terça-feira, 21 de maio de 2013

Jorge Videla – Festejar (apenas) o que é festejável


Jorge Videla, que vemos aqui em duas poses diferentes, a primeira a sua pose oficial de ditador fascista e assassino sanguinário, perdoe-se a redundância... e a segunda, de “bom cristão”, comungando e, certamente, elevando o pensamento aos céus e aos vários milhares de vítimas da sua pose oficial, vítimas mandadas assassinar, no caso de se tratar de oposicionistas, ou crianças roubadas aos pais, aos milhares... e de que, até hoje, não se conhece o paradeiro.
Se há coisa de que me posso gabar é do facto de não ser fácil, senão impossível, encontrar um texto em que eu tenha festejado a morte de alguém neste espaço que já leva mais de cinco anos de desabafos mais ou menos sérios, mais ou menos disparatados, mais ou menos irritados.
Mais uma vez, também agora não festejarei a morte do ditador argentino, morte anunciada já há alguns dias. Não! Aquilo que festejo, sem sequer tentar disfarçar... é o facto de, embora por pouco tempo, o canalha ter, de facto, cumprido a pena de prisão perpétua a que foi condenado.
Digo mesmo mais. A morte bem que poderia ter esperado mais um bom par de anos... mas é bom que o tenha encontrado no seu lugar: uma cela da prisão!
Tantos já escaparam! Tantos ainda por apanhar, julgar e prender... mas é um passo!

20 comentários:

Justine disse...

Que a justiça funcione, de vez em quando! Neste caso funcionou...

Antuã disse...

Há quem diga que o Francisco vai funcionar para a américa Latina como o João Paulo II para a Europa.

Anónimo disse...

tanto ódio, Samuel. Até me faz impressão......

Marralhos disse...

Como dizia a minha avó sempre que morria um filho da puta.
Que a terra lhe seja leve como o chumbo.

samuel disse...

Anínimo (15:57):

Já a mim, o que faz muita "impressão", é existirem seres capazes de, a propósito deste texto que escrevi, deixarem um comentário como o que você deixou.

Para além de não estar a ver o "tanto ódio" que o/a senhor/a aqui vê, qual é o seu problema? Admira assim tanto o assassino Jorge Videla? Parabéns!!!!!!

Anónimo disse...

Sr. Samuel, não admiro o homem.
Só não me sinto bem como essas manifestações de jubilo por alguém que faleceu.
Não tenho a minima pena dele, mas nao venho fazer festa.
É isso e mais umas coisinhas que ainda nos nos distingue dos selvagens.
E o 'ser capaz' tem nome. Ana Maria Clemente, Lisboa, Freguesia de Olivais, nascida em Mora (peço desculpa por não conseguir colocar o meu nome, alcunha ou falso nome em letras azuis, mas a minha idade já não me permite aprender tanto como o senhor aprendeu).

samuel disse...

Ana Maria Clemente:

Caríssima Ana Maria Clemente, Lisboa, Freguesia de Olivais, nascida em Mora…

Na verdade, ninguém é obrigado a aprender a colocar o nome "em letras azuis" em coisíssima nenhuma… mas vejo que sabe usar um computador e, pelos vistos, sabe escrever e, portanto, sabe ler.

Sendo assim, adoraria que me apontasse onde é que no meu texto estão as "manifestações de júbilo por alguém que faleceu", ou onde é que faço "festa", quando, pelo contrário, até digo que a morte deveria ter demorado mais uns bons anos a chegar.

O castigo dele não era morrer, mas sim passar o maior número de anos na prisão!

Se desta vez me fiz entender… ficarei feliz! A capacidade de nos fazermos entender (mais umas coisinhas) é o que ainda nos distingue dos selvagens… não é?

Saudações.

Anónimo disse...

Senhor Samuel,

Dispenso a sua retórica paternalista. Eu percebi onde o senhor quis chegar.

Ainda bem que fica feliz. Eu não posso dizer o mesmo pela forma como me enxovalhou

A.M.Clemente

Anónimo disse...

Pelos visto,aquando o massacre feito a Gaddafi, o nobel da pax ,a srªa Clinton,ococainómano do franciú,fartaram-se de regozijar pela aquela selvajaria,a bem das posidÊncia do petróleo,ouron e água na Líbia 'democrática' da alqaeda....

Pintassilgo disse...

O Samuel deve andar com ausencias na sua vida sexual. Só pode pela forma como se dirige a quem não subscreve os seus comentários.
O senhor tem um blogue para quê ? É para valorizar a sua auto-estima, lendo os elogios que lhe escrevem?

samuel disse...

A.M.Clemente:

Cara senhora...

Decididamente, não conseguimos comunicar!

"Retórica paternalista"... "a forma como me enxovalhou"...

Decididamente, a senhora tem uma capacidade de "ver coisas" que me ultrapassa. É melhor ficarmos por aqui.

Ainda assim, ao desafio que lhe fiz, de me apontar onde é que eu festejava a morte do assassino Videla... respondeu coisa nenhuma. Prefere vitimizar-se a pretexto de "enxovalhos" e "paternalismos" imaginários. É uma técnica possível...

Respeitosamente,
Samuel.

samuel disse...

Pintassilgo:

Vou partir do princípio de que não se trata da mesma pessoa que, noutras ocasiões, aqui comenta com esse pseudónimo. Parece-me de todo impossível!

Portanto, a resposta e este outro "pintassilgo" vai em três tempos:

1. Em que termos assim tão graves é que eu me dirigi seja a quem for, neste post, presumindo que se está a referir à resposta que dei à senhora que INVENTOU que eu estava a festejar a morte do assassino Videla?

2. Tenho um blog para tudo… menos para aturar comentários desse jaez.

3. Quanto às minhas "ausências na vida sexual"… se realmente acha que é esse o caminho por onde deve ir… então seja! Aí vai ao mesmo nível, uma vez sem exemplo: Vá para o caralho!!!

Passar bem! (E de de preferência... de vez!)

Pintassilgo disse...

Esse pseudo-pintassilgo precisa que lhe cortem o pio. Eu ssou o verdadeiro Pintassilgo.

samuel disse...

Estripador:

Ó estripador que deixa links para as baboseiras do "historiador" fascista das não sei quantas (era o que faltava fazer-lhe aqui publicidade!)...

Você, para além de fascista, tinha mesmo que ser tão estúpido?!
Os seus indigentes "comícios nazi/fascistas" disfarçados de "comentários", não são publicados, pobre criatura!!!

Anónimo disse...

Eu é que sou o Pintassilgo. O Outro vá pastar caracois

Pintassilgo disse...

Ó anónimo tu é que és o verdadeiro filho da puta que passeia caracóis.

Olinda disse...

O que me distingue do selvagem Videla,ê estar solidâria com as maes,com as avôs de milhares de vîtimas da ditadura fascista Argentina.Nao respondeu por todos os seus crimes,mas pelo menos,foi punido,pelo roubo de criancas nascidas nos campos de concentracao,depois de lhes matarem as maes.Estes crimes hediondos tiveram o apoio dos EEUU,e a conivencia do Papa Francisco.
Estou de acordo,que deveria estar mais anos preso,mas em condicoes brutais,como as que infligiu ao povo Argentino.

Um abraco

Anónimo disse...

Dona Ana Maria Clementina. residente em Lisboa e Alentejana como eu.

Desculpe meter a foice em seara alheia como se diz na nossa terra.

Saiba que fiquei assarapantado (um dito dos nossos) com a sua compaixão por a morte deste monstro sanguinário.

A Dona Ana Clementina sente essa comoção porque ignora o sofrimento que este títere provocou a milhares de inocentes na Argentina.

Foi com o objetivo de informá-la sobre a natureza desumana deste canalha, a dor o sofrimento os crimes que permitiu que fossem praticados durante o seu mandato que intervim.

E tenho a certeza que depois de saber algumas das malfeitorias deste canalha, e as motivações politicas que o levaram a permitir tais crimes vai deixar de sentir quaisquer dor por a sua morte.

Começo por aconselhá-la a ler o livro " O meu nome é Victoria" de Victoria Donda da Editora Bizâncio.

Conta a vida de uma jovem que nasceu numa prisão "ESMA" onde foram assassinados mais de 5 000 presos politicos.
Os pais foram mortos e ela foi raptada e entregue a um oficial dessa prisão.

Dona Ana Clementina leia, porque se trata de uma história bastante comovente, e ao mesmo tempo relata a forma como eram eliminados os opositores pliticos.

Foram mais de 30 000 os desaparecidos, cerca de 2 000crianças raptadas cujos pais foram assassinados nas prisões.

Foram praticadas atrocidades com tal brutalidade que nos deixam marcas para a vida só de termos conhecimento delas..
Como aquele caso de um casal com dois filhos um com 4 anos e um bebé de seis meses, assassinaram os filhos na presença dos pais para obter confições.

Ou como escreve a Vitoria no livro, durante a final do campeonato mundial de futebol um estádio cheio rejubilava de entusiasmo e a menos de 100 metros estavam pessoas a ser torturadas e assassinadas.

A partir desse momento fiz uma opção, futebol nunca mais.

A FIFA escolheu a Argentina para a realização do campeonato não foi inconscientemente.


Portanto Dona Ana Clementina julgo que deixou de ter pretextos para se solidarizar com a morte de alguém que só na morfologia aparentava um ser humano.

Khe Sanh

Anónimo disse...

O Sr. Samuel perdeu a noção de postura perante quem se dá ao trabalho que vir aqui lê-lo.
Quando não se consegue rebater uma opinião diferente da sua e entra a pés juntos como fez com essa senhora, está claro que não pode representar legitimamente uma linha de pensamento ideológico como é o comunismo.
E não precisa também de me insultar. Já o fez da forma como respondeu aos outros leitores.

cristiana silva disse...

Devemos sempre festejar aquilo que é belo e bonito,eu por exemplo,adoro ouvir musica,adoro mesmo muito ouvir musica e adoro tudo o que é festa.