sábado, 16 de junho de 2012

Há tranquilizantes... e tranquilizantes


Mário Draghi, lacaio do capitalismo internacional sem cara ou pátria, actual capataz do Banco Central Europeu é bem capaz de estar cheio de razão... mas duvido que o “tranquilizante” que está a pensar administrar aos “mercados” seja o mesmo que enche os dardos com que vêm, há gerações, atingindo os cidadãos:
Uma mistura de fátima, futebol e do fado que ainda se presta a esse triste papel. Para além de “drogas” ostensivamente mais fortes, como o terror social provocado pelo desemprego, a insegurança no trabalho, o desamparo na velhice... ... ... ...
Mas tenham cuidado, canalhas! Há sempre uns tantos dardos que falham os alvos...

5 comentários:

Provoca-me disse...

A Vingança serve-se em prato frio.

ae disse...

Que violência.

samuel disse...

ae:

Ah sim? Então e porquê?

Eles são canalhas; os dardos tranquilizantes não acertam (felizmente) em toda a gente...

Onde está a violência? :-)

Voltamos ao velho Brecht:

"Do rio que tudo arrasta se diz que é violento, mas ninguém diz violentas as margens que o oprimem"

trepadeira disse...

Pode ser que os dos trabalhadores e povo acertem.

Um abraço,
mário

Post scriptum:

ae deve referir-se à violência que este sistema capitalista de estado selvagem exerce sobre os povos.

Graciete Rietsch disse...

Às vezes fazem ricochete.

Um beijo.