quarta-feira, 6 de março de 2013

Hugo Chávez (1954-2013)


Morreu Hugo Chávez. Enquanto alguns milhões de venezuelanos choram a perda de alguém que lhes mudou a vida para melhor, outros, dentro e fora da Venezuela, esfregam as mãos de contentes. É sempre assim quando desaparece uma figura desta dimensão e, sobretudo, desta controversa importância.
Pela minha parte, junto-me àqueles que lamentam a perda. No balanço pessoal que faço das qualidades, carisma, boas intenções, trabalho realizado, combates travados (e contra quem), das muitas contradições e uma mão cheia de características com que - mais do que uma vez o disse - não simpatizava... o balanço é francamente positivo! O que de muito bem Chávez fez no seu país e ao seu povo mais merecedor e necessitado, tem toda a minha simpatia e apreço, ao passo que quase tudo o que de “mal” fez contra as oligarquias nacionais e o imperialismo do vizinho do norte, não me faz correr uma lágrima, muito pelo contrário.
Nas nossas televisões, até agora, ninguém conseguiu mais do que aproveitar o momento de luto para tentar enlamear a memória do polémico estadista, ainda que recorram a insinuações e meias palavras que não escondem o ódio vesgo que os patrões lhes ordenam que agrafem nas caras e nos comentários.
Nos corredores da CIA e de Washington a festa deve ser rija! Viram-se finalmente livres de um adversário de peso, um adversário que não lhes mostrou medo... sem terem necessidade de o assassinar, como não poucas vezes devem ter planeado.
Entre a corrupta e vendida oligarquia venezuelana a festa deve estar delirante, tal a espectativa da vingança das suas repetidas derrotas, vingança que devem estar a saborear por antecipação.
Espero que o povo venezuelano, depois de chorar o seu líder agora falecido, saiba separar a obra do homem, unir-se à volta do seu sonho colectivo e encontrar no seu seio aqueles que sejam capazes de continuar a levar por diante, a consolidar e a melhorar, o projecto de autodeterminação, dignidade e justiça social que a Revolução Bolivariana foi capaz de trazer à Venezuela.

18 comentários:

São disse...

Subscrevo.

Bons sonhos

Olinda disse...

"La muerte no es verdad,cuando se ha cumplido bien la obra de la vida".
(Eusêbio Leal Spengler-Hist.de Habana).

O povo Venezuelano vai conseguir ultrapassar a dor causada pela perda de um homem grande,que conseguiu tanta transformacao para o bem estar dos mais pobres,em tao pouco tempo.
Hâ minutos.o governador de Aragua,apelava ao povo bolivariano,para converter a dor em:Mais socialismi,mais unidade e mais luta.

Um abraco


Anónimo disse...

Um Grande Lider que enfrentou o imperialismo com coragem, olhou pelo seu povo e criou escolas, hospitais, habitações, levou para a Venezuela o ouro que lhes pertencia e não só. Um voto neste momento de dor ao povo Bolivariano de Venezuela que se mantenham unidos e fortes no caminho do socialismo.
Hasta siempre Hugo Chávez!
Vicky

Graciete Rietsch disse...

Foi com profunda tristeza que soube da morte de Hugo Chávez.
Só espero que o POVO VENEZUELANO saiba compreender a grandeza deste homem, a sua imensa obra e que não permita que a reação dela se aproprie,destruindo--a.
Chávez entrará na Galeria dos Imortais.

Um abraço triste.

João Oliveira disse...

Partilho inteiramente. Vou "roubar" e colocar no meu blog.
João Oliveira

Anónimo disse...

Hugo Chavz deu não só a educação às crianças do seu povo, como, sei-o de alguem que esteve a viver na Venezuela, as vestiu em condições par QUE PUDESSEM FREQUENTAR COM DECÊNCIA A ESCOLA, fornecendo-lhes uniformes. Investiu par OS MAIS POBRES TEREM DIREITO AO PÃO NOSSO DE CADA DIA, enquanto outros, que apregoam a doutrina do OUTRO, limitam-se a uma sóbria "caridadezinha".

Rogério Pereira disse...

Há mortos que não morrem...

«Um dado interessante sobre o período "chavista" na Venezuela: a participação eleitoral passou de 60% em 1993 para 63,45% em 1998 (eleição de Chavez), 74,7% em 2006 e 80,9% em 2012. Há uma crescente politização da sociedade venezuelana e a subida dos votantes deve-se fundamentalmente à esperança que os mais pobres depositam no Pólo Patriótico. Só mais um dado: em 1998 Chávez foi eleito com 3.673.685 votos; em 2006 com 7.309.080; em 2012 com 7.444.062.»

Carlos Ramos disse...

Parabéns pelo texto. Já o coloquei no meu perfil facebook, com os devidos créditos para o autor :)

Avó Nini disse...

Todos os que lutamos pelos mais fracos estamos de luto mas esperançados de que a obra deste homem funcionará como semente que embora espesinhada pelos «VAMPIROS DOS POVOS» resistirá.

maria povo disse...

Hasta Siempre!!!

Antuã disse...


A morte ceifou mas a vida continuará a luta.

Camolas disse...

Glória a Hugo Chavez! que o seu grande coração contagie!

Anónimo disse...


Eu não sendo um admirador do chamado "Marxismo" gostava deste homem corajoso.

Conseguiu livrar o pais das corjas capitalistas globalistas e saqueadoras dos recursos alheios.

Os indicadores económicos são-lhe favoráveis, tendo reduzido bastante o desemprego e a pobreza.
E Nacionalizou o petróleo que deve ser um recurso usado para o bem geral da sociedade.

A teoria da conspiração, de poder ter sido envenado por agentes ao serviço dos globalistas, não é de todo de descartar. Não é a primeira vez que a CIA o faria.

Mas há por aqui certos paradoxos.

Ele sendo um patriota nacionalista é admirado pelas "Esquerdas".
Se for por cá em Portugal ou na Europa, qualquer coisa que soa a nacionalismo ou patriotismo leva logo a martelada de fascista ou reaccionário.

Ah e também era católico, e bem fervoroso, algo que na nossa esquerda quase abomina.

Mas pronto, espero que a Venezuela continue no mesmo caminho, com estabilidade e resolva os problemas que ainda tem.

Reaça disse...

Hugo Chaves nem foi novidade nenhuma.

A América Lat(r)ina já tinha tido Evita e su Peron, Ché Guevara, e a Ilha da Madeira o seu Jardim.

Coitados dos povos que precisam quem puxe por eles.

Nós aqui é que somos uns "incrédulos"
já nem acreditamos no D. Sebastião.

Manuel Norberto Baptista Forte disse...

Até sempre "Comandante" Chávez.

lino disse...

Espero bem que sim!
Abraço

Graça Sampaio disse...

Belo texto. Também lamento pelo povo venezuelano.

Anónimo disse...

Até sempre Chávez...

ps:Obrigado por permitir comentários anónimos.