sábado, 18 de setembro de 2010

José Mourinho, Gilberto Madaíl – Uma comédia triste...



Para quem, como eu, aprecia o fenómeno futebolístico com a distância segura do desinteresse, esta démarche do patusco Gilberto Madaíl em nome da Federação Portuguesa de Futebol, é de um ridículo capaz de fazer rir as pedras da calçada... o que só é bom para as pedras da calçada, mais habituadas a chorar por tudo e por nada...

A ir para a frente a ideia peregrina de Gilberto Madaíl, a Selecção Nacional e a “honra” do país seriam salvas, não por um trabalho de base, planificação, treino intenso, grande dedicação colectiva, enfim, um projecto coerente, mas sim por um “salvador”, em part-time, que apenas com o nome e o carisma seria capaz – quem sabe? – de voltar a interessar os jogadores/vedetas na coisa, mobilizar o talento inegável de alguns deles e fazer o milagre da multiplicação dos pontos. Ao que parece, nada feito!

Se este tipo de abordagem aos problemas se limitasse ao futebol, tudo não passaria de uma dor de cabeça para os adeptos com dois dedos de testa... e mais nada. O pior é que tendemos a ir pelo mesmo caminho na escola, nas empresas, nas vidas pessoais e, como se tem visto pelos resultados, principalmente na governação... e isso tem-se transformado, desgraçadamente, numa espécie de imagem de marca portuguesa: “esperteza saloia”, desenrascanço, improviso atabalhoado, mediocridade e aldrabice equiparadas a competência.

Decididamente, se naquela designação de “Federação Portuguesa de Futebol”, os termos “federação” e “futebol” podem ser duvidosos e discutíveis, já o “portuguesa” assenta-lhe como uma luva.

Felizmente existem outros portugueses, ainda em número insuficiente, é certo, mas decididos a trilhar outros caminhos...

10 comentários:

Anónimo disse...

Uma comedia tristissima... Francisco Silva

Meg disse...

Uma farsa aberrante!
Ao que chegou a falta de tino e de vergonha!
Mais uma vergonha!!!
É o vale tudo!!!

Abreijos

Graciete Rietsch disse...

O grande mal é que a esperteza mesquinha e a sem vergonha começa nos nossos governantes.

Beijos.

José Rodrigues disse...

Cavaco dizia que A.Relvas era/é/foi(?) o seu Mourinho na campanha de 2006.Cavaco,Mourinho e Madaíl,comunicação social domesticada, jogam todos na mesma equipa: manter a ignorâcia e a submissão do povo aos interesses dos grupos financeiros e outros parasitas...

Abraço

Fernando Samuel disse...

Excelente post!

Um abraço.

Antuã disse...

A mafia é amesma.

Membro do Povo disse...

Há quanto tempo Gilberto Madail anunciou a sua demissão?

Pata Negra disse...

Os tipos do Público, publicaram este teu post hoje na coluna Blogues de Papel. Sabias?

samuel disse...

Pata Negra:

É a glória!!! :-)))
Tenho que ir ver isso...

Abraço.

Maria disse...

Perdi a tua 'glória'... não encontro...
:))

Abreijo.