltos e incêndios de Centros de Trabalho comunistas e sindicatos... cuidadosamente atribuídos exclusivamente à extrema direita.

E aqui chegamos à figura ímpar de Vasco Gonçalves. O “Companheiro Vasco”. O alvo escolhido. Se a Reforma agrária foi a conquista da Revolução que maior e mais violenta guerra sofreu, liderada exactamente por Soares e Barreto, Vasco Gonçalves foi o militar de Abril que viu cair sobre si o ódio mais vesgo, mais cego, mais raivoso. Foi alvo de ataques, mentiras, calúnias e de uma guerra aberta que Soares e o seu amigo da CIA, Frank Carlucci, alimentaram até ao limite... e até hoje, na verdade.

Pode perguntar-se o que terão feito os camponeses do Alentejo e Ribatejo, tal como Vasco Gonçalves para merecerem tal ódio por parte de Soares e dos seus cúmplices. Simples! Enquanto a Reforma Agrária mexeu com uma coisa “sagrada” que é o uso e posse da terra, Vasco Gonçalves, enquanto chefe de um Governo de Portugal, fez o impensável: ficou do lado do Povo! Uma coisa que para gente da estirpe de Soares e Frank Carlucci não tem perdão. Isso é um facto imutável ao longo da História.

Porém, igualmente imutável, é o carinho, a admiração que o Companheiro Vasco conquistou junto de muito desse povo. O exemplo de vida e as fecundas sementes de futuro que semeou nos corações de milhares de portugueses.

Anda aí correndo por blogues de gente boa um texto que vi primeiro aqui e depois comecei a ver multiplicado por muitos, convocando aqueles que sabem quem foi realmente Vasco Gonçalves, a comparecerem no próximo dia 11, às 11 horas, numa Romagem ao Cemitério do Alto de São João, promovida por amigos e familiares deste, por ocasião do 5º aniversário do seu falecimento.

Termino como termina o texto do “Cravo de Abril” de que já falei: Passem palavra. E apareçam.

18 comentários:

Maria disse...

Excelente texto, Samuel!
Devo tanto a este Homem... e não vou aparecer no dia 11. Porque vou estar longe. Mas continuarei a ser parte da Muralha de Aço!

Abreijos.

Ana Martins disse...

Um tipo incrível! Das mais bonitas pessoas da nossa Revolução.

correia disse...

Resta a esperança que no futuro a história de Portugal se continue a fazer,para que de forma isenta se saiba diferençiar um patriota de um vende pátrias.Vasco Gonçalves foi um dos melhores amigos do povo trabalhador deste Portugal!será certamente no futuro um dos absolvidos pela história!

Manuel Norberto Baptista Forte disse...

"...figura ímpar de Vasco Gonçalves." pela positiva, algo que muita falta faz nos dias de hoje; era uma pessoa que dizia no momento aquilo que lhe aprouvesse sobre o assunto em discussão e em linguagem simples e directa.
Quem pode esquecer o célebre Comício de 1975 em Almada?.
Até sempre, Camarada Vasco.

Anónimo disse...

Os programas de história deveriam incluir estes factos, que muita gente desconhece, e assim, ensinar aos alunos o que muitos fizeram para que hoje eles e os pais possam ter liberdade. A dupla face do Bochechas não é conhecida da maioria. Muitos ainda o acham um democrata...pois não é.
Grande homem o camarada Vasco!!

Graciete Rietsch disse...

Grande ,querido e nunca esquecido companheiro Vasco. Não poderei estar presente mas conservarei a vida inteira a recordação da tua integridade, patriotismo, entusiasmo, espírito de luta, bondade.....estarás sempre no meu coração.

Um beijo, camarada Samuel.

Maia disse...

O único governante que até hoje esteve, efectivamente, do lado do Povo. Este homem foi um exemplo. Tenho um filho de 31 anos que não é João Vasco por acaso. Lá estarei a lembrar-te, Companheiro.

Fernando Samuel disse...

Dia 11, às 11 horas: é preciso avisar toda a gente.

Um abraço.

Anónimo disse...

Caro senhor Samuel, pode fazer o elogio que entender a Vasco Gonçalves, mas não precisa de esquecer algumas realidades.

A- No verão quente, sedes de VÁRIOS partidos de esquerda, foram assaltadas e queimadas sobretudo no Norte do país e nas ilhas, e não só do PCP.

B-A chamada Reforma Agrária no seu inicio, foi uma acção totalmente espontânea de trabalhadores rurais, como resposta ao abandono das terras pelos grandes proprietários agrícolas , e não foi de todo bem vista, pelos primeiros governos provisórios chefiados por Vasco Gonçalves.

.

Mais tarde boa parte desse movimento foi enquadrado e controlado partidáriamente , mas isso é outra historia.

Sobre Vasco Gonçalves, os trabalhadores não esquecem , a treta do Dia de Trabalho para a Nação, o ataque ao Movimento Grevista,as chamadas greves selvagens , acusadas de fazerem o jogo da reacção.

Se Vasco Gonçalves após o 11 de Março e sobretudo na fase mais quente do PREC , se esquerdizou, não se pode esquecer a sua actuação antes dessa data.

Nem toda o percurso politico de Vasco Gonçalves está isento de criticas, e o pior que podem fazer a um politico como Vasco Gonçalves, é tentarem escamotear os pontos negativos da sua actuação.

Anónimo disse...

Chiça, ia levando o País à miséria!

samuel disse...

Anónimo (18:03):
A sua opinião é sua, pessoal, intransmissível. Felizmente, é muito discutível...
De qualquer modo sobre a “chamada” Reforma Agrária, como curiosamente lhe chama, aproveita para mais uma vez difundir uma ideia já muito estafada: a de que foi um movimento “espontâneo”, mais tarde enquadrado. Vá contar essa aos camponeses e militantes que nos campos e na clandestinidade lutavam havia décadas por ela.
É uma ideia tão largamente apregoada, quanto errada.
Quanto ao resto...
Não gostou do Dia de Trabalho? Eu gostei!
Não acha que tenha havido greves “selvagens”, mais propriamente, provocações, objectivamente contra os interesses dos trabalhadores? Eu acho!
Como disse, vivam as opiniões, mais propriamente, a liberdade de as divulgar.

samuel disse...

Anónimo (19:37):
Ó meu caro anónimo! Ainda bem que nos livrámos do homem, cum carago! Senão como é que Sá Carneiro, Soares, Cavaco, Guterres, Durão, Sócrates e mais umas outras nulidades intercalares, nos teriam trazido até ao paraíso em que hoje vivemos?
Mas pronto... se calhar o amigo gosta disto... ele há gente para tudo!...

Paulo Assim disse...

Essa de levar o país à miséria (do anónimo) é muito divertida!...

Aurora disse...

Ao
Anónimo de 9 de Junho de 2010 19:17, desculpe se o refiro assim mas infelizmente não sei o seu nome. Mas compreendo que para fazer afirmações mentecaptas é melhor manter o anonimato. O pensamento de Stephen Hawking assenta-lhe bem.
"O maior inimigo do conhecimento não é a ignorância mas sim a ilusão do conhecimento."

Milan Kem-Dera disse...

E lá volta você ao PREC, Samuel! Eu até sou capaz de entender que este período (negro) da vida deste país seja muito querido para si. Bem, se calhar até lhe ficam bem esses sentimentos, a si, porque a mim só me trazem as piores recordações. E eu não sou nem nunca fui latifundiário, antes um trabalhador por conta do estado.
Nomeadamente quanto ao Gen. Vasco Gonçalves, eu não sou historiador mas aposto que este tão apregoado papa da revolução comunista no período do PREC só poderá ficar para a história com o cognome do "general louco". Pseudo-idealista, irrealista, impreparado para o cargo, atabalhoado nas suas decisões, catavento das opiniões e dos conselhos de alguns dos irresponsáveis capitães que, de politica, sabiam tanto quanto ele próprio... bem, um rosário interminável de asneiras que o ultrapassaram e que se perpetuam até aos dias de hoje, todos concorrendo para nos conduzirem à miséria em que hoje este país chafurda.
Sim, porque (e nisso dou-lhe inteira razão) toda a quadrilha de escroques e de crápulas que se lhe seguiram nos comandos deste país, não fizeram nada de melhor do que o "camarada Vasco", antes nos enterraram ainda mais no esterco até ao pescoço.
E, para esta destruição, todas as camarilhas soaristas, cavaquistas, guterristas e socratistas foram bastante eficientes.
Se foram!... E continuam a ser!...

Mas ainda não perdi a esperança de que a justiça dos homens se faça... relativamente a TODOS ELES!

Anónimo disse...

Sr Samuel, bastava ter sido militar durante o periodo que vai do Setembro Outubro de 1974 quando se dão as primeiras ocupações de terras, até ao 11 de Março , para perceber quão espontâneas foram essas primeiras ocupações, e que tinham como objectivo, impedir que os Agrários levassem o gado para Espanha, ou que pura e simplesmente tinham abandonado as herdades , e tinham deixado muitos trabalhadores Agricolas no Desemprego.

Sobre as greves selvagens, como Vasco Gonçalves e certo partido lhes chamava, anoto a sua concordância, só que á época como hoje, elas exigiam aumentos de salários, melhores condições de vida, e por vezes coisas tão comezinhas , como o direito de irem á casa de banho sempre que precisassem.

Ontem eram selvagens para determinado partido, hoje essas mesmas lutas são justas , e merecem todo o apoio.

Mudam-se os tempos mudam-se as vontades....

alex campos disse...

(... e mais umas outras nulidades intercalares)
O dramático da questão é que cada vez mais para pior, avizinhando-se agora os passos do coelho que não sendo uma besta quadrada é um imbecil cúbico.

Um abraço

Jeremias disse...

A História do nosso país fica mais uma vez marcada por uma figura que esteve ao lado dos oprimidos, alguns ignorantes por dá cá aquela palha não vêem assim, mas nada irá mudar o curso dos tempos. Mas uma certeza porém este país está a precisaqr de outro VASCO GONÇALVES; e tambem de outro POVO que quando vá votar saiba o que faz; sabemos por outras experiências que mesmo que o POVO as dificuldades impostas pela reacção seriam imensas.
Vou lá estar amanhã.