sexta-feira, 22 de junho de 2012

ERC – Peço desculpa... mas para mim, “Reguladora” é uma marca de relógios despertadores




Esta deliberação da ERC cheira mal! A ERC, Entidade Reguladora para a Comucicação Social, decidiu que não houve pressões de Relvas sobre ninguém, no famoso caso em que vários elementos do “Público”, incluindo a jornalista que terá sido ameaçada pelo governante, continuam a dizer que houve.
Como se isso não bastasse, uma votação de três contra dois, não se pode chamar uma “vitória” retumbante, num caso destes.
Acresce ainda o facto (algo esquisito) de uma das figuras que integram a ERC, ser uma amiga, íntima e de longa data, do ministro... e não ter tido a lisura (mesmo não tendo a obrigação) de se afastar desta votação, tendo, bem pelo contrário, votado a favor da ilibação de Relvas.
A ERC, numa forma estranha de “investigação”, segundo testemunho dos elementos do jornal, dá como provados factos menores, mas em que as versões dos litigantes coincidem... e quanto às matérias em que divergem, opta por dar tudo como «não provado».
Em boa verdade, a funcionar nestes moldes e pelo que se tem visto, uma ERC serve para quase tanto como uma “espinha amuada” no nariz, embora esta incomode mais durante uns dias. Seja como for, este caso é mais um retrato tristonho do estado a que chegámos.

11 comentários:

Antuã disse...

Estamos num estado mafioso.

do Zambujal disse...

Essa era a "Boa Reguladora".
Depois há as desreguladoras e as más reguladoras do capitalismo "regulado"!

Um abraço

Luís Coelho disse...

Continuo sem entender a posição de certas figuras "no antes e no depois" de já instalados no governo.

Todas as pessoas são honestas até prova em contrário, mas os poderosos têm sempre uma chance de torcer a verdade em seu favor:
Onus da prova.


A política está cada dia mais suja e estas situações em nada dignificam os políticos...

São disse...

Estupidamente, estou perplexa!

É verdadeiramente falta de vergonha total!

A sério, qual é , afinal, o objetivo da ERC?!

Carlos Magno afirma que a entidade a que preside (ainda estou por saber porquê) não tem que se pronunciar sobre a ética dos governantes e dá como não provada a versão deo "Público".

Mas aqui não é a palavra de um contra outro, mas sim de um contra a de várias pessoas!!

Além disso, não se precisa de provas como um Tribunal, acho.

Bom final de semana(pode ser que nos cruzemos, rrrss)para vós.

Anónimo disse...

e da recusa de cavaco receber 14 mil postais em defesa da maternidade alfredo da costa?

Graciete Rietsch disse...

Quem pode acreditar-se numa regulação instrumentada pelos que desregulam?

Um beijo.

Maria do Resgate Coelho Portas de Sousa e Suplício disse...

Era...faliu...

trepadeira disse...

Tanta caca,já nem o nariz se lhes vê.

Não há estricnina que chegue para tanto rato.

Um abraço,
mário

Manuel Norberto Baptista Forte disse...

A resolução da E.R.C. é algo que cheira a "qualquer coisa" que antes de ser já o é.

Ansomilo disse...

Quando nos livraremos desta corja de bandalhos!

Anónimo disse...

Certas figuras da E.R.C. são iguais a si mesmas como sempre o foram - uns vermes a mais ao cimo da terra.
Vicky