segunda-feira, 7 de julho de 2008

Cabeças há muitas!...


(Fotografia da figura de cera do museu, ligeiramente "modificada" por mim)

Segundo vários órgãos de comunicação social, um alemão de 41 anos, durante a inauguração do Museu de Cera Madame Tussauds, em Berlim, quando passava na zona em que as figuras representam personalidades da História alemã, não terá "engraçado" com a presença de Adolf Hitler e driblando os seguranças, foi-se ao "fuhrer" e arrancou-lhe a cabeça.
A falta que este radical alemão fez, digamos... aí por volta de 1920!...
É que nem o "Mein Kampf" teria sido publicado e tinha-se poupado... não vale a pena estar a explicar!
Agora vem ligeiramente tarde e francamente, mesmo não devendo esquecer aquela sinistra figura, temos agora outras "cabeças" a que devemos estar muito, muito atentos.

11 comentários:

Anónimo disse...

Pois é, veio atrasado, o acto. E, se alguém não lhe fez isso ou parecido, foi talvez por essa noção de respeito pela vida que faz parte da nossa civilização. A mim aconteceu-me há muitos anos algo que eu não pensava ser possível. Numa aula de Direito Natural, quando estudei Filosofia, o professor escolheu dois para defenderem a pena de morte, e eu fui um deles. Protestei, porque não estava de acordo. (O outro estava.) Levei o papel tão a sério, que ainda hoje me debato com os meus prórpios argumentos.
Lembras-te, Samuel, de "As Mãos Sujas", de Sarte? É isso, amigo... O pior é que, neste mundo envenenado, por vezes é preciso que haja pecadores para que outros possam ser santos.
Falei demasiado. Desculpa.

alex campos disse...

Outras "cabeças" já é um grave problema. Mas o que o torna ainda mais grave é que essas outras são muitas mais.Têm proliferado.

Anónimo disse...

Há muitas cabeças para aí do tipo adolfo mesmo neste País. em nome da Humanidade!...

dona tela disse...

Vou ali e já volto.
Beijinhos.

Anónimo disse...

Isto de cortar cabeças (mesmo de cera) é lixado. O problema é que há alturas em que quem não corta cabeças fica sem cabeça. E nem todos/as são Marias Antoinietas ou Hitlers que, quando lhes cortam as cabeças, dá notícia!
E quantas cabeças cortadas, ou algo que faça o mesmo efeito, em serem notícias? Aos milhares de milhares!
Pois é... muita atençãozinha.
Abraços

Carla disse...

...com o devido respeito que tenho, e sempre tive, pela vida humana...a verdade é que há cabeças que são...dispensáveis! Principalmente pelo mal que conseguem gerar
boa semana

jrd disse...

Abençoada, salvo seja, guilhotina...

Anónimo disse...

hi mate, this is the canadin pharmacy you asked me about: the link

BlueVelvet disse...

Nem mais.
Abreijinhos

Anónimo disse...

hi mate, this is the canadin pharmacy you asked me about: the link

João Carlos disse...

Espero nao ter chegado atrasado ao comentário.
A questão, penso eu, não está só na cabeça.
Vou deixar uma correcção: foi no segundo dia que isso aconteceu. E foi sem espanto, por aqui.
Esse acto foi o culminar de uma indignação que veio crescendo desde o anúncio desta nova figura nesse museu.
Tanto quanto sei essa empresa tem sede em Londres e por essas bandas tudo é possível desde que se ganhe dinheiro, muito dinheiro (já vivi lá dois anos).
Acontece que a consciência dos alemães, quer se goste deles ou não (como eu) é bem diferente.
E o Linke (A Esquerda) tem vindo a crescer por todo o lado. O liberalismo produz muitos anti-corpos, né?
E mais, é rara a semana em que num dos 30 canais de TV não passe um documentário sobre esses tempos tenebrosos.
O Hitler deixou há muito de ser a pessoa e passou a ser a ideologia.