quinta-feira, 9 de setembro de 2010

Augusto Santos Silva & António de Oliveira Salazar



Já todos ouvimos alguma vez, num minimercado, num barbeiro, no café ou num táxi, alguém que, sem meios (ou vontade) para entender as circunstâncias políticas e fenómenos que o rodeiam (e aqui ou ali, por convicção) declara que «o que este país precisa é de outro Salazar!». Por vezes, alguns fantasiam até com dois ou três...

Ficamos então agora a conhecer mais um desses cromos (infelizmente, um dos tais “convictos”). Perante a necessidade de enganar, ludibriar, endrominar (o que se quiser...) o Tribunal de Contas, não dando satisfações pelos gastos numas obras, de uma pipa de dinheiro muito superior ao permitido por lei como limite para não ter que passar pela aprovação daquele Tribunal, o inaudito Augusto Santos Silva decidiu que aquilo de que o seu ministério precisava era também de um Salazar. Pronto, vá lá... não é bem de um Salazar, mas sim de uma “leizinha” do ditador, ditada em 1958, que servia especificamente para estas súbitas urgências oficiais de “não dar cavaco” a ninguém.

Para além de ser o que já sabíamos que ele é, ficamos também informados de que Augusto Santos Silva, actualmente a fazer de Ministro da Defesa, é um “estudioso” desse verdadeiro mundo das pequenas leis obscuras, que permitem fazer as grandes falcatruas... às claras.

16 comentários:

do Zambujal disse...

Claro! Uma ditadurazinha é sempre a "solução democrática" dos sociais-democratas. O problema é a careca à mostra, que nem chinós conseguem esconder.
E há fulano como tu que estão aqui para as decobrir (às carecas...). Bom trabalho!

Um abraço

Antuã disse...

Já desconfiava que o Sr.Silva tinha umas certas tendências para o fascismo.

Maria disse...

C'um filho da mãe!
O que é preciso este silva fazer mais para levar com o tal pano encharcado que todos temos mesmo aqui à espera de ser utilizado?

Abreijo.

alex campos disse...

"Quem sai aos seus não é de Genebra", diz o povo.

um abraço

Fernando Samuel disse...

Olha que dois!
Não há nada como uma leizinha do Salazar para ajudar a governar...

Um abraço.

Membro do Povo disse...

Precisamos sim de mais uma revolução!

Suq disse...

Quem usa as palavras do povo é soberano .... nem era preciso!

trepadeira disse...

Os silva no poder mostram depressa a careca ou a encantadora e sorridente face.
Até quando?
Há muita gente ainda estremunhada mas,a acordar.
Um abraço,
mário

maia disse...

Um professor universitário com estes comportamentos, como se apresenta e o que ensina aos seus alunos? É uma pergunta que me faço muitas vezes. Ninguém, nenhum aluno (falamos de alunos universitários) o confrontará com tais iniquidades? Ou não podem, ou não sabem... ou será que ele os manda... para as Novas Oportunidades, claro!

Graciete Rietsch disse...

Nunca julguei que chegasse a tanto. Depois de conhecer o irmão dele, que até foi meu aluno, falecido uns dias depois de ter sido eleito, como delegado, para o Congresso do PCP, até arrepia.

Um beijo.

Luis Nogueira disse...

Parafraseando o Cesariny:

"Silvas, somos todos,
grandes e pequenos.
Silvas, ou ainda menos
E este - digo eu - é o Silva que temos"


Não sei porquê, o magala,
o Augusto Silva, esste moço,
cada vez que bota fala,
lembra-me o intestino grosso.

Luis Nogueira




cada

duarte disse...

a diferença entre os dois é subtancial. Um está de óculos o outro não.
E o povo é libre de escolher que ditador o governará, bastando para tal, continuar a votar da mesma forma como o tem feito.
abraço do vale.

Leão sem fé disse...

Lá que o botas tenha governado 6 anos depois de cair da cadeira, de 68 a74 pois quando caiu da cadeira não passou procuração a ninguem para governar por ele, ainda vá que não vá,

agora, passados quase tantos anos como durou o "faxismo", chamar cá o fantasma!

É tanta falta de imaginação como ter chamado 25 de Abril àquela ponte!

samuel disse...

Leão sem fé:

Já ouvi saudosistas do nome "Ponte Salazar" chamar de tudo ao novo nome "Ponte 25 de Abril"...
"Falta de imaginação"... acho que é a primeira vez. :-)))

Leão sem fé disse...

Se disser "falta de imaginação" é ser sudosista, então se não tiver saudade, devo dizer "excesso de imaginação"?

Os extremos tocam-se!

samuel disse...

Leão sem fé:

☺ ☺ ☺
Para compensar... essa do “Os extremos tocam-se!” é um prodígio de imaginação e originalidade. Pena... que normalmente não queira dizer coisa rigorosamente nenhuma.
Saludos.