sábado, 7 de abril de 2012

Crise – Afinal a solução é tão simples...


Existe um verdadeiro exército de canalhas mais ou menos criminosos, mais ou menos descarados, que mandam efectivamente no mundo, sem que alguém, alguma vez, os tenha mandatado para tal. Pelo voto... ou por qualquer outra forma. Mandam pela força do seu poder económico e financeiro. Daí não ser difícil apanhar "mal dispostos" como eu chamando a isto ditadura do capital, ou fascismo económico.
Claro que este exército de canalhas tem os seus capatazes em cada país. Alguns até se “legitimam” pelo voto, ainda que os resultados das eleições que os colocaram no governo não possam considerar-se senão como fraudulentos, tal a dimensão das mentiras que influenciaram e decidiram esses resultados. É, há muito, o caso português.
Presentemente, o exército de canalhas que efectivamente nos governa sob os nomes de “troika”, “FMI”, “BCE”... e o diabo a sete, já nem tem o cuidado de preservar uma aparência de não ingerência nos assuntos internos portugueses, vomitando diariamente, de uma forma insolente e directamente para os órgão de comunicação social, as suas ordens sobre o que o seu governo de fantoches deve fazer a cada momento.
Desta vez, o “fmi” ordena que se baixe ainda mais os salários aos trabalhadores portugueses, não exclui a hipótese de mais austeridade, mas, em contrapartida, tem uma milagrosa solução para minimizar toda a crise, que consiste em “aconselhar” o governo a  «melhorar a sua estratégia de comunicação sobre o programa de reformas que está a ser seguido na sequência do empréstimo externo».
É a já velha teoria: nós, grandes estúpidos, é que não estamos a entender a maravilha da governação que nos é imposta pelo exército de canalhas e mercenários sem pátria.
Afinal, o país não precisa de novas e melhores políticas, mas sim de novas e, sobretudo, mais convincentes mentiras!

15 comentários:

Luís Coelho disse...

Já me custa a ouvir tanta mentira.
Cada dia é maior esse cartaz de apresentação que ninguém ainda teve capacidade de desmentir.
Fome
Miséria
Ingerência

Manuel Norberto Baptista Forte disse...

E hoje cada vez mais óbvio que Portugal precisa de uma Governação a sério, que ataque os problemas com que o País se debate há décadas e que se têm agravado e descrebilizado (vejam um pouco a taxa de abstenção nas diferenciadas Eleições, por exemplo) porque esse retrocesso tem sido "protagonizado" por, e repito: P.S.; P.S.D.; C.D.S..
Então este desgoverno é mesmo muito mentiroso... .

BASTA.
.

Antuã disse...

O que é preciso é refinar a mentira.

Graciete Rietsch disse...

Mas afinal a quem se dirige esse "melhorar da estratégia de comunicação sobre o programa de reformas que está a ser seguido na sequência do empréstimo externo"?
Ao Povo para o continuar a enganar e a subjugar ou aos chefes para lhes prestar as devidas contas?

Um beijo.

São disse...

Até quando, meu amigo, até quando?!

Razão têm os gragos: morrem, mas de pé!!

Nós, como diz um amigo meu, somos raça de lacaios congenitamente marcada!!

Um abraço almendrado para vós.

Jorge disse...

Faço meu o comentário do amigo Manuel
Baptista Forte, se ele me permite!

trepadeira disse...

Pelos vistos nem sequer sabem mentir.

Rua.

Um abraço,
mário

José Renato Renato disse...

São Paulo – O Brasil atendeu ao pedido feito pelo Fundo Monetário Internacional (FMI) para a liberação de mais recursos na tentativa de minimizar os efeitos da crise econômica, em especial na Europa. O anúncio foi feito pelo ministro da Fazenda, Guido Mantega, que recebeu a visita da diretora-gerente do FMI, a francesa Christine Lagarde. Fonte: rede Brasil Atual.
Este fundo de Miséria sugou o Brasil durante anos , e continua salgando, com a falsa promessa de ajudar a Europa A sair da crise.
Renato Moraes

Maria da Luz disse...

Comecemos a preparar a saída destes porcos,acabou-se,não dá mais.
Preparem-se.

Anónimo disse...

É isso, basta, já chega, tanta mentira, tanto neoliberalismo capitalista...
Camaradas, é tempo de lutar, deixar as palavras e passar aos atos!
Mas afinal nós comunistas, não sabemos lidar com armas e mt menos com palavras, vamos mas é calar-nos! A começar por si Samuel! CALADITO, que assim fala melhor....

samuel disse...

Anónimo (23:57):

"Caladito!"
Há que tempos não ouvia isso!
Já me foi dito, há muito tempo, pela PIDE...
Nessa altura, como agora, também CAGUEI!

Vá pela sombra, imbecil!

Provoca-me disse...

Falei no anti-comunismo, e o Samuel pode falar melhor sobre isto do que eu que eu ainda sou um jovem virgem do PCP, não sei nem um quarto do que o camarada Samuel sabe. Mas a caminhada deles também era mais fácil estupidificando o povo, lançando o repto para que o povo fosse anti-comunista, e que os partidos de esquerda sem ser o PS fosse anti-comunista. Na direita não há muitos anti-CDS ou anti-PSD porque eles foram fazendo coligações e não foram lançando farpas uns aos outros. Como o povo é estúpido, e se fomentou para a falta de memória, e porque os mais velhos nem se aperceberam é que muitos deles dizem volta Salazar, mas com tudo o que viveram só se desculpa pelo facto de serem estúpidos por não lhes ter sido incutido consciência política, por não terem cultura, e outras coisas. E como ensino é fraco e como não se ensina nas escolas a ditadura de 48 anos de Caetano e Salazar, e porque a estupidez é generalizada é que há por aí muito jovenzinho também a dizer volta Salazar. Porque ele impunha ordem, e isto e aquilo. Nem os jovens que falei, nem os velhos são de extrema direita. E perdi-me. Mas os problemas estão aqui, falta de cultura, falta de ensino de qualidade, falta de inteligência e consciência. E por exemplo, se eu digo que estamos numa Ditadura muitos me vêem dizer que não, que estás enganado, não sabes o que falas. Mas é por aqui, não sou eu que não sei. Esta gente é que vive numa ilusão, a ilusão que vivemos numa democracia.

Provoca-me disse...

Uma das imposições foi o acordês. Samuel espero que leia. http://issuu.com/roquedias/docs/carta_ministro_educaco_madalena_homem_cardoso/1

Manuel Augusto disse...

Que espécie de Democracia é que quer?
A popular? A Socialista? Ou outra?
Nesta ainda temos esperança de a melhorar,pois é um conflito permanente,e podemos escrever aqui no blog e falar e até fazer como faz o Samuel sem papas na língua trata quem não pensa como ele por parvalhões,imbecis e outros,mas isso deve-o a esta Democracia,experimentasse fazer isto na antiga URSS,na China ou em Cuba,para já não falar na Coreia do Norte,e veria o que lhe acontecia.

samuel disse...

Esticou-se... saiu baboseira!

Há-de dizer-me quando me ouviu cantar loas à China, seja a de Mao, seja a de agora... ou, pior ainda, à Coreia do Norte. Ganha, pelo menos, um belo balde de plástico, numa cor à sua escolha.
Já URSS e, sobretudo, Cuba, são uma conversa completamente diferente, que, desculpe lá, não tenho com qualquer um, sobretudo, com quem não conheça de lado nenhum.

De facto, nesta caixa de comentários já chamei parvalhão e imbecil a muita gente. Mas se for ler os comentários dessa gente, que originaram essas minhas mal dispostas respostas, na maior parte dos casos, comentários "corajosamente" anónimos, não foi por não pensarem como eu, mas sim por serem, ostensivamente, comentários parvalhões e imbecis... quando não eram ainda piores. :-) :-)