quinta-feira, 3 de junho de 2010

Rosa Coutinho (1926 – 2010)



Fizeste o que esteve ao teu alcance para mudar as nossas vidas para melhor...

O que conseguiste fazer, fizeste-o com empenho, alegria e generosidade.

Obrigado, amigo!

13 comentários:

Anónimo disse...

Fizeste.
E não foi pouco
Obrigado

salvoconduto disse...

Sempre atravessado na garganta de muito saudosista do império...

karipande disse...

Um abraço de um muito obrigado a um homem sincero, um revolucionário honesto, e de um enorme caracter.
Um obrigado de muita gente que te estimou sempre, e de alguem que conviveu o suficiente para te escrever estas breves palavras, num momento triste para nós.
Fernando Pereira

Maria disse...

Soube estar ao lado do povo a que pertencia.
Do lado certo da vida.

Obrigada!

Fernando Samuel disse...

25 de Abril Sempre!

Um abraço.

Graciete Rietsch disse...

Embora não o conhecesse perdi um grande amigo.
Obrigada Rosa Coutinho.

V disse...

Não "estive" no 25 de Novembro, mas por razões profissionais soube depois, de ciência certa, que Rosa Coutinho teve, acompanhado de Almada Contreiras, um papel decisivo na submissão dos fuzileiros do Alfeite, na noite 25/26, às ordens do PR, Gen. Costa Gomes.
As notícias que a contra-informação fazia então chegar ao Alfeite era a de que os Comandos da Amadora matavam a torto e a direito nas ruas de Lisboa e particularmente em Belém.
Tendo caído nessa armadilha, os fuzileiros estavam prestes a marchar sobre Belém para enfrentar os Comandos de Jaime Neves. Armados até aos dentes como estavam,tê-los-iam dizimado. Teria sido uma tragédia e provavelmente a guerra civil que Carlucci e os nesse momento "refugiados" no Porto haviam planeado.
Só a autoridade de Rosa Coutinho (e também de Almada Contreiras) e a coragem com que enfrentou uma tumultuosa assembleia de militares e civis sedentos de vingança evitaram uma catástofre.
Estes factos estão profusamente documentados num processo-crime que, se não foi destruido, está nos arquivos do EMGFA.
V

Pisca disse...

Caro V

Estive lá nesse momento histórico e vi que foi travada uma aventura que nos conduziria a algo muito grave, presentes, Rosa Coutinho, Martins Guerreiro, Almada Contreiras e Rosário Costa (penso não estar enganado)

Tudo na Sala do Comando da Base Naval do Alfeita, madrugada fora

José Rodrigues disse...

Que a juventude marinheira se inspire no exemplo de Rosa Coutinho,sempre ao lado do povo,desconfiando das hienas[Carluccianas] que não se calam...

A luta continua

V disse...

Caro Pisca

Foi isso mesmo.
Não estive lá mas estive no processo-crime que referi, ao lado do "arguido", o saudoso Rosário Dias (e não Costa), onde está tudo o que a que os vencedores do 25 de Novembro não só nunca contaram, como ocultaram ou falsificaram.
V

Manuel da Mata disse...

Um Homem. Suscitou à sua volta amor e ódio. Inesquecível.

lp16 disse...

«Que a juventude marinheira se inspire no exemplo de Rosa Coutinho,sempre ao lado do povo,desconfiando das hienas[Carluccianas] que não se calam...»
Exactamente José Rodrigues.

Honra ao Almirante Vermelho!

Pisca disse...

Caro V., obrigado por me corrigir o nome, lembro-me perfeitamente da figura, mas falho o apelido