sábado, 27 de fevereiro de 2010

História desmontável...



À chegada a Montemor-o-Novo, mesmo avistado ainda de um acesso à cidade, o estado do nosso castelo não escapou ao veredicto da neta:

«Este castelo... faltam-lhe muitas peças!...»

Infelizmente, nem a excelência de análise e profundo rigor científico de diagnósticos como este (e outros ainda mais a sério, muitos outros!), têm evitado que o castelo e o Convento da Saudação tenham chegado ao estado em que se encontram.

Os muitos projectos de recuperação deste nosso património histórico e cultural têm subido uns lugares nas pilhas de papelada que no ministério aguardam por atenção e dinheiro... mas não conseguem acompanhar a cadência a que os vários responsáveis vão mudando... voltando sempre tudo quase ao ponto de partida.

Se ao menos lá se jogasse à bola...


8 comentários:

Lídia Craveiro disse...

E podia-se passear sem nos sentirmos na terra de outrem! Uma pena.

Kimbanda disse...

As prioridades trocadas e vem de longe. É triste ver e constatar o estado em que a grande maioria do nosso património histórico se degrada.
Sendo que o nosso país perde com isso em todas as frentes, a cultural e a turística.
Uma boa fotografia um péssimo postal turístico.
Kandandos

Graciete Rietsch disse...

Já estive nesse Castelo num passeio da UPP. É lindo. Gostei apesar de se sentir a falta de recuperação. Gostei também muito da apreciação da tua neta, camarada. Bom sentido de observação.
Um beijo para ti e outro bem grande para a tua neta.

Fernando Samuel disse...

Essa neta é fabulosa!

Um abraço.

Rui da Bica disse...

Os "diagnósticos" das crianças deixam-nos "assopapados" pela lógica !!! É que ela tem toda a razão ! :))
.

a filha mais velha disse...

"Se ao menos lá se jogasse à bola..."
Nem mais!
Acrescento:
"Se o Castelo tivesse em Lisboa..."
Pois é, esta é a Cultura que temos mas que não queremos.
Boa semana!

duarte disse...

vão faltando peças ali, sobrando peças acolá...
por aqui , temos esse eterno e triste espectáculo.
os actores variam, o cenário tb... o encenador é que continua o mesmo.
abraço do vale, nesta fraca dramatização.

samuel disse...

Per tutti:
Qualquer dia há “frases da neta” para tudo...
Obrigado pelas apreciações.


Abreijos.