quarta-feira, 24 de fevereiro de 2010

A idade das perguntas...



Já toda a gente deve conhecer pelo menos uma versão... mas não resisto a deixar aqui uma “misturas” das várias que já me chegaram, mais uma fotografia a condizer.

Durante uma visita a uma escola, José Sócrates dispôs-se a responder a algumas perguntas dos alunos.

- Vá lá, tu... como é que te chamas?
- Sou o Paulinho.
- Então o que é que queres saber, Paulinho?
- São só três perguntas:
Onde é que estão os 150.000 empregos que prometeu?
Porque é que assinou aquelas casas tão feias, lá na Guarda?
Sabe mesmo falar inglês técnico?

Entretanto toca a campainha e Sócrates propõe que as respostas fiquem para depois do intervalo. Quando recomeçou a aula Sócrates lembra:

- Parece que havia uma perguntas... tu, aí... como te chamas?
- Manel.
- Então pergunta lá, Manel.
- São só cinco perguntas:
Onde é que estão os 150.000 empregos que prometeu?
Porque é que assinou aquelas casas tão feias, lá na Guarda?
Sabe mesmo falar inglês técnico?
Porque é que a campainha tocou meia hora mais cedo para o intervalo?
Onde é que está o Paulinho?

15 comentários:

+uma disse...

caro amigo e camarada. acompanho diariamente os seus Blogs (copiando alguns posts inclusive com a devida referência) mas este foi de partir o caco a rir... gostei, os meus parabéns por todas e por esta em particular.
Abraço!

Maria disse...

Já conhecia, mas foi bom reler aqui, com foto e relevo às duas últimas perguntas. Os miúdos são excelentes nas perguntas que fazem...

:))

Abreijos.

albano ribeiro disse...

Samuel ,o que me interessa saber é onde está o Paulinho,o resto a gente sabe que foi treta.Um abraço

Rosa Branca disse...

Já agora era interessante saber onde está Zapata.
VIVA ZAPATA!

Graciete Rietsch disse...

Já conhecia mas não posso deixar de dizer que é uma anedota cheia de conteúdo.
Um beijo.

Antuã disse...

Pois é. Com o Sócrates caminhamos para o nazismo.

Sal disse...

Este post é demais... vou facebooká-lo, se não te importas!
bj

Fernando Samuel disse...

Já agora: os dois engravatados que estão atrás dele, provavelmente são assessores, ou seguranças, ou...

Um abraço.

Rosa Branca disse...

Continuam a querer saber do Paulinho,mas não querem saber de Orlando Zapata Tamayo.É pena,mas o esquecimento é fod...Continuem a brincar com a merda,porque isso é que interessa.Hipocritas!

GR disse...

A vida está difícil. Mas, tu fazes com que seja, bem mais divertida.
Morri a rir.

Bjs,

GR

Cristina Loureiro dos Santos disse...

Lolol

Abraço, Samuel :)

Graciete disse...

Que rico Paulinho e que rico Manel.
Boa Malha!
Um Abraço

Orlando Gonçalves disse...

Já conhecia esta, está de mais. Quanto aos comentários dos que estão preocupados onde está o Orlando, poderiam se preocupar de igual modo com os 5 prisioneiros cubanos nos EUA. Como estarão eles ????????

Anónimo disse...

muitos paulinhos são "calados".
abraço do vale
para quem ainda não sabe:
os cinco de miami, tem sido uma questão eternamente adiada, os presos de guantánamo tb tiveram um trato principesco, kissinger foi quem já todos sabem, a guerra do golfo foi uma esfarrapada desculpa para retirar soberania e sacar dividendos, o suicidio do sr. observador inglês Kelly está envolto num denso novoeiro, etc.

samuel disse...

+uma:
Obrigado! Na verdade não é minha a piada... só a adaptei um bocadinho... ☺ ☺

Maria:
☺ ☺

Albano Ribeiro:
Essa é a grande pergunta... ☺

Rosa Branca:
Ao que sei, infelizmente, morreu. Não leu?

Graciete Rietsch:
Recheada... ☺

Antuã:
Mesmo que o quisesse... não teria oportunidade. Mas não. É apenas um autoritariozeco vazio e sem futuro.

Fernando Samuel:
São os únicos que devem saber onde está o Paulinho... ☺

Rosa Branca:
A reincidência não vai resolver o seu problema. Aqui, lamenta-se a morte do prisioneiro... mas não se engole as estorietas fabricadas pelos media e, mesmo desconhecendo o percurso particular do preso Zapata, não se perde de vista o facto incontornável de a esmagadora maioria dos vossos “combatentes pela liberdade” em Cuba serem de facto mercenários a soldo da CIA e dos narcotraficantes cubanos de Miami.
O mundo e particularmente os EUA, obrigam Cuba a viver há décadas em estado de cerco e guerra. Num processo destes, o que seria simples dissidência é traição... e a traição não naturalmente tem vida fácil.

GR:
Por vezes é preciso...

Cristina Loureiro dos Santos:
☺ ☺

Graciete:
Os cachopos são os maiores!

Orlando Gonçalves:
Nisso não devem ter reparado...

Duarte:
E continuarão a ser...
Sobre o resto... o silêncio.


Saludos colectivos.