segunda-feira, 6 de maio de 2013

Bangladesh – Um pensamento...




É típico daquela região do mundo (e de outras, infelizmente!) a instalação de fábricas de têxteis em edifícios de vários andares, sem condições de trabalho, sem condições de higiene e sem normas de segurança dignas desse nome.
Mais um desses edifícios ruiu. Desta vez foi no Bangladesh. Estavam lá dentro trabalhando, à hora do desastre, mais de 3.000 seres humanos. A contagem de vidas sacrificadas à incúria, à ganância sem escrúpulos e à abjecta cumplicidade das autoridades e do comércio do mundo “civilizado”, vai já em mais de seiscentas.
Pensemos nisso de cada vez que ouvirmos a notícia de mais uma pequena empresa têxtil portuguesa que fecha, por não poder "competir" com esta prática criminosa, lançando mais umas dezenas, centenas, milhares de trabalhadoras e trabalhadores para o desemprego.
Pensemos nisso, de cada vez que acharmos tão “maravilhosamente baixos” os preços de t-shirts, calças, camisas e outros produtos têxteis vindos desses países. Preços “maravilhosos” que são fruto de trabalho semiescravo... e muitas vezes feito por crianças.

12 comentários:

R. Vieira disse...

E por vezes, não tão "maravilhosamente baixos", o que leva a pensar nas obscenas margens de lucro que as marcas ocidentais conseguem auferir graças à exploração - a par da cumplicidade criminosa das autoridades locais, claro! - a que os trabalhadores são sujeitos em países para onde "deslocalizaram" a produção, como ocorre no Bangladesh, entre outros.

Jorge Manuel Gomes disse...

Como diria Almeida Garrett:

“…E eu pergunto aos economistas políticos, aos moralistas, se já calcularam o número de indivíduos que é forçoso condenar a miséria, ao trabalho desproporcionado, à desmoralização, à infâmia, à ignorância crapulosa, à desgraça invencível, à penúria absoluta, para produzir um rico?...”

O Capital não tem moral nem vergonha. Por isso têm que ser derrotado pela luta dos trabalhadores!

"Proletários de todos os países, uni-vos!" Karl Marx

trepadeira disse...

O capitalismo sempre foi criminoso e assassino.

Abraço,
mário

Provoca-me disse...

Semi não, totalmente escravo.

Graça Sampaio disse...

Mundo cão!

Graciete Rietsch disse...

Governos assassinos que as "grandes democracias"toleram e utilizam em seu benefício.

Um beijo.

Olinda disse...

O portuguesinho,na generalidade,tem uma mentalidade pequeno burguesa.Gosta de marcas, e nao se preocupa onde ê feito,nem em que condicoes.

Um beijo

Maria João Brito de Sousa disse...

... e "cultivados em estufa", esses que as "grandes democracias toleram". "Colhidos" - e escolhidos... - como as mais raras flores!

Abraço!

Anónimo disse...

Um capitalismo global sem vergonha e criminoso.
Vicky

Luis Filipe Gomes disse...

É tempo de perguntar quanto custa o preço baixo que nos pedem que paguemos.
"O barato sai caro."
Quem paga esse preço barato? E quem pagará e quando pagará o preço caro que o primeiro impõe?
Mais do que nunca é tempo de em vez de perguntar quanto custa perguntar se esse custo é justo.

augusta disse...

é urgente que, contra tudo quanto nos querem ainda mais tirar, até a nossa capacidade de pensar,
lutemos.
depois deste post ler, contra toda a indiferença, contra todo o conformismo...
pensemos pois!
para podermos em consciência e com carácter de urgência
agir.

Antuã disse...

Está-se mesmo a ver que a culpa édos comunistas, não é verdade?!...