sábado, 23 de março de 2013

Óscar Lopes (1917-2013)


A História, a boa literatura, o pensamento e a inteligência... perderam um grande militante.
O PCP perdeu um grande ser humano.
A Humanidade perdeu um dos "imprescindíveis".

7 comentários:

Rogério Pereira disse...

...era suposto apenas aprender história da literatura com ele, aprendi, por ele, a amar a escrita... e a História

Olinda disse...

Gostei da forma encontrada para assinalares a morte de Ôscar Lopes.Inteligente e imaginativa.


Um abraco

Manuel Norberto Baptista Forte disse...

Um grande exemplo.

Graça Sampaio disse...

Co-autor da "minha" História da Literatura Portuguesa que ainda guardo em lugar de destaque. E cunhado do grande Jorge de Sena. Já muito velhote todavia é daqueles que nunca morrem.

RIP

Graciete Rietsch disse...

Óscar Lopes conquistou a imortalidade!!!

Um beijo.

José Luís Moreira dos Santos disse...

De há muito, mesmo muito, desencontrado com dos contentinhos, Oscar Lopes preferiu viver, quase solitário, repito, quase solitário, a exigência de um saber ao dispor de todos, mas ao qual - neste país de macaquinhos de imitação - aqueles que ele mais desejava que a ele tivessem acesso, poucos chegavam. Deixou tudo, quando deixa uma obra que vai muito para além dele, porque semore foi de quem a ama, de quem precisa dela para lá do contentamento de parecer que vive.
José Luís Moreira dos Santos
Estarreja.

Anónimo disse...

Grande entre os grandes e dos nossos.
Vicky