quarta-feira, 4 de abril de 2012

Mário Soares – O inimputável



O insuportável (e provavelmente inimputável) Mário Soares foi apanhado a rolar a 200 à hora na autoestrada... a caminho não sei de onde, para fazer não importa o quê.
Os relatos dos jornais, nomeadamente a pretensão de Soares de que «o Estado é que vai a pagar a multa», sugerem-me algumas perguntas:
1. Porque raio se desloca o milionário e parasitário aproveitador em carro do Estado?
2. Se for verdade que, a fazer fé no relato dos elementos da GNR, Soares foi mais uma vez bastante «mal educado»... porque é que não levou uma cacetada nos dentes, cacetada que seria bem mais «adequada e proporcional» do que a agressão selvagem e gratuita da polícia à jornalista no Chiado, no dia da Greve Geral?
3. Existirá um limite para a falta de vergonha deste figurão?

15 comentários:

Graciete Rietsch disse...

Não existe limite!!!!!Desloca-se num carro do Estado, usa o combustível que é nosso, ultrapassa em muito o limite de velocidade e, em vez de pagar a multa, deixa que tirem a carta ao motorista!!!!!
Pior comportamento não pode existir !!!
E continua, impávido e sereno, o"PAI NOSSO DA DEMOCRACIA"

Um beijo.

Antuã disse...

A besta sempre é o "pai da pátria".

Bolota disse...

Samuel,

Mas não contas tudo, a multa tinha de ser paga no local como é o estado que paga...que se lixou foi o motorista que ficou sem a carta.

Já repararam que uma serie de tiques estão a aparecer neste momento???

Manuel Norberto Baptista Forte disse...

Este se os Portugueses quiserem ter memória, foi: quando 1º Ministro de Portugal em 1976, fez vingar a Lei dos Contractos a Prazo; "deu a mão" a Frank Carlucci (na altura Embaixador dos E.U.A., em Portugal) e ao FMI, para começar a...fazerem tiro ao alvo; foi também quem "patrocionou" a aliança P.S./C.D.S.; ele e família donos do Colégio Académico, onde certamente (entre trabalhadores) se "respirará" a plenos pulmões, democracia...; mentor supremo Português da entrada de Portugal na ex-C.E.E.; etc.; etc.; e fica o resto para os que têm memória dos tempos idos. Agora, ele e outros, senhores do P.S.D., e do C.D.S./P.P., que têm partilhado o Poder Central em Portugal, desde 25 de Novembro de 1975, não passem uma esponja sobre a história; essa fez-se, faz-se, e far-se-à, SEMPRE.

Luis Filipe Gomes disse...

Ele já disse que criou um instrumento para tomar o poder em Portugal, o tal partido que tinha o nome indicado rumo ao que naquela altura todos queriam ir.
Para enganar o maior número possível de pessoas disse que outros destruiriam a liberdade e admitiu ter conspirado com a hierarquia da Igreja Católica e só com a ajuda dos padres nas missas terá conseguido a manifestação da Alameda da Fonte Luminosa.
Admitiu ter conspirado com a CIA.
Afirmou que teria bombardeado sem dó nem piedade a cidade de Lisboa e todos os seus habitantes se isso fosse necessário ou seja se do outro lado houvesse alguém igual a ele.
Esta personagem que se intitula progenitora da democracia portuguesa lembra-me sempre a falsa mãe da lendária disputa moderada por Salomão. Perante a possibilidade de dividir ao meio com a espada um recém nascido que duas mulheres reclamavam ser seu filho uma delas preferiu que a criança fosse entregue viva à outra, a segunda preferia que ela fosse dividida ao meio. Este personagem preferiria dividir o país ao meio.
Assim ficámos nós reféns da "má mãe" sem Salomão que nos valha.
A caricatura máxima é o Estado ceder-lhe um edifício para a Fundação e ainda lhe pagar o aluguer de um escritório que se situa no edifício que já lhe tinha oferecido.
É assim como uma viagem de Estado às Seychelles para andar de tartaruga gigante. Pobre animal!
Pobres de nós que ainda hoje pagamos tudo isto!

Rogério Pereira disse...

E ele que foi dar aulas de "condução não agressiva" à escola laranja...

Pata Negra disse...

Este tipo mesmo depois de morto ainda vai ter direito a carro e a motorista! Sempre se julgou o dono disto! Nunca pensei é que tivesse direito a voltinhas de carro para adormecer na sesta!
Um abraço e gnr nele

Olinda disse...

A COISA será repugnante até à cova.O pior é que pôs muitos ovos,ao longo da sua vil vida.

Anónimo disse...

Vou lamentando ter atingido os 3/4 de século.Lembro-me da angústia que me tomou quando meu marido me disse, à sorrelfa, que um jovem advogado tinha sido deportado para S.Tomé.Apertou-se-me o coração
pensando que o advogadinho iria penar pelos seu ideais de Liberdade.Afinal,ficou com passaporte para a desfaçatez!Ah! se eu tivera partido cedo,como levaria comigo a crença de aquele ser cidadão era impoluto!Kinkas

trepadeira disse...

Este coisa está cada vez mai9s parecido,sempre foi,com o outro coisa.

Um abraço,
mário

José Miguel disse...

O Mário Soares é o bombo da vossa festa,desde que o "imortal " foi desta para melhor,sem cumprir as promessas que espalhou,pela terra,qual Cristo de Baleizão.
Voçês no fundo até gostavam era do Salazar,dava-lhes jeito,sempre tinham o inimigo a abater,esse sim era o inimigo mas voçês preferem o Mário.
Fiquem na Paz do senhor de Baleizão.

samuel disse...

José Miguel:

Que o Mário Soares seja o bombo da festa, como diz, é discutível...
Agora indiscutível, tanto pelo conteúdo, como pela forma do seu comentário... é que o meu caro é um triste parvalhão!

José Miguel disse...

Sr.SAMUEL,eu sei qual é o seu DEUS,
para o senhor tambem é uma questão de FÉ.paciência "reze" mas ele já não volta! eu que já não tenho ilusões aconselho-o a visitar as terras onde o SOL era a luz da terra.Veja com os seus próprios olhos,fale com as pessoas sem dogmas e veja a quantidade de" parvalhões" que foram no conto do vigário...

samuel disse...

José Miguel:

Sr, JOSÉ, você não reconheceria o meu deus... nem que ele lhe acertasse em cheio no meio da testa.
Porque não se dedica a falar do que sabe? :-) :-)

Américo Lameiras disse...

Vi agora este e-mail (apesar de já saber da escandalosa velocidade a que circulava o da grosseria com que que tratou os agentes da autoridade...) SUA EXCELÊNCIA O CHÉ-CHÉ Mário Soares, que estará sempre impune de qualquer crime que possa cometer, são pertinentes as perguntas feitas e só é pena de que não se saiba se a viatura do Estado andava ainda ao serviço da sua Fundação (que ninguém sabe para que serve e a quem serve, com a certeza de que a ele serve... já que mais não seja pelas ajudas dos diversos (des)governos deste país que é deles e não dos portugues@s para quem dizem estar a fazer o seu trabalho com decência.
Este "exemplar" olhou sempre só para o seu umbigo... mandando às malvas tod@s que vivem na miséria ou para lá caminham.
Se fosse algum de nós, estaria preso porque não sendo ele quem conduzia, uma viatura oficial tem sempre um chefe de viatura e eler não vinha a dormir para desconhecer o crime cometido.