sexta-feira, 29 de maio de 2009

Memória


(Fotografia "Reuters")

No princípio todos estamos convencidos de que temos dois metros. Todos somos capazes de fazer “afundanços” como o Michael Jordan ou o Magic Johnson.

Depois, ou somos nós que encolhemos, ou os “cestos” ficam muito mais altos...

Aposto que ainda somos capazes de voar!

8 comentários:

Maria disse...

Com um sorriso te digo que, se quisermos, somos capazes de voar, sim!

Abreijos

salvoconduto disse...

Estou como a Maria, claro que somos.

Abraço.

Lena disse...

conseguimos tudo se quizermos...
tudo é uma questão de concentração...e de coordinação também se calhar..

um beijo

Nuno Góis disse...

"os que não voam não querem ou lhes cortaram as asas..."

Ninguém nos corta as asas!

Abraço

Fernando Samuel disse...

Claro: «à conquista do céu»...


Um abraço.

Clyde disse...

A 23 de Maio de 1934, uma patrulha de agentes policiais conseguiu atrair Bonnie & Clyde para uma emboscada numa estrada poeirenta da Louisiana, onde foram assassinados a sangue-frio.

Na América dos anos 30, da Grande Depressão e das Vinhas da Ira, Bonnie & Clyde, através dum conjunto de assaltos audaciosos a bancos, bombas de gasolina e lojas, conseguiram captar a imaginação do povo americano, tornando-se ícones duma contra-cultura de insubmissão e resistência.

75 anos depois, o FBI divulga 1000 páginas sobre o mais famoso casal de gangsters. O mesmo FBI que só foi capaz de emboscar e assassinar Bonnie & Clyde, através da clássica delação de associados menores...

jrd disse...

Muito bom!
O voo da metáfora.
Abraço

samuel disse...

Abreijos para todas e todos!