sexta-feira, 31 de maio de 2013

Porco, porco, porco!!!


A campanha contra os sindicatos e, sobretudo, contra os sindicalistas, campanha mais ou menos latente, mais ou menos às claras, mais ou menos violenta, conforme as ocasiões... nunca tem descanso. Por estes dias, com o agudizar das lutas contra as políticas dos traidores que ocupam o poder (traidores ao seu próprio eleitorado), essa campanha vai recrudescendo em violência e na quantidade de lixo informativo, calúnias e mentiras descaradas com que se tenta atingir o campo sindical mais activo, logo, mais “incómodo”.
Não que eu esteja embalado nalguma espécie de cruzada contra o jornalismo... mas tem sido evidente que muitos jornalistas se têm colocado de perna aberta para veicular todos os recados do poder e fazer todos os fretes ao patronato.
A “crónica” que hoje destaco, escrita por Henrique Monteiro, do “Expresso”, com as suas alusões veladas à vida da sindicalista comunista Ana Avoila, à comparação da sua “longevidade” como responsável sindical com «ditadura», etc., etc... é um dos exemplos mais miseráveis, uma das peças mais porcas, um dos fretes mais repelentes que tenho visto... e retrata bem a realidade com que abri este texto.
Peço desculpa por não transcrever nada, obrigando, objectivamente, quem quiser saber exactamente do que estou a falar, a ir ler o texto.
Não só vou, desta vez, resistir à tentação de fazer qualquer espécie de “brincadeira” com o título genérico das crónicas de Henrique Monteiro, “Chamem-me o que quiserem”... como não escreverei mais nada, para não correr o risco de usar uma linguagem que até a mim acabaria por embaraçar.

19 comentários:

Luis Filipe Gomes disse...

É assim que ficamos a saber o transtorno que causa, a falta que faz, estes sindicalistas não serem obrigados a publicar a sua ficha no "facebook".
O "chamem-lhe o que ele" quer podia talvez marcar uma entrevista com Ana Avoila e perguntar-lhe qualquer coisinha mas preferiu estes supônhamos são mais condicentes com a voz do amo.

do Zambujal disse...

Subscrevo o que escreveste e o que não escreveste!
Porco, porco, porco... porco sujo!

Um abraço

Provoca-me disse...

Quanto é que ele é pago para ser imbecil?!

Maria disse...

Este bípede não merece nem uma vírgula!

Abreijo.

Graciete Rietsch disse...

Este "homem" contraria as leis da Biologia. Não tem coluna vertebral.

Um beijo.

Anónimo disse...

Não leio,pq não compro jornais.Deixei de dar para esse peditório de propaganda paga.Da-se!Vão trabalhar para a estrada,esses 'jornalistas'....

Anónimo disse...

Como eu acho que os porcos são animais que merecem respeito, prefiro chamar-lhe BADALHOCO, grande badalhoco!

Campanica

Anónimo disse...


Samuel,

A liga protectora dos animais vai processá-lo. E faz muito bem.
Não se tratam assim os animais.
Os animais tem a sua dignidade.

Bolota disse...

Samuel,

Simplesmente nogento.
Estou farto de defender por ai, que tão culpados quanto os governos que nos tem desgovernado, são estes pontas de lança que vão envenenando o sistema e ao escrever textos destes vão destruindo quem alguma coisa vai fazendo em prol do descamisado.

Os resultados do PCP são a prova disso, grandes movimentos de rua, grandes lutas chegasse á urna e é o que se vê.

Moços, ou começamos a dar pontapes na boca destes vendidos do sistema ou estamos FODIDOS, desculpem...

Será que este valentão de merda era capaz, no tempo do botas , escrever contra o botas com tanta valentia???

Filhos da puta.

Antuã disse...


Este "jornalista" está ao nível dum cavaco ou dum américo Thomaz.

José Rodrigues disse...

Ó Henriquinho já que pedes "chamem-me o que quiserem",eu faço-te a vontade e digo que não passas de lambe-botas,lacaio das belmirais e salgadas figuras deste mundo e um filho de uma grande vara de porcos!
E cantava o Zeca...qualquer dia,qualquer dia...

Abraço

Aurora disse...



Um jornalista que escreve um texto destes pode ser considerado um mentecapto, mas nunca um jornalista. Um diretor que deixa que um texto deste passe põe o seu jornal numa situação ridícula ao nivel de um pasquim. Enfim tanto o "jornalista" como o "diretor" são uns imbecis involuntários.

Anónimo disse...

Uma besta.

augusta disse...

Mais palavras para quê? A criatura está classificada, quem me antecedeu tudo disse.

Nojo!
Nojento!

Anónimo disse...

Os servicinhos necessários na véspera de uma greve Geral!!!ainda hojecorria num FB uma reportagem em que diziam que os sindicatos custam ,6,5 milhoes de € ao estado, devidos aos trabalhadores destacados e que recebem os salários!!! enfim prestam-se a tudo...
Mgantes

Figueiredo disse...

O jornalismo deixou de existir em Portugal desde que passou a ser um curso universitário (lavagem cerebral e política), bons jornalistas eram aqueles do tempo das Carteiras Profissionais de Jornalismo onde se encontrava grandes intelectuais e homens e mulheres de coragem literária, livres-pensadores, agora é tudo uma cambada de escumalha anormal, que nunca leu um livro na vida mas acha chique ter um diploma e sonhar com um lugar no jornal da noite. Um monte de lambe botas que escrevem o que lhes mandam, ou então palhaços pagos a peso de ouro como para confundir as pessoas como esse tal Sr. Henrique.

Felicidades para o seu Blog continue o bom trabalho, e já agora uma reedição do seu primeiro álbum Samuel, vinha mesmo a calhar.

Anónimo disse...

Subscrevo.
Acrescento: chateia-me solenemente que muitos/as jornalistas não tenham a noção das regras da gramática nomeadamente das regras da concordância, apesar de essas regras serem a ferramenta dos jornalistas.

Maria João Brito de Sousa disse...

O "home" deve ser "maso"... nem o vou ler!

nervoso disse...


Samuel, não devias colocar o link... esta porcaria deixou-me irritado, o homem é um triste, faz um artigo de devassa, sem ponta por onde se pegue por mim vá PPQP.